POEMAS SOBRE O ALENTEJO – Manuel Simões

Nota: na publicação que fizemos deste poema de Manuel Simões na edição de 12 de Abril, houve versos trocados e outros desapareceram. Pedindo desculpa ao autor pelo erro, repetimos hoje a publicação.

 

 

 

 

POEMAS SOBRE O ALENTEJO

 

Manuel Simões

 

Ceifeira: não dobres tanto a cintura

 

Ceifeira,

cantar agreste

na flor do vento,

trigo e suor

amargurado

no esquecimento.

 

Ceifeira,

de sol a sol

teu canto trespassa

o trigo.

Com a lâmina

fere a espiga,

põe-na revolta,

explosiva.

 

Ceifeira,

ó que amargura

te vai no corpo

agravado.

Sempre a dar

o corpo à terra

e teu sangue

amotinado.

 

Ceifeira,

levanta a foice

não dobres tanto

a cintura.

Quem trabalha

a terra alheia

não pode usar

a ternura.

 

(in Crónica Breve)

 

Desenho de Cipriano Dourado

Amanhã – Manuel da Fonseca

Leave a Reply