Pentacórdio para Sexta 28

por Rui Oliveira

 

 

 

   Nesta Sexta-feira 28 de Setembro o relevo vai “A Ballet Story”, um dos pontos altos do festival GUIdance encomendado por Guimarães 2012 ― Capital Europeia da Cultura, que aí recolheu uma recepção entusiástica por parte do público e da crítica e que o Teatro Maria Matos apresenta na sua Sala Principal às 21h30 (repetindo no Sábado 29).

   Com direcção artística de Victor Hugo Pontes, a peça tem como ponto de partida o bailado Zephyrtine de David Chesky, que na versão original é um ballet clássico para crianças, um conto de fadas recheado de fantástico. Contudo para o coreógrafo, o seu Ballet Story é um exercício de abstracção e parte do movimento dos corpos no espaço em articulação com a música. Numa coreografia que mistura sem complexos elementos do bailado, da dança contemporânea e de street dance, os sete intérpretes formam uma estranha tribo urbana, um grupo de seres talvez humanos, que vão ocupando a plataforma ondulada onde se encontram, num equilíbrio frágil entre o indivíduo e o coletivo. Não há contos de fadas, mas o ambiente permanece misterioso e intrigante do início ao fim.

   Com música de David Chesky na versão musical da Fundação Orquestra Estúdio, sob a direção do Maestro Rui Massena cenografia, os seus intérpretes e cocriadores são André Mendes, Elisabete Magalhães, João Dias, Joana Castro, Ricardo Pereira, Valter Fernandes e Vítor Kpez.

 

 

 

   Também na Sexta 28 de Setembro é oficialmente inaugurada a terceira edição do Festival Cantabile – A Arte de Música de Câmara que se prolongará até 6 de Outubro e que conta de novo com a direcção artística da violetista Diemut Poppen.

   A programação do festival (que pode consultar-se em http://www.goethe.de/ins/pt/lis/kue/mus/can/ptindex.htm ) abrange um total de onze concertos e o repertório, com destaque para as obras de Johannes Brahms, estende-se do barroco até ao contemporâneo, incluindo obras de António Pinho Vargas e Alexandre Delgado. Trará de novo a Lisboa solistas de renome internacional, como Tanja Becker-Bender e Viviane Hagner (violino), Jano Lisboa (viola), Alexander Chaushian (violoncelo), Sebastian Manz (clarinete), e os pianistas Alexander Lonquich, Herbert Schuch, Maria João Pires, Nicole Hagner, e Siegfried Mauser.

   A inauguração far-se-á, como habitualmente, na Sala da Música do Palácio de Monserrate (Sintra), às 19h com entrada livre.

   Os solistas do Festival Cantabile Tanja Becker-Bender, Diemut Poppen, Alexander Chaushian, Sebastian Manz, Alexander Lonquich, tendo como solista convidada Tamila Kharambura interpretarão de  Johann Sebastian Bach  Sonata para trio No. 1 em Sol maior, BWV 1027, de  Alban Berg  Quatro peças para clarinete e piano, op. 5, de  Johannes Brahms  Scherzo da sonata “F.A.E.“ para violino e piano em Dó menor e de Robert Schumann  Quinteto para piano e cordas em Mi bemol maior, op. 44.

 

 

 

   Na Fundação Calouste Gulbenkian prossegue esta Sexta 28 de Setembro o Festival Jovens Músicos (anunciado ontem) havendo neste dia as seguintes actividades :

 

   Às 17h30, no Auditório 3, ocorrerá o segundo painel de discussão sobre Música Antiga – Novos Intérpretes, moderado por Rui Vieira Nery.

 

   Às 19h, no Grande Auditório, Sebastian Manz clarinete, Tanja Becker-Bender violino, Diemut Poppen viola, Alexander Chausian violoncelo, Alexander Lonquich piano e Tamila Kharambura violino (Prémio Silva Pereira – Jovem Músico do Ano 2011)irão toca de Johannes Brahms Scherzo da Sonata F.A.E., de Alban Berg 4 Peças para Clarinete, op. 5 e de Robert Schumann  Quinteto com Piano, op. 44.

 

   Às 21h, também no Grande Auditório, o conjunto Divino Sospiro (sob a direcção de Massimo Mazzeo) e Solistas ex-laureados do Prémio Jovens Músicos interpretarão obras de Pedro António Avondano e estrearão obras dos vencedores do concurso de composição SPA / Antena 2.

 

 

 

   Ainda na Sexta-feira 28 de Setembro, haverá a colaboração da Marinha portuguesa com o Festival Rota das Artes já iniciado (como aqui noticiámos) trazendo ao Planetário Calouste Gulbenkian em Belém a ópera em três actos de Joseph Haydn “O Mundo da Lua”, dirigida pelo maestro Roy Goodman, reputado na direcção do repertório barroco e clássico que trará vozes escolhidas para o evento (ainda não conhecidas).

   O convite (intrigante) feito ao público é : “… meta-se na máquina do tempo e atreva-se a recuar mais de duzentos anos na história … apenas para partir de novo numa aventurosa digressão ao Mundo da Lua ! Conta-se com as cadeiras especiais do Planetário e a sua avançada tecnologia para nos estimular as sensações nesta estranha digressão espacial”.

   O espectáculo repete no Domingo 30 de Setembro.

   Embora com uma qualidade visual reduzida, damo-vos uma ideia do quadro musical de Haydn reproduzindo uma ária de Lisetta (Lídice Robinson) pelo Chamber Opera Ensemble do Teatro Colon de Buenos Aires :

 

 

 

 

 

   Entretanto na Galeria Zé dos Bois (ZDB), às 22h30 da mesma Sexta-feira 28 de Setembro actuam sucessivamente diversos artistas.

   Primeiro surge o guitarrista parisiense Noël Akchoté, de início a solo e depois acompanhado por Margarida Garcia e ManuelMota para mostrar a sua obra inflenciada desde Ligeti e Xenakis a Steve Reich e Philip Glass, com últimas passagens pelo hardcore norte-americano e as experiências de John Zorn.

   Seguem-se Sharif Sehnaoui  guitarra eléctrica e Tony Elieh  baixo eléctrico, dois dos mais activos músicos do panorama musical experimental libanês. Enquanto Sehnaoui provém do jazz e da música improvisada, Elieh é principalmente um músico com background mais próximo rock.

   Este é um tema New York de Ornette Coleman, recriado por Noël Akchoté :

 

 

 

 

 

   Por último, acrescentamos à agenda de amanhã Quinta 27 de Setembro (o que por lapso não fizémos ontem) que a cantora Maria Mendes “the exotic voice of jazz” se apresenta as 22h em A Barraca, divulgando o seu primeiro álbum “Along the Road”, lançado em Maio passado pela editora americana DotTime Records, o qual beneficia da secção rítmica do famoso Toots Thielemans e da colaboração do músico brasileiro Wim Dijkgraaf.

   Desta cantora premiada no Festival de Jazz de Montreux (2010) mostramos o vídeo promocional do seu CD :

 

 

 

 

(para as razões desta nova forma de Agenda ler aqui ; consultar a agenda de Quarta aqui )

 

1 Comment

Leave a Reply