POESIA AO AMANHECER – 56 -´por Manuel Simões

Adília Lopes – Portugal

( 1960  –   )

ABSOLVER

(com algumas coisas de Herberto Helder)

Chama-se sexo

a uma parte do corpo

como se todo o corpo

as mãos os pés a cabeça

não fossem também sexo

o pénis a vagina

os testículos as maminhas

são frágeis

vulneráveis

estão expostos

à crueldade

são flores

ou musgos

posso estar nua e ser casta

não tenho nada de freira viciosa

e devassa

com toda a minha atenção

toco-te

dou-te os meus sentidos

os meus sentimentos

sinto muito

ter estado muito contigo

é uma coisa boa

que melhora o mundo

que o embeleza

agradeço ter-te encontrado

e ter feito o que fiz contigo

com a cabeça nas mãos

e os olhos cheios de lágrimas

sonho contigo comigo

(de “O peixe na Água”)

Pseudónimo de Maria José da Silva Viana Fidalgo de Oliveira. A sua escrita exibe um recorte satírico e irreverente. Da sua obra poética citamos: “Um jogo bastante perigoso” (1985), “O Poeta de Pondichéry” (1986), “A pão e água de Colónia” (1987), “Os 5 livros de versos salvaram o tio” (1991), “O Peixe na Água” (1993), “A Bela Acordada” (1997), “Clube da Poetisa Morta “ (1997), “Quem quer casar com a poetisa” (2001), “Caras Baratas” (2004), “Caderno” (2007).

Leave a Reply