VOU PARA A ESCOLA, JÁ NÃO SOU BEBÉ! por clara castilho

Esta é uma frase que muitas crianças dizem, quando ir para a escola lhe faz sentido e quando o seu desejo de aprender já está instalado. Mas, por outro lado, ouço muitas vezes os pais ameaçarem os filhos com a vida a partir do 1º ano do ensino básico, no sentido de que terão de deixar de brincar. E, de facto, para muitas crianças, a passagem do jardim de infância para a escola representa uma transição nem sempre fácil. O que irá fazer a diferença na evolução de umas e outras?

Vejamos:

A CRIANÇA INICIA A SUA VIDA:

 –          inserida no meio social

–          servindo-se de “modelos” para a organização da vida interior, do pensamento e da linguagem

–          necessitando de segurança  e um ambiente adequado ao seu desenvolvimento

QUANDO ENTRA PARA A ESCOLA:

 –          vai enfrentar novas “responsabilidades” de trabalho

–          necessita de estar com atenção à professora, fazer os trabalhos de casa, aprender as coisas das letras e dos número

–          leva consigo os valores, a cultura do meio socio-cultural de que provém

–          vai partilhar o saber dos adultos

–          vai renunciar a uma relação privilegiada com as figuras maternas e com o mundo onde muito ainda era consentido  tolerado

Se a criança estiver motivada para as aprendizagens,

                        tiver apoio familiar

                        e encontrar uma escola que a saiba “olhar

A EVOLUÇÃO FAR-SE-Á MAIS OU MENOS SEM SOBRESSALTOS E SEM        INSUCESSOS.

 Se a criança já apresentar perturbações,

                      provir de família desasjustada e/ou desorganizada que lhe dê pouco suporte,

 LEVA PARA A ESCOLA PROBLEMAS QUE VÃO PERTURBAR O NORMAL FUNCIONAMENTO DAS ACTIVIDADES ESCOLARES E O SEU PERCURSO PESSOAL E ESCOLAR.

 Para eles, a resposta não passa apenas pela intervenção dos professores.

Leave a Reply