Pentacórdio para Segunda 5 de Novembro

por Rui Oliveira

 

 

 

   Esta Segunda-feira 5 de Novembro é de novo um início de semana pobre, onde na música o destaque se resume ao Foyer Aberto do Teatro Nacional de São Carlos num recital de entrada livre onde um conjunto de instrumentistas (Carolino Carreira, Ceciliu Isfan, Etelka Dudás, Francisco Ribeiro, Irene Lima, Paulo Guerreiro, Pedro Wallenstein e Rodrigo Gomes) irá tocar o Quinteto para trompa e cordas de Wolfgang Amadeus Mozart e o Septeto para sopros e cordas de Ludwig van Beethoven.

   Não há registo deste agrupamento. Pode contudo ouvir-se a peça integral de Mozart Kv 407 (seguindo a lista de reprodução em sentido inverso) tocada em 2006 pelo conjunto “La Real Camara” (Emilio Moreno violino, José Manuel Navarro e Remei Silvestre violas e Mercedes Ruiza violoncelo) acompanhado por Javier Bonet trompa natural :

  

 

   Também no plano científico de acesso geral apenas na Fundação Calouste Gulbenkian, no seu Auditório 2 a partir das 18h prossegue no sector Alimentação,Agricultura e Ambiente  o respectivo ciclo de conferências com a palestra “O Futuro da Alimentação : Ambiente, Saúde e Economia”. A entrada é livre.

   David Baldock, director do Instituto Europeu de Políticas Ambientais, é o principal orador desta quinta conferência do ciclo “O Futuro da Alimentação”, que se debruça sobre o impacto das questões ambientais − como a biodiversidade, as alterações climáticas ou a conservação dos solos − na agricultura e, consequentemente, na nossa alimentação.

   A conferência, que será presidida pela professora da Faculdade de Ciência da Universidade do Porto, Maria Teresa Andersen, conta ainda com uma intervenção do comissário deste ciclo, José Lima Santos (Instituto Superior de Agronomia), sobre o papel das tecnologias e das políticas públicas na agricultura e no ambiente.

 

  

 

   No campo artístico, estando os museus em regra fechados neste dia, resta ao leitor nesta Segunda-feira 5 de Novembro ouvir no Auditório 3 da Fundação Calouste Gulbenkian, às 18h, a conferência “Deuses no mar e na arte: do Rapto de Europa à Libertação de Andrómeda” por Ana Paula Correia (da Escola Superior de Artes Decorativas, da Fundação Ricardo Espírito Santo Silva e da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas/UNL).

   A palestra, de entrada livre, insere-se nas actividades de divulgação e reflexão sobre a exposição “As Idades do Mar” patente no Museu Gulbenkian (até 27 de Janeiro 2013) a que o Pentacórdio já se referiu (naquele “para 26 de Outubro”).

   A imagem junto, que acompanha a divulgação da conferência, representa o “Enlevo de Miss Europa”, 1973 de Nikias Skapinakis (1931 -), um óleo sobre tela (150 x 117 cm) da Colecção da  Secretaria de Estado da Cultura, em depósito na Fundação de Serralves-Museu de Arte Contemporânea no Porto (Inv. SC 0495).

 

 

 

   Recorda-se, em sector afim, aos fãs das “histórias em quadrinhos” que o “23.º Festival Internacional de Banda Desenhada da Amadora 2012”, a decorrer no Forum Luís de Camões, na Amadora, encerra no próximo Domingo 11 de Novembro.

   São destaques particulares neste certame  “A Autobiografia na Banda Desenhada”, uma exposição central dedicada às várias e fantásticas dimensões de cada autor e das suas histórias em banda desenhada, o que é “a reflexão individual como reflexão social na BD contemporânea” ; o núcleo “Spiderman”, uma co-produção Marvel, Fundação Franco Fossati e Museo del Fumetto, dell’illustrazione e dell’immagine animata (Milão), celebrando os 50 anos do Homem Aranha ; “Paulo Monteiro, Ricardo Cabral e Ana Afonso”, a mostra duma nova geração de autores portugueses, com trabalhos publicados em Portugal e no Estrangeiro.

   Há ainda “Cyril Pedrosa”, pois o álbum “Portugal” deste autor com ascendência portuguesa foi prémio FNAC em França, tendo o lançamento da obra em português, com a chancela das Edições ASA/Leya tido lugar no AmadoraBD.

 

 

 

   Por último, no campo cinematográfico, deverá estar a abandonar as salas um interessante filme de Benoît Jacquot intitulado “Les Adieux à la reine” (Adeus Minha Rainha) (2012) com

 Léa Seydoux (Sidonie Laborde), Diane Kruger (Marie Antoinette), Virginie Ledoyen (Gabrielle de Polignac) e Michel Robin (Jacob Nicolas Moreau), entre outros.

   Tema : Em 1789, nas vésperas da Revolução, Versailles continua a viver na inconsciência, longe da revolta que ruge em Paris. Quando a notícia da tomada da Bastilha chega à Corte, o edifício esvazia-se, nobres e seus criados fogem … Mas Sidonie Laborde, jovem leitora muito dedicada à Rainha, não quer acreditar nos rumores que se ouvem … mas esses serão os três últimos dias que viverá junto de Maria Antonieta.

   O ambíguo triângulo romântico entre a rainha, a sua arrogante favorita Gabrielle de Polignac e a sua devota leitora ilumina inteligentemente o que ali se joga e o retrato duma corte frívola é no filme particularmente bem dado. Recomenda-se.

   O filme-anúncio reproduz parte do clima. O melhor é vê-lo.

   

 

 

 

(para as razões desta nova forma de Agenda ler aqui ; consultar a agenda de Domingo aqui )

 

 

 

 

1 Comment

Leave a Reply