Da Serra desce o negrume – Eva Cruz

(Manel Cruz)

Da Serra desce o negrume a afundar o Vale

cai sobre a terra aguaceiro atrás de aguaceiro

o rio cresce e sai das bordas

a cheia engorda os olhos dos meninos

redondos de tanta água

chega ao paredão

cobre o açude

e abraça a ponte

arrastando o manto

como um rei

leva porcos, abóboras e galinhas

e medas de palha

bailando como damas

em séquito majestoso

corte ou corte

ao sabor da fantasia.

Raquel é também rainha da cheia

ou galinha, não importa

vai no rio

toda ela é água.

Pára a chuva

abre-se o céu

recolhe o rio ao leito

seu mundo estreito

e a ponte ainda lá está.

(in Eva Cruz, Era uma vez, Future Kids, Campo das Letras)

Leave a Reply