NO PASARÁN – María Casares e Ernst Busch

O nosso amigo e colaborador Josep Anton Vidal, enviou-nos um comentário ao post que publicámos ontem (na série Canções de Intervenção) sobre as «Coplas por la defensa de Madrid», coplas  que escutámos na voz de Joan Manuel Serrat. Diz Josep não conhecer a versão de María Casares. Esclarecemos que se tratava de uma edição dos discos »Chant du Monde». A extraordinária actriz, figura cimeira do Théâtre National Populaire, a partir dos anos 50 dirigido por Jean Vilar, mais do que cantar, declamava as coplas. No final, acrescentava, com a voz enrouquecida e inundada de lágrimas, que os generais, o fascismo, tinham passado. Entre as valiosas sugestões que Josep Vidal nos faz, refere a versão de Ernst Busch, que o actor alemão gravou em 1937, em plena guerra. Ernst Busch (1900-1980), formado na escola do «cabaret» berlinense dos anos 20, fizera parte do elenco que  representou a «Ópera de Três Vinténs», de Bertolt Brecht. Desencadeada a Guerra Civil,  esteve em Espanha como soldado das Brigadas Internacionais, vindo da União Soviética, onde se refugiara, visto que na Alemanha era perseguido pela polícia política nazi. Ernst Busch, integrou, após a Guerra mundial, o «Berliner Ensemble», de Brecht e Erwin Piscator. Josep acrescenta uma informação importante . Sabíamos que «Los Cuatro Moleros» era uma canção popular. Mas não sabíamos que tinha sido recuperada por Federico García Lorca, que a gravou em 1931. Cantada por «La Argentinita» e acompanhada ao piano pelo próprio Federico. Podemos ouvir esta gravação histórica em

http://www.rtve.es/alacarta/audios/musica-en-el-archivo-de-rtve/cuatro-muleros-voz-argentinita-piano-garcia-lorca/1163534/.

É bom ter amigos sábios.

Mas vamos ouvir Ernst Busch cantar em alemão Los Cuatro Generales:

Leave a Reply