UM TEATRO DE FANTOCHES CRIADO POR MARIA KEIL, COM TEXTO DE MARIA CECÍLIA CORREIA por clara castilho

9349741_b7nUl

Não sei em que altura Maria Keil teve a ideia de fazer uma teatrinho – a que chamou TEATRO DO MINIMIM – com figuras que pudesse ser comprado e depois serem manipuladas por crianças contando histórias. Neste momento, tenho um exemplar do teatro para montar, um pedaço de pano com figuras que podem ser recortadas e montadas em pequenos personagens. Percebo um rei, uma rainha, uma figura de autoridade, meninas. Foi a própria Maria que deixou na Casa da Praia, não me lembro o que explicou. Nem sempre somos nos precavemos e tomamos nota das coisas…

Entretanto, encontrei um texto de minha mãe, Maria Cecília Correia, que se destinava a ser uma das peças a representar no referido teatrinho. E neste Natal vou oferecer à minha filha este conjunto, para mais tarde poder brincar com o seu filho, ainda na barriga.

Aqui partilho convosco porque a considero muito engraçada.

maria 4 001

 

UM TRONO, DUAS RAINHAS

Um trono. A mulher está sentada no trono. Entra a rainha.

– Quem  és tu, que te sentas no meu trono? Sai já daí!

– Porquê, não me dizes?

– Ora essa, porque eu sou a rainha. Rainha… sabes o que isso é? Tenho uma coroa.

 – Ora adeus, se é só por isso, eu também vou arranjar uma coroa. Espera lá que não demoro muito.

Sai e entra com uma coroa na cabeça.

– Ora vês, também tenho uma coroa, agora somos duas rainhas.

A rainha fica atrapalhada.

– Mas eu… mas eu… eu sou mais do que tu, sou rainha há muito mais tempo.

– Então és a rainha velha e eu sou a rainha nova.

– Não percebes, não percebes, não percebes. É diferente. A minha mãe já era rainha também .

– Ai é? Vou buscar outra coroa para a minha mãe e voltamos a ficar empatadas.

– É burra esta mulher! A minha avó também era rainha e casada com um rei.

– Mau, lá isso do meu avô, é que ninguém soube quem era. (Pausa) Mas olha lá. Vai à fava, tu e as tuas coroas, não saio daqui!

– Ai sais e é já, eu é que sou a rainha!

– Mas porque é que tu és a rainha? Ainda só me falaste da tua coroa, da coroa da tua mãe, da coroa da tua avó e da careca do teu avô. Não pega, menina, coroas também eu as tenho.

– Que mulher estúpida! Sai já daí, ou chamo a polícia. Ó senhor polícia…. Senhor polícia…. Senhor po-lí-ci-a…

4

 

Entra o polícia.

– Pronto, senhora rainha.

– Mande essa mulher embora, sentou-se no meu trono e diz que também é rainha.

– Saia já daí! Ouviu? O trono é da senhora rainha.

– Já lhe disse que também tenho uma coroa, ora essa, também sou rainha.

– Não e não! A rainha é esta, já a conheço há muitos anos.

– Está enganado, eu também tenho uma coroa, não vê?

O polícia coça a cabeça atrapalhado. E pensa: Querem lá a ver que há duas rainhas e eu não sabia? Que trapalhada! E agora o que vou fazer? Que trapalhada! Sempre disse que a vida de um polícia  era cheia de dificuldades. Mas a minha mulher teima que é bonito ser polícia… que dá importância… Ora, dá importância… Vira-se e diz:

– Ora salte daí do trono!

– Mas eu não o dou, a cadeira é bem fofinha. Vossemecê  vai lá a sua casa arranjar outra que as tem lá bem boas.

A rainha vai desesperando:

– Saia daí. Ò senhor polícia, tire daí a mulher! Eu sou a rainha, a ra-i-nha!

– Senhora rainha, mas se as duas são rainhas. Por quem é que ei hei-de acudir?

– Estão cada vez mais estúpidos os polícias, tenho que dizer ao rei que o ponha na rua. Saia daí, ó mulher, que eu ainda tenho um ataque de nervos.

Bulham as duas e caem no chão e não voltam a aparecer.

E o polícia senta-se no trono e diz:

-Até que enfim, que já não há rainhas e já não há problemas. Posso sentar-me aqui um bocadinho descansar! Por que trabalhos passa um polícia! Ai, mas que rica cadeirinha… Ah! Elas tinham razão, mas que rica cadeirinha… rica soneca que se faz aqui, olá que se faz!

MARIA CECÍLIA CORREIA

 

5 Comments

  1. Cara Clara Castilho, gostaria de conversar consigo a propósito de Maria Keil. Trabalho no Museu da Presidência da República e estamos a preparar uma exposição dedicada à artista.
    Grato
    Alexandre A. Tojal

Leave a Reply