COMUNICADO DA ASSOCIAÇÃO 25 DE ABRIL

 Da Associação 25 de Abril, e assinada pelo seu Presidente, o coronel Vasco Lourenço, recebemos a comunicação seguinte:

Preazada(o)s associada(o)s e amiga(o)s

 

Para v/ conhecimento junto enviamos, em anexo, cópia de Moção, aprovada por unanimidade na Assembleia-Geral extraordinária da Associação 25 de Abril, realizada no passado dia 15, sobre legislação que se encontra em projecto e que visa abrir a possibilidade dos responsáveis pelas representações diplomáticas portuguesas poderem decidir sobre a observação ou não do dia 25 de Abril como feriado nacional.

Mais informamos que o original da referida Moção foi, nesta data, remetido à Senhora Presidente da Assembleia da República e foi dado conhecimento do teor da mesma os líderes parlamentares.

Cordiais saudações

Vasco Lourenço

Imagem1ASSOCIAÇÃO 25 DE ABRIL

Pessoa colectiva de utilidade pública (Declaração n.º 104/2002, DR – II Série, n.º 91 de 18 de Abril) • Membro honorário da Ordem da Liberdade

Moção

Um decreto-lei do governo, que está em discussão na Assembleia da República, determina que para trabalhadores das embaixadas, missões bilaterais e serviços consulares portugueses o 25 de Abril deixe de ser feriado obrigatório.

Apenas o 25 de Dezembro, dia de Natal e o 10 de Junho, Dia de Portugal, serão feriados obrigatórios.

Os restantes feriados, sem ultrapassar nove, entre os feriados portugueses e os do país onde a missão está instalada, serão escolhidos pelos chefes da missão.

Tendo em atenção que as embaixadas são território nacional, não deixa de ser surpreendente que alguém pretenda, por esta via, suprimir o Dia da Liberdade e impedir que trabalhadores portugueses possam comemorar o dia fundador da nossa Democracia.

De há muito que está claro que o actual governo de Portugal pretende acabar com tudo o que cheire a 25 de Abril!

A sua intenção revisionista tem vindo a ser mascarada, com argumentos de “dívidas e memorandos” que têm servido de justificações para as alterações de natureza económica, mas principalmente social, que têm vindo a impor ao país.

Com as muito nefastas consequências, que todos vimos sentindo na pele.

Pois bem, as máscaras começam a cair e coube ao ministro dos Negócios Estrangeiros o primeiro acto a descoberto.

Com esta iniciativa, torna-se claro que se prepara a abolição do 25 de Abril como feriado nacional. Não é, no fundo, surpreendente. Era claro que já a anterior abolição dos feriados do 5 de Outubro e do 1.º de Dezembro, comemorativos da Revolução Republicana e da independência nacional, visava preparar o terreno para a supressão da memória dos principais acontecimentos históricos que estão na génese do Estado independente, livre e democrático, do Estado de Direito que hoje temos em Portugal e são a base da luta dos portugueses contra o desígnio mais vasto e inconfessado de quem está hoje no exercício do poder, que é o da substituição do regime democrático conquistado com o 25 de Abril por um outro tipo de regime, mais ou menos autoritário.

Contra isso, contra a destruição do Portugal de Abril, lutaremos sem desfalecimentos.

É nesse sentido que a Assembleia-Geral da Associação 25 de Abril, reunida a 15 de Dezembro de 2012, por unanimidade:

 

1. Repudia com veemência tal atitude revanchista e indigna do país que somos e dos cidadãos que prezam e honram a Liberdade e a Democracia que conquistámos, a 25 de Abril de 1974.

 

2. Apela a todas as organizações cívicas e aos cidadãos em geral, que se reclamam da Liberdade, da Democracia e da Justiça Social, a uma mobilização e luta pela não aprovação deste desejo do governo.

3. Apela à consciência dos deputados da Assembleia da República, que têm o dever de se opor a medidas que tendam a pôr em causa o regime democrático, a que não aceitem e aprovem a medida da supressão do 25 de Abril como feriado nacional, em todo o território de Portugal, que inclui, evidentemente, o das suas embaixadas e outras representações diplomáticas.

Outra atitude manchará inexoravelmente a sua acção, tornando-os responsáveis pela consumação de um acto verdadeiramente anti-patriótico.

Lisboa, 15 de Dezembro de 2012

2 Comments

  1. Maria de Sá, é sempre um prazer e uma honra tê-la connosco e os seus comentários. Este comunicado da Associação 25 de Abril, é um dever de todos nós transmiti-lo a todos que queiram ler A Viagem dos Argonautas. E alertar para a iniquidade de um governo que pretende acabar com o 25 de Abril, porque o que quer é o retorno à barbárie do antigamente.

Leave a Reply to joaompmachado Cancel reply