Pentacórdio para Quarta 16 de Janeiro

por Rui Oliveira

 

 

 

   Também nesta Quarta-feira 16 de Janeiro não se destacam acontecimentos de vulto. De entre conferências e sessões musicais, anotaríamos como de potencial interesse :

 

cinemateca   Como anunciámos na semana anterior,  a Cinemateca Portuguesa, na defesa da sua actividade vocacional e dentro do seu ciclo deste ano Foco no Arquivo” , agendou colóquios sob o tema “Riscos do Património / Um Património em Risco” e o segundo terá lugar nesta Quarta 16, às 18h30 na Sala Luís de Pina, com entrada livre.

   O tema será “A Conservação do Cinema Português como Tarefa Multilateral” e haverá, precedendo o debate alargado, intervenções iniciais de Maria João Seixas e José Manuel Costa (Directora e Subdirector da Cinemateca), Margarida Gil (Presidente da Associação de Realizadores), António Pedro Vasconcelos (Presidente da Associação de Realizadores de Cinema e Audiovisual), Luís Urbano (produtor).

cinemateca 1   Partindo da constatação de que na relação entre os universos dos Criadores e dos Produtores e o papel do Estado tem como decisiva uma área instrumental que é a do depósito dos materiais fílmicos –  indispensável para a verdadeira conservação e para todo o trabalho arquivístico a jusante  – e tendo ainda em conta a conjuntura de drástica limitação de recursos disponíveis para a Cinemateca, é proposto então este diálogo público com os agentes criadores, neles destacando obviamente os próprios autores das obras, mas também, e muito especialmente, os produtores. Qual a complementaridade hoje existente entre o papel de cada um? O que podem e devem ser os actuais e futuros acordos de depósito celebrados com a Cinemateca? Qual o papel da Cinemateca na relação com esses agentes e como é que esse papel pode ser articulado com as funções públicas de um moderno museu de cinema?

 

 

   Noutro campo mais político, decorrem  na Biblioteca-Museu República e Resistência  – Espaço Grandella (como noutras Bibliotecas) ciclos de Conferências para Adultos de entrada livre.

pereira marquesPS_funda_o +++   Durante 2013 realizar-se-á, dentro dum programa mais vasto designado por “Caminhos da oposição à Ditadura”, um pequeno ciclo sobre “Génese e desenvolvimento da oposição socialista” o qual, aproveitando assinalarem-se em 2012 os 40 anos da adesão da “Acção Socialista Portuguesa” (ASP) à Internacional Socialista e, em 2013, os 40 anos da fundação do Partido Socialista na clandestinidade, tem nesta Quarta-feira 16 de Janeiro  a sua segunda Conferência sobre “As origens do Socialismo Português” por Fernando Pereira Marques (foto) e Carlos Leone.

ACAO_S~1   A terceira (e última sessão) ocorrerá na Sexta-feira 18 de Janeiro sobre “Figuras de relevo no movimento Socialista em Portugal” por José Medeiros Ferreira.

   Saliente-se que foi estabelecida a norma segundo a qual este programa jamais deverá excluir qualquer corrente de opinião ou corrente ideológica das que caracterizaram a oposição à ditadura em Portugal.

 

 

 

351348   No campo musical do jazz, sabem os iniciados que no Hot Clube (Praça da Alegria nº 48), às Quartas-feiras, há jam session às 22h30 e que o convidado do mês é o pianista Filipe Melo, o qual começará com um set do grupo residente, passando depois para jam aberta aos músicos que queiram participar. A entrada é livre.

   Eis uma prestação do seu Trio em 2011 :

 

 

 

 

   Ainda neste campo, o Lisbon Underground Burlesque (L.U.B.) apresenta um Cabaret único,no Onda jazz, às 22h30, com a sua troupe excêntrica que, ao som da banda de L.U.B. “Jazz à Là Creme”, anuncia “um espectáculo dinâmico e descontraido que vive da interacção com o público, com comédia, magia, cantorias e neo-burlesco”.

   Veja-se aqui um relance dum dos seus espectáculos :

 

 

 

(para as razões desta nova forma de Agenda ler aqui ; consultar a agenda de Segunda aqui)

 

 

 

 

1 Comment

Leave a Reply