CANTAR-TE-EI , OLIVENÇA – por Carlos Luna

Península - Penintsula
Soneto: CANTAR-TE-EI , OLIVENÇA

Não sei que mais dizer a teu respeito

que por outros não tenha sido dito!

Mas, Olivença, bates no meu peito

com força de tamanho infinito…

Por isso nenhum poema já feito

esgotou em mim aquilo em qu’ acredito:

que cantar-te tem em mim o efeito

de aliviar o meu coração aflito!

Não sei se em mim encontro engenho

p’ra continuar a cantar o que em ti

me faz pôr à mostra tudo o que tenho!

Só posso dizer que tudo o que senti

foi renovar-se em mim o empenho

de conhecer muito mais do que já vi!

Estremoz, 7 de Janeiro de 2013

Carlos Eduardo da Cruz Luna

https://www.facebook.com/carlos.luna.7359

2 Comments

  1. Carlos, es admirable tu amor por Olivença. Y tu capacidad para transmitirlo literariamente. Parabens!
    Moisés Cayetano Rosado.

Leave a Reply