Pentacórdio para Quinta 24 de Janeiro

por Rui Oliveira

 

 

 

Paul McCreesh   O destaque desta Quinta-feira 24 de Janeiro pode, a nosso ver, ir para o concerto que no Grande Auditório da Fundação Calouste Gulbenkian, às 21h, darão o Coro e a Orquestra Gulbenkian, dirigidos pelo maestro Paul McCreesh, acompanhados pelos cantores Susan Gritton  soprano, Monica Groop  meio-soprano, Andrew Staples  tenor e Jonathan Lemalu  barítono, interpretando o seguinte programa :

 

      Franz Schubert  Sinfonia nº 8, D. 759, (inacabada)

      Igor Stravinsky  Missa

      Wolfgang Amadeus Mozart  Requiem, K. 626

 

   O concerto repete-se na Sexta 25 de Janeiro, às 19h.

   Não havendo registo da direcção de Paul McCreesh de nenhuma destas peças, mostramos-lhe a execução integral  do Requiem de Mozart por Susan Gritton em 2007 (CD da Lynn Records) :

 

 

 

Casas Pardas 

Mariavelhodacosta   Uma estreia que se rodeia de curiosidade é a tem lugar na Sala Principal do São Luiz TM (Teatro Municipal), às 21h, com início nesta Quinta-feira 24 de Janeiro (prolongando-se até Domingo 27, às 17h30), do espectáculo teatral “Casas Pardas”, um texto de Maria Velho da Costa (foto) na adaptação e dramaturgia de Luísa Costa Gomes com encenação de Nuno Carinhas.

Casas Pardas 2   A interpretação é de Anabela Teixeira, Carmen Santos, Catarina Lacerda, Emília Silvestre, João Castro, Joana Carvalho, Jorge Mota, Leonor Salgueiro, Paulo Freixinho, Paulo Moura Lopes e Rute Miranda.

   Sinopse : “Casas Pardas cartografa Lisboa no final dos anos sessenta, em plena agonia do regime salazarista: crise política e social, rumores das guerras coloniais e dos tumultos estudantis. O Portugal pardacento à espera do terramoto que virá em 1974, enquanto se escreve o caos afectivo em comunidade, por dentro das casas do amor e desamor de Elisa, Mary, Elvira e companhia. Mas Casas Pardas é acima de tudo a casa da língua portuguesa e dos seus vários linguajares, aqui em jubiloso processo de miscigenação com outras falas do mundo. Em ‘crioulo galáctico’, a psicopátria diz de si e dos outros, agora num palco perto de nós (do programa do São Luiz TM)”.

   Mostramos-lhe um excerto da sua estreia no Teatro Nacional de São João :

 

 

 

 

201301031730171171   Também na Tenda do Chapitô, com início a 24 de Janeiro (Quinta-feira) e prolongando-se até 17 de Março, esta Companhia apresenta “Macbeth”, às 22h, uma criação colectiva com encenação de John Mowat e interpretação de Jorge Cruz, Ricardo Peres e Tiago Viegas.

    Na sua apresentação dizem :

   “… O que é que oculta um kilt? Barão? Pois barão duas vezes!! Fá-lo Rei! Como? Por trás de um grande homem… Uma Lady? Será ele capaz? Sim…eles fazem tudo!! Até cavam o seu próprio destino! Acreditam em bruxas? Mas o que é que isto tem a ver com o Kilt? Já vão ver!!! Era uma vez um Rei… «Macbeth» uma tragédia de William Shakespeare  inadaptada  pela Companhia do Chapitô”.

 

 

KINO_M~1 

Barbara_PlakatRGB-400x565   Tem início nesta Quinta-feira 24 de Janeiro o festival “KINO Cinema de expressão alemã” – já no seu 10º aniversário, apresentando filmes da Alemanha, Áustria, Suiça e Luxemburgo no Goethe-Institut, no cinema São Jorge e no Espaço Nimas. O seu programa integral encontra-se em http://www.goethe.de/mmo/priv/10394766-STANDARD.pdf.

   Terminará a 3 de Fevereiro, constando a sessão de abertura da exibição no Cinema São Jorge, às 21h30, do filme “Barbara” (Alemanha, 2012) dirigido por Christian Petzold e interpretado por Nina Hoss (Barbara), Ronald Zehrfeld (André) and Rainer Bock (Klaus Schütz).

barbara   Eis a sua sinopse : “ Verão de 1980 na RDA: a doutora Barbara solicitou uma autorização para sair do país. Mas em vez disso, é sujeita a um processo disciplinar e transferida da capital para um pequeno hospital de província. Jörg, o seu amante da Alemanha Ocidental, prepara a fuga de ambos pelo Mar Báltico. Barbara espera. A sua nova casa, os vizinhos, o Verão e o campo, já não exercem grande influência obre ela. Barbara trabalha na secção de cirurgia infantil sob a direcção do seu novo chefe André. É atenciosa para com os pacientes, mas distante com os seus colegas. O futuro de Barbara começa mais tarde. Mas André causa-lhe confusão. A sua confiança nas aptidões profissionais dela, a sua dedicação, o seu sorriso. Porque que é que ele esconde a sua preocupação com a fugitiva Stella? Estará ele incumbido de a vigiar? Ou apaixonado por ela? Barbara começa a perder o controle. Sobre si própria, sobre os seus planos, sobre o amor. E o dia da planeada fuga aproxima-se cada vez mais depressa… “

   Quanto a filme-anúncio, mostramos-lhe a versão em língua inglesa, enquanto a versão diferente em alemão se encontra em http://youtu.be/VFSuQASCM8I :

 

 

 

  

   No campo das conferências/debate, algumas despertam interesse evidente.

   Uma é o I Fórum Portugal-Alemanha , reunião de entrada livre, que terá lugar nesta Quinta-feira 24 de Janeiro (com conclusão na Sexta 25) no Auditório 2 da Fundação Calouste Gulbenkian, com início às 14h30.

forum portugal alemanha   Após a abertura pelos Ministro dos Negócios Estrangeiros dos dois países (Paulo Portas e Guido Westerwelle) haverá dois paineis sucessivos.

   Às 15h50 sobre Portugal e a Alemanha na União Económica e Monetária: Gestão de Crises e Solidariedade – Objectivos, Possibilidades e Limites ouvir-se-ão Petra Merkel, Presidente da Comissão do Orçamento, Bundestag, Berlim, Paulo Mota Pinto, Deputado, Presidente da Comissão de Assuntos Europeus, Steffen Kampeter, Secretário de Estado Parlamentar, Ministério Federal das Finanças, Berlim, Luis Campos e Cunha, Universidade Nova de Lisboa e Ansgar Belke, Universidade de Duisberg-Essen.

   O debate será moderado por  Nuno Severiano Teixeira, Director do Instituto Português de Relações Internacionais – Universidade Nova de Lisboa e Mathias Jopp, Diretor do Institut fur Europäische Politik, Berlim.

   Às 17h45 o segundo Painel será sobre A nova era do Pacifico e as potências emergentes, moderado por Teresa Gouveia, Administradora da FCG e Gisela Müller-Brandeck-Bocquet, Universidade de Würzburg e nele falarão Elmar Brok, Presidente da Comissão de Negócios Estrangeiros, Parlamento Europeu (a confirmar), João Vale de Almeida, Chefe da Delegação da União Europeia nos EUA, Wolf-Ruthart Born, Secretário de Estado (ret.), Berlim, Teresa de Sousa, Jornal Público, Ludger Künhardt, Centro de estudos de Integração Europeia, Universidade de Bona, Patrícia Daehnhardt, IPRI – UNL e Universidade Lusíada e Klaus-Dieter Frankenberger, Frankfurter Allgemeine Zeitung. 

   Para Sexta-feira, onde os painéis serão Portugal e a Alemanha. Parceiros na inovação e na competitividade num mundo globalizado e  O futuro da Europa, haverá a concluir, às 12h30  (antes da sessão formal de encerramento ), discursos-chave (keynote speeches) por  António Vitorino, Presidente de Notre Europe (Paris) e Werner Weidenfeld, Universidade Ludwig-Maximilians (Munique), moderados por  José Gomes Canotilho, Administrador da FCG.

 

 

imagesCAZGK1I4OLYMPUS DIGITAL CAMERA   Uma palestra curiosa será feita no Museu de Artes Decorativas Portuguesas (da Fundação Ricardo do Espírito Santo Silva) (Largo das Portas do Sol, nº 2), às 17h30 desta Quinta-feira 24 de Janeiro, pela Profª Doutora Elvira Miguélez González da Faculdad de Traducción y Documentación da Universidade de Salamanca sobre “Identificar Encadernações a partir das suas Características Estilísticas”.

   A conferência será seguida de debate e a entrada é livre.

 

 

Ces Énergies Venues de la Mer   Também no Institut Français de Portugal, das 19 às 21h desta Quinta-feira 24 de Janeiro, no Bar das Ciências (Bar des Sciences), Michel Paillard (Engenheiro- Chefe do projecto “Energias marinhas renováveis” do IFREMER) falará sobre “Estas Energias vindas do Mar” numa conferência em francês de entrada livre.

mer-ocean-001-650-ccbf0fd8   Introduzindo :  O recurso natural às energias marinhas (vento ao largo, ondas e correntes, marés, gradiente térmico, gradiente de salinidade, biomassa) é importante tanto ao longo das costas europeias como também nos territórios ultramarinos. A exploração destes diferentes recursos não se encontra todavia no mesmo nível de maturidade. A primeira geração de turbinas eólicas no mar está em pleno desenvolvimento industrial e já se anuncia a geração das turbinas eólicas flutuantes.   

   As energias oriundas das correntes das marés e das ondas conhecem uma verdadeira agitação. Aplicações de utilização de gradiente térmico desenvolvem-se para a produção do frio, para a água doce na zona intertropical e para a produção de energia. Mas estas energias de origem mecânica ou térmica, derivadas da energia solar são consumidoras de espaço e estão por isso em competição com outros modos de produção energéticos.

   Se quiser ver um teaser desta palestra : http://youtu.be/xgGFgo4rAIg

 

 

 

   Por último, algumas notícias musicais breves :

 

   Enquanto no Hot Clube, às 23h, o conjunto de jazz  António Pinto Ensemble inicia uma actuação que o levará desta Quinta-feira 24 de Janeiro até Sábado 26, com a participação de António Pinto (guitarra), Desidério Lázaro (saxofone), Dan Hewson (piano), Mário Franco (contrabaixo) e André Sousa Machado (bateria) – no Onda Jazz, às 22h30, Patrícia Antunes (voz) e Rúben Alves (piano) juntam-se para apresentar o seu reportório eclético, onde viajam pelo mundo de compositores tão diversos como Joni Mitchell, Sting ou The Beatles ,visitando também alguns clássicos do jazz.

   Numa gravação recente (Outubro de 2012) eis como soa o seu “Penny Lane” dos Beatles :

 

 

 

(para as razões desta nova forma de Agenda ler aqui ; consultar a agenda de Terça aqui)

 

 

 

1 Comment

Leave a Reply