Pentacórdio para Sexta-feira 15 de Fevereiro

por Rui Oliveira

   Nesta Sexta-feira 15 de Fevereiro são múltiplos os eventos de alguma dimensão sem que se destaque indiscutivelmente nenhum em particular. 

          OSP 1  OSP

   Mesmo assim, merece realce toda a actividade que neste final de semana desenvolve a Orquestra Sinfónica Portuguesa (OSP) na justa comemoração dos seus 20 anos de existência (a alguma da qual não fizémos ontem a devida referência) e que intitulou “A OSP na Cidade”.

   Recapitulemos pois todo o programa, incluindo os eventos EM ATRASO (!) :

   Ainda hoje (Quarta 13 de Fevereiro) o Ensemble de Cordas e Madeiras da OSP toca obras de W.A. Mozart na FNAC (Chiado) às 13h30.

   Às 18h, o mesmo Ensemble interpreta o mesmo repertório no Foyer do Teatro Nacional de São Carlos (TNSC).

   Às mesma hora o Quarteto de Trombones actua no Aeroporto de Lisboa.

direitosreservados_damasdesaocarlos   Na Quinta-feira 14 de Fevereiro, às 13h30, na FNAC (Chiado) as Damas de São Carlos (foto) interpretam obras de Vivaldi (O Inverno)e de Piazolla (Primavera Porteña).

   Às 18h, o Octeto de Sopros da OSP actua no Aeroporto de Lisboa.

   À mesma hora, no Foyer do TNSC há um concerto de entrada livre onde os Rabecões do Picadeiro interpretam de Camille Saint-Saëns (Canção Judaica), além de obras de Ernst Mahle, Matias Pizarro e Duncan Fox.

   Na Sexta-feira 15 de Fevereiro, às 13h30, toca na FNAC (Chiado) o Ensemble da OSP de Harpa, Flauta e Viola de Claude Debussy (Sonatine en Trio) e de Jacques Ibert (Deux Interludes).

   Às 18h, as Damas de São Carlos deslocam-se ao Aeroporto de Lisboa.

  

maestro_pedro neves   Finalmente, as “Comemorações dos 20 anos da Orquestra Sinfónica Portuguesa” convergem para um concerto na Sala Principal do Teatro Nacional de São Carlos onde, às 21h, os Ensembles de Metais e Percussão da Orquestra Sinfónica Portuguesa sob a direcção musical do maestro Pedro Neves (foto) irão tocar de :

      Giovanni Gabrieli  Canzon XVI a 12 (1615)

                                        Canzon Duodecimi Toni a 10 (ch.177)

      Georges Bizet (arr. Jean-François Taillard) Carmen Suite, para Ensemble de Metais, Tímpanos e Percussão

      Richard Wagner  Die Meistersinger (Vorspiel)

      Maurice Ravel  Bolero

      Aaron Copland  Fanfare for the Common Man

      Richard Wagner  Trauermarsch aus Gotterdammerung

      George Gershwin   An American in Paris

      Anónimo   Um Fado (Arr. Vitor Faria)

      Ernesto Lecuona (arr. Jarrett Butler)  Malagueña

 

festival debussy

Yuriy Mynenko

   Entretanto no Grande Auditório da Fundação Calouste Gulbenkian continuam as iniciativas do “Festival Debussy +” quando, às 21h30, um conjunto de Solistas da Orquestra Gulbenkian sob a direcção de Marc-André Dalbavie, maestro (e compositor em residência), com a participação do contratenor ucraniano Yuriy Mynenko (foto), interpretarem um programa onde constam de : 

      Marc-André Dalbavie  Sextine Cyclus

      Claude Debussy  Danse sacrée et danse profane

   Este concerto é de entrada livre.

 

   Antecedendo-o, às 18h (por um período de 45 min), há um Pré-Concerto, novidade introduzida este ano pela Fundação Gulbenkian na sua vertente formativa de públicos.

   Na Sede da FCG, sob a direcção de Pedro Moreira, será analisada uma das obras do repertório erudito apresentadas pela Orquestra Gulbenkian, neste caso no Festival Debussy +, sendo o principal objetivo desenvolver as capacidades de apreciação musical, evitando termos demasiado técnicos, mas sem receio de explorar os pilares da construção musical.

   Neste Pré-Concerto de Sexta 15 de Fevereiro o tema é Gigues de Claude Debussy, que ontem referimos e consta do concerto repetido às 19h deste dia.

   A entrada é livre, sujeita à disponibilidade de lugares e requer levantamento de bilhete.

 

?????????????????????????????????????????????????????

   Ainda na mesma Sexta-feira 15 de Fevereiro, a Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa organiza, para comemoração do seu 100º aniversário, na Aula Magna da Universidade de Lisboa, às 21h30, um concerto (de entrada livre sujeita à lotação da sala) pela Orquestra Sinfónica Juvenil dirigida pelo maestro Christopher Bochmann com a participação da pianista Teresa Pereira  de cujo programa constam :

      Wolfgang Amadeus Mozart   Abertura da ópera “Le nozze di Figaro”, K. 620

      Bertha Tressler   Suite

      Félix Mendelssohn-Bartholdy   Abertura “Die Hebriden” [oder “Fingalshöhle”], op. 26

      Johannes Brahms  Concerto para piano nº.1, em Ré menor, Op. 15

 

   Nesta Sexta-feira 15 de Fevereiro, numa iniciativa da Embaixada da Sérvia em Lisboa, há, às 18h30m, na Sala dos Espelhos do Palácio Foz, um Recital de violino e piano de entrada livre onde as intérpretes Jovan Kolundzija, violino e Vera Prokić, piano interpretarão obras dos seguintes compositores: Jean-Marie Leclair, Johann Sebastian Bach, Camille Saint-Saëns e Pablo De Sarasate.

 

   Proseguindo a Semana Cantoras Brasileiras integrada na celebração do «Ano Brasil-Portugal», terá lugar no Espaço Brasil (LX Factory – Rua Rodrigues de Faria, 103 – Armazém L) nesta Sexta-feira 15 de Fevereiro, às 22h30, um espectáculo com a cantora Jussara Silveira.

jussara_silveira_medio   Neste show para Lisboa, a par de apresentar o álbum “Flor Bailarina – O Brasil Abraça Angola”, com canções angolanas, a cantora mostra composições brasileiras do disco “Ame ou se Mande” (2012), também editado pela Dubas/Universal.

   Em ambos os discos e no show que os reúne, Jussara conta com uma formação intimista, concebida para ressaltar a força dessas canções, constituída pelo percussionista e baterista Marcelo Costa e pelo pianista Sacha Amback, a perfazer um diálogo de instrumentos bastante original, novo na sua trajectória. O trio assina os arranjos do disco, que entre as músicas inéditas inclui uma melodia composta pelo filósofo e compositor brasileiro José Miguel Wisnik para um poema de Fernando Pessoa “Tenho Dó das Estrelas”, que Jussara interpreta numa concepção que se avizinha à “levada” da morna cabo-verdiana.

cd-dvd-25   Outra novidade é a inspirada versão que o compositor e poeta baiano Ariston deu ao sucesso de Billie Holiday, “Love or Leave Me”, que agora surge como “Ame ou Se Mande”, a emprestar título ao disco. “Um suspense resiste em mim / Vou morrer de ser assim…” são os versos de abertura dessa música.

   O restante concerto traz, ainda, compositores como Caetano Veloso (“Madre Deus”), Moraes Moreira e Luiz Galvão (“Dê um Rolê”), Zeca Baleiro (“Babylon”) e Arnaldo Antunes, Carlinhos Brown e Marisa Monte (“Contato Imediato”). A canção de abertura é a muito especial “A Voz do Coração”, de Ronaldo Bastos e Celso Fonseca, que alude às escolhas da cantora, sempre ditadas pela vivência integral dos universos e conteúdos que expressam.

   Eis uma boa interpretação do “Contato Imediato” de Marisa Monte e amigos. Quem tiver curiosidade pela versão brasileira do “Ame ou Se Mande” da Billie Holiday, ei-la :   http://youtu.be/jac8NwMZAk0

 

   Indo ao campo do jazz, no Jardim de Inverno do São Luiz Teatro Municipal há, às 23h30 desta Sexta-feira 15 de Fevereiro, uma “estreia absoluta” quando Laurent Filipe trompeteJoão Paulo Esteves da Silva acordeon e piano e Carlos Barretto contrabaixo, «três grandes músicos se reunirem em torno de um reportório inspirado e inspirador, marcado por uma forte expressão emocional, contrastada com uma lírica ressonância melódica…» (segundo o programa, que continua gracejando) «… Porque a música não se explica, indispensável mesmo é senti-la e “ver” com os próprios ouvidos !».

   O concerto repete-se no Sábado 16 de Fevereiro às mesmas 23h30.

 

andré carvalho groupandré carvalho 2   Quanto ao Hot Clube de Portugal, às 23h desta Sexta-feira 15 de Fevereiro (mas também na véspera Quinta 14, bem como no Sábado seguinte 16 de Fevereiro), o contrabaixista André Carvalho apresenta, na véspera de gravar o seu segundo disco, o seu novo grupo no Hot, constituído por Jorge Reis (saxofone), Zé Maria (saxofone), Jeffery Davis (vibrafone), Martin Reiter (piano), Bruno Santos (guitarra) e João Rijo (bateria).

   Após o sucesso do seu primeiro disco “Hajime”  (vencedor do prémio Carlos Paredes 2012), o André Carvalho Group irá para estúdio, onde gravará novas composições do contrabaixista. Neste trabalho participarão alguns dos nomes mais importantes da cena jazzística nacional, seus colaboradores anteriores, e juntar-se-á ao grupo, ao piano, Martin Reiter, colega de Carvalho do tempo em que este residiu em Viena.

   Este é o tema “Clarabóia” tocado em Setembro de 2012 no lançamento do álbum “Hajime” :

 

300px-MarcioFaraco20090914   Segundo o Onda Jazz, a 15 de Fevereiro (Sexta-feira), às 22h30, apresentar-se-á no seu palco “um dos compositores mais originais e criativos da música popular brasileira”, de seu nome Márcio Faraco com o seu sexto álbum “O tempo”.

1317967152_marcio-faraco-o-tempo-2011   “Com sua voz suave, suas canções originais e seus arranjos sofisticados, Márcio Faraco traz os ritmos brasileiros em nuances de jazz e folk. Neste seu mais recente opus ele evoca a nostalgia, elo natural da música portuguesa com a música brasileira, banhada de sons indígenas e africanos. Os temas são quase sempre histórias autobiográficas, objectos de uma viagem íntima.

   “Márcio Faraco e o grande violonista Hervé Morisot revezam-se nesse álbum entre subtileza e força, calma e swing, construindo uma trama melódica para interpretá-lo”.

   O leitor que ajuize num dos seus temas “Acaso, sorte ou destino” :

404882_502659046458397_1223685278_n   Por último. dinamizado pelo Movimento Perpétuo pela Musica Tradicional Portuguesa, o “Fernando Marques Ensemble, surgido em 2011, vai apresentará na Sexta-feira 15 de Novembro, às 21h30, no Auditório Carlos Paredes (Av. Gomes Pereira, nº 17, a Benfica), um espectáculo evocativo da obra da família Paredes, na sua íntima relação com a guitarra de Coimbra e com o fado de Coimbra.

   Nesta sessão de entrada livre serão interpretados temas à guitarra de Gonçalo Paredes, Artur Paredes e, naturalmente, Carlos Paredes. Por outro lado, ouvir-se-ão fados de Edmundo Bettencourt e de Luís Goes que, ao longo das suas carreiras musicais, se cruzaram com a família Paredes.

   Fernando Dias Marques, na guitarra de Coimbra, e Paulo Larguesa, na guitarra clássica, são os músicos que asseguram a base instrumental que, neste espectáculo, acompanhará o cantor Nuno Silva.

 

 

(para as razões desta nova forma de Agenda ler aqui ; consultar a agenda de Quarta aqui)

 

 

1 Comment

Leave a Reply