Pentacórdio para Quarta-feira 20 de Fevereiro

por Rui Oliveira

 

 

 

   Voltam a não ser muitos os eventos marcantes desta Quarta-feira 20 de Fevereiro e deles tenderíamos a destacar a estreia absoluta que se verificará no Centro Cultural de Belém, na sua Sala de Ensaio, às 11h, da peça “Isaac” pelo Teatro Praga (Portugal).

isaac   Ficará em exibição até 24 de Fevereiro (a horas diversas).

   A interpretação caberá a Pedro Zegre Penim e Rita, sendo a cenografia de Bárbara Falcão Fernandes e ficando a iluminação a cargo de Daniel Worm d’Assumpção.

   Pedro Penim, principal criador do texto, fala sobre ele :

   «Como é que posso fazer um espectáculo sobre os direitos dos animais, sem cair na asneira do paternalismo? Como é que posso contar uma história tão velha como o mundo, tão fundamental como o oxigénio, sem aborrecer? Como é que posso falar da nossa herança civilizacional, que passa de pais para filhos e que nos obriga a assumir responsabilidades sobre o destino do mundo?

   A história de Isaac quer responder a tudo isto: conta-se como um dos velhos filmes de Walt Disney que procura o clássico para dar um passo em frente. E conta com três ajudas preciosas:

   A de cada espectador, no papel de Isaac.

   A minha, no papel de pai, que já estou em boa idade.

   E a da minha cadela Rita, que interpreta o cordeiro, um papel de composição que certamente lhe dará o Oscar de Melhor Cão Principal.»

 

 

 5_ffee2447b152494b43d9816faaea83c8_m

187792_460471987333522_776013346_n   Outro acontecimento desta Quarta-feira 20 de Fevereiro, este musical, é um concerto inédito oferecido pelos Solistas da Escola Superior de Música de Lisboa por ocasião do “Festival Debussy+”, o qual será transmitido em directo pela rádio Antena 2, e que terá lugar noAnfiteatro do Institut Français de Portugal, às 19h.marc-antoine dalbavie 3

   A sua direcção estará cargo de Marc-André Dalbavie (compositor residente na Fundação Gulbenkian em 2012-13), actualmente responsável desde Novembro naquela Escola Superior por um workshop de composição de obras vocais/orquestrais.

   No programa, além obviamente de Claude Debussy, há Luís de Freitas Branco, mas também uma peça de Marc-André Dalbavie, bem como uma estreia mundial do compositor Nuno da Rocha. Assim em pormenor teremos de :

 

      Luís de Freitas Branco  Serres Chaudes (Maurice Maeterlinck) [1.Désirs d’ hiver, 2. Heures ternes, 3. Feuillage du coeur, 4. Élévation (Charles Baudelaire)]

                 com Carlos Monteiro, tenor e Duarte Martins, piano

      Claude Debussy  Ariettes Oubliées (Paul Verlaine) [ 1. L’extase langoureuse, 2. Il pleure dans mon coeur, 3. Green ]

                 com Ana Tomás, soprano e Duarte Martins, piano

      Nuno da Rocha  Claude in a Cage (primeira audição absoluta)

                 com João Barradas, acordeão e José Valente, acordeão

      Marc-André Dalbavie  Axiom (estreia portuguesa)

                 com Iryna Brazhnik, piano, Patrícia Silva, clarinete, Cidália Torres, fagote e Marco Silva, trompete

 

   Não havendo necessariamente registo das peças em estreia, deixamo-vos com a interpretação que Barbara Hendricks faz (com Michel Beroff ao piano) do primeiro tema “C’est l’extase langoureuse” das “Ariettes oubliées” de Debussy :

 

   Poderão, por outro lado, ouvir-se as seis “Ariettes oubliées” na voz de outra soprano norte-americana Cheryl Studer aqui :

http://www.youtube.com/watch?v=J0fgrEEJugk&feature=share&list=PL217B97590F58E3E7

 

 

 

   No capítulo das sessões cinematográficas à margem do circuito comercial, lembramos que termina nesta Quarta-feira 20 de Fevereiro, com a sua quarta sessão, o Ciclo de Cinema «Portugal visto de fora» que, desde o dia 6, se tem vindo a realizar no Anfiteatro I da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, organizado pelo Centro de História (grupo Memória e Historiografia) do Instituto de Cultura e Língua Portuguesa.Wim Wenders State_of_things

   A entrada é livre.

Wim-Wenders-large2 - Copy   O filme em exibição neste encerramento é “The State of the Things”“O Estado das Coisas” (Alemanha, 1982) de Wim Wenders, com argumento do próprio, de Josh Wallace e Robert Kramer. No elenco estão Patrick Bauchau (o realizador Friedrich Munro), Roger Corman (o Advogado), Artur Semedo (o Produtor), Robert Kramer (o Operador de Câmera), Samuel Fuller (como Joe), além de outros actores.

   Sinopse:  Durante as gravações do filme “The Survivors”, em Portugal, uma equipa de filmagem passa por uma série de dificuldades, entre elas a película e o orçamento que se esgotam antes mesmo de concluírem as filmagens. Além disso, o realizador que veio filmar os “sobreviventes” da catástrofe, vagueia, à procura de alguém e perde-se… E não volta.

    A troupe  aguarda o seu regresso, num hotel abandonado, à beira-mar (o “Hotel das Arribas”, na Praia Grande, ainda pintado de branco e azul, mas no filme a preto e branco, claro…). Preocupada, assustada e aborrecida,  vai filosofando para passar o tempo e o medo…

 

   Este é o trailer alemão do filme em que são visíveis as imagens de Lisboa e arredores, onde a película foi rodada :

 

   Para “abrir o apetite”, contudo, optamos por mostrar-lhe o início do filme (falado em inglês com legendas francesas) que traduz melhor o ambiente criado :

 

 

 

 

img_188496981_1326846772_abig - Copytorretombo - Copy   Por último, como conferência, sugerimos a que fará no Arquivo Nacional Torre do Tombo, às 15h desta Quarta-feira 20 de Fevereiro, o ex-director do MNA Luis Raposo sobre «Do”Museu do Homem Português” ao Museu Nacional de Arqueologia», numa sessão onde será apresentado o programa comemorativo do 120º aniversário da fundação do Museu Nacional de Arqueologia e lançado pelos CTT um inteiro postal alusivo àquela comemoração.

 

  

(para as razões desta nova forma de Agenda ler aqui ; consultar a agenda de Segunda aqui)

 

 

 

 

1 Comment

Leave a Reply