Pentacórdio para Domingo 10 de Março

por Rui Oliveira

 

 

   Duas prestações musicais disputam o destaque neste Domingo 10 de Março, a nosso ver.

 

00001105_0001

   Por um lado, no Grande Auditório da Fundação Calouste Gulbenkian, às 18h, actua pela primeira vez para o público português nesta época a Gustav Mahler Jugendorchester (GMJO) que se encontra em residência na Fundação de 7 a 17 deste mês.

leo mc fall_im   Já referimos anteriormente a origem desta orquestra, fundada em 1986 pelo maestro Claudio Abbado para preparar os jovens músicos para uma carreira futura, através da colaboração com figuras de topo, colocando-os nos mais importantes palcos do mundo ou atribuindo-lhes um repertório exigente.

nicholas angelich   É assim que à sua frente está hoje Leo McFall (foto dir.), pouco mais velho que os membros da orquestra mas já com experiência de maestro assistente da GMJO, colaborando com nomes como Boulez ou Haitink. Para tocar com eles, virá o pianista norte-americano Nicholas Angelich (foto esq.), reconhecido intérprete dos repertórios clássico e romântico, a solo ou em colaboração com grandes orquestras e maestros de renome internacional, sendo também um pianista de particular relevância no domínio da música dos compositores do séc. XX.

   No programa encontram-se obras de :

 

      Marc-André Dalbavie  Melodia

      Wolfgang Amadeus Mozart  Concerto para Piano e Orquestra nº20, K. 466

                                                          Adagio e Fuga, K. 546

      Jean Sibelius  Sinfonia nº7, op. 105

 

   Não havendo registo de qualquer destes temas e tendo Nicholas Angelich trabalhado na sua juventude Rachmaninov (publicou um CD em 1995 Plays Rachmaninov), deixamos-lhe a execução do andamento Finale. Alla breve  do seu Concerto para Piano e Orquestra nº 3, aqui com a Orchestre Philharmonique de Radio France dirigida por Myung-Whun Chung :

 

 

 

 

   Por outro lado, no mesmo Domingo 10 de Março, respirará um ambiente musical um pouco diferente quem fôr ao Pequeno Auditório do Centro Cultural de Belém às 17h pois espera-o “Violoncelo : um programa russo”.

artur pizarropavel gomziakov   Justifica-o o programa divulgado : «Do romantismo tardio de um Rachmaninov ao desenvolvimento da música no contexto da revolução cultural soviética, a força da música russa pode ser apreciada neste programa, que nos leva por uma viagem ao mundo do violoncelo e do piano, com obras de Rachmaninov, Miaskovsky e Shostakovich.

   A passagem do séc. XIX para o séc. XX representa uma radical mudança de valores ao nível dos mais diferenciados aspectos da vida social, ciência e arte, criando a sensação de uma crise geral na mentalidade europeia. A Rússia participa neste processo de maneira especialmente manifesta … O ambiente de total instabilidade característico das épocas de transição histórica originou o aparecimento de um amplo leque de correntes artísticas, como nunca antes se vira nos horizontes da cultura russa».

   Escolhidos para interpretar este espírito estarão em palco o conhecido pianista português Artur Pizarro e o igualmente conhecido violoncelista russo Pavel Gomziakov, cúmplice habitual de Maria João Pires.

   No programa :

 

      Nikolay Myaskovsky  Sonata para violoncelo e piano n.º 1, op. 12

      Dmitiri Shostakovich  Sonata para violoncelo e piano, op. 40

      Sergei Rachmaninov  Duas peças para violoncelo e piano, op. 2  

                                             Sonata para violoncelo e piano, op. 18 

 

 

 

picture_mini   Também no Domingo 10 de Março é possível ainda outro programa musical, agora de canto, deslocando-se à Sala dos Espelhos do Palácio Foz às 17h onde, por iniciativa de Vocare (Instituto Profissional da Voz e da Comunicação), se ouvirá um Recital de Canto com entrada livre.

   Estarão presentes Olga Prats  piano, Isabel Maya soprano e Isabel Pimentel  violeta para interpretar obras de Johannes Brahms, mais precisamente Brahms Lieder.

   É esse exactamente o título do trabalho discográfico que as três artistas acabam de lançar, servindo o concerto para a sua divulgação.

   Mostramos-lhe aqui um vídeo com duas dessas canções “Zwei Gesänge –  Geistliches e Wiegenlied”, ao mesmo tempo que lhe disponibilizamos outra aqui “Von Ewiger Liebe”http://youtu.be/6tHnNSL6OT8

 

 

 

 

 

   Num espaço muito diferente, o Espaço Brasil (na LX Factory – Rua Rodrigues de Faria, nº 103 – Armazém L), o leitor poderá ainda neste Domingo 10 de Março assistir ao final da semana “Mil Faces do Brasil”, em que ambos os espectáculos são de entrada livre.

Dona Onete1   Aí, às 16h, Dona Onete, simpática e animada cantora e compositora paraense, cantará no seu show “Feitiço Caboclo”, algumas pérolas do seu inventivo e divertido repertório, com muita pimenta e malícia paraense.

   Nascida em Cachoeira do Ararí, Dona Onete, hoje com 73 anos, já foi professora de História, secretária de cultura e fundadora de grupos de dança e música regionais, como o Canarana, em Igarapé-Miri. Hoje, ela compõe e canta nos palcos as histórias, causos e lendas que, nas salas de aula, durante 25 anos ela ensinou.

   Eis como soa o “Feitiço Caboclo” de Dona Onete :

 

passocaalb_brevehis_142338_baixa   Às 18h é a vez do show “Breve História da Música Caipira”, onde o cantor e violeiro Passoca interpreta músicas de artistas clássicos do mundo da viola.

   Quando estudante, recebeu influências de João Gilberto e Chico Buarque, tocou bateria e violão, trocando esses instrumentos pela viola no final da década de 1970, influenciado por Renato Teixeira e Almir Sater. Lançou o seu primeiro disco, um compacto, em 1978. Desde então, editou mais seis CDs e participou em alguns outros, como os do projeto “Violeiros do Brasil”.  

   E eis como Passoca no seu show “Voa Viola” canta o tema Perto da Lagoa  :

 

 

 

 

lisboa-irish-festival   E por falarmos de espectáculos na LXFactory, penitenciamo-nos por esta NOTÍCIA EM ATRASO : a de que amanhã Sábado 9 de Março chega a Lisboa e mais exactamente àquele espaço e na contígua livraria Ler Devagar, o “Lisboa Irish Festival”, um evento que celebra as artes e a cultura irlandesas.Wallis%20Bird%20Foto1%2007-05-23

   Das 17h de Sábado às o4h de Domingo será possível ouvir novos valores da música irlandesa contemporânea, mas também saber mais sobre a literatura, as artes plásticas e a gastronomia gaélicas.

   Sob a direcção de Conor Gillen, o programa inclui um encontro entre músicos irlandeses e portugueses, e concertos que cruzam a música tradicional com o rock, punk, pop e música electrónica. Os artistas e bandas previstas são Wallis Bird (foto), The Galaxie, Ham Sandwich e Ghost Estates e ainda Dj Set.

   Pode aqui aceder a algumas das músicas (interessantes) dum destes artistas, Wallis Bird :

http://www.youtube.com/watch?v=Fgn9a5Uyp5I&feature=share&list=AL94UKMTqg-9CCRW8e4Wp4b41QLp8YlS-H

   Será ainda inaugurada uma exposição de fotografia de Pedro Azevedo sobre futebol gaélico.

   Este vídeo de promoção resume a oferta disponível :

 

 

 

 

   Quanto a cinema “marginal” (no conceito que temos usado, fora do circuito comercial), lembramos apenas duas sessões deste fim de semana.

 

affiche_simonodon_fond   Uma, no Institut Français de Portugal, onde às 18h do Sábado 9 de Março é projectado o filme “Simondon du désert” (França, 2012), um documentário de François Lagarde e Pascal Chabot (legendado em Inglês).

simondon1-89025c2c   O seu tema, Gilbert Simondon (1924-1989)(foto), um filósofo tão misterioso quanto importante, influenciou grandemente a obra de outros pensadores franceses como Gilles Deleuze, Bernard Stiegler, Brian Massumi, Alberto Toscano e Pascal Chabot.

   O filósofo e co-realizador Pascal Chabot participará neste evento e estará disponível para conversar com o público após a projecção do filme, que se inscreve no âmbito do Colóquio  «Movimento e Mobilização Técnica » de 9 a 12 de Março no Institut français du Portugal, organizado pelo Prof. Doutor José Bragança de Miranda e o Centro de Estudos de Comunicação e Linguagens.

 

corpoceleste2011poster_f2   A outra, no Teatro do Bairro, integra-se no ciclo “Domenica al Cinema” ­– Encontro com o Cinema Italiano Contemporâneo e resulta de uma iniciativa do Instituto Italiano de Cultura de Lisboa em colaboração com a Associação Il Sorpasso.

   Após um Cine-Aperitivo às 20h (uma oportunidade de experimentar os sabores da cozinha italiana), segue-se às 21h a projecção de “Corpo Celeste” (Itália, 2011) de Alice Rohrwacher, com Yile Vianello, Salvatore Cantalupo e Pasqualina Scuncia, com entrada livre.

   Sinopse : No sul profundo de Itália, a história de Marta, uma adolescente de 13 anos em luta para encontrar o seu “lugar” na cidade que a viu nascer. Corpo Celeste é o relato na primeira pessoa sobre a entrada na adolescência.

   Eis o seu filme-anúncio :

 

 

 

 

(para as razões desta nova forma de Agenda ler aqui ; consultar a agenda de Sexta aqui )

 

 

 

 

1 Comment

Leave a Reply