TEATRO ABERTO – O GOVERNO QUER ACABAR COM A COMPANHIA DO TEATRO ABERTO

73188_2983921613353_566331441_n

Sobre o Teatro Aberto

  • O Novo Grupo – Teatro Aberto – foi fundado em 1982 por profissionais de teatro ligados aos primeiros grupos de teatro independente em Portugal. Foram seus fundadores: João Lourenço, Irene Cruz, Francisco Pestana e Melim Teixeira. Na linha de uma investigação dramatúrgica e teatral que estuda o homem nas contradições das diversas épocas e o modo como ele constrói ou desfaz o seu destino, o Teatro Aberto pretende apresentar um teatro em que a realidade e o sonho, a história e a poesia se manifestam no prazer da reflexão sobre a situação do homem no mundo. Para a concretização desse objectivo, o Teatro Aberto escolhe e trabalha sobretudo um repertório contemporâneo constituído por novos textos e novos autores da nova dramaturgia portuguesa e estrangeira. Desde Maio de 1982 que apresentamos um repertório de teatro contemporâneo, nacional e estrangeiro e desde 2002 que investimos num repertório musical essencialmente composto por óperas sob a direcção do Maestro João Paulo Santos; – Fomentámos o desenvolvimento da nova dramaturgia portuguesa, quer convidando autores, como Fernando Dacosta, José Saramago, Clara Pinto Correia e Mário de Carvalho, a escreverem peças originais para a nossa companhia, quer promovendo, em conjunto com a SPA, o Grande Prémio de Teatro Português que, para além da sua vertente pecuniária, da edição e tradução da peça premiada, tem, na representação da peça pelo Novo Grupo, a sua componente principal; – Programámos séries de peças em ciclos temáticos como o Ciclo de Peças Americanas, o Ciclo de Peças para a Juventude, o Ciclo de Peças Portuguesas e o Ciclo Neil LaBute; – Produzimos espectáculos musicais como Happy End, A Ópera de Três Vinténs, Sweeney Todd e O Mar é Azul, Azul e fizemos co-produções como Mãe Coragem e os seus Filhos, O Caminho para Meca, Sweeney Todd, Menina e Moça e O Bobo e a sua Mulher esta Noite na Pancomédia; – Obtivemos cerca de 70 prémios para produção, interpretação, cenografia, figurinos e encenação, atribuídos quer por entidades privadas, quer estatais, quer ainda municipais; – Organizámos Encontros com a presença de autores portugueses e estrangeiros, para incentivar a leitura, tradução e representação de textos de teatro contemporâneo e promovemos Debates sobre temas ligados às peças apresentadas, entre muitas outras actividades que podem ser consultadas no nosso site: http://www.teatroaberto.com. Inaugurámos a 24 de Fevereiro de 2002 o novo Teatro Aberto com duas Salas, Vermelha e Azul, um Foyer e um Restaurante, o Pano de Boca.
  • Vive em Lisboa

1 Comment

  1. A nova ordem europeia através dos seus tentâculos-governo em cada um dos países, odeia o teatro e a música, não quer financiar e não quer representações, como se isso fosse decisão deles, pois o teatro é património de tod@s.
    Solidariedade da Galiza e força para os protestos. Não pode ser que uns caras de pau manejem a vida das pessoas.

Leave a Reply