CONFERÊNCIA “O VALOR DA PAIXÃO NO BEBÉ E NA FAMÍLIA – PARA UMA CIÊNCIA DA FELICIDADE “ por clara castilho

9349741_b7nUl

Esta conferência realizou-se nos dias 7 e 8 em Lisboa, na Fundação Gulbenkian, com alguns dos mais conceituados especialistas mundiais no campo da Pediatria, da Psicologia e das Ciências Sociais. Resultou de uma parceria da Fundação Gulbenkian com a Fundação Brazelton/Gomes-Pedro para as Ciências do Bebé e da Família.

 O objectivo foi fornecer pistas para uma adequada intervenção educacional e social orientada para o Bebé e para a Família, promovendo o debate em torno das novas orientações e linhas de actuação que têm vindo a ser introduzidas nesta área e que levaram a incorporar no léxico científico da especialidade conceitos novos como é o caso da felicidade. Esta iniciativa faz parte integrante de um Curso Pós Graduado de Aperfeiçoamento dedicado às Ciências do Bebé e da Família, leccionado na Universidade de Lisboa.

phpThumb_generated_thumbnailjpg

 

João Gomes-Pedro, falando sobre o conceito de felicidade , frisou que ele passou a incorporar o discurso científico, designadamente no campo das ciências do bebé e da família, assentando, primeiramente, no facto de o “ser” e o “pertencer” constituírem um dos pilares de sustentação da resiliência infantil. É a capacidade de criar “estádios diádicos da consciência” com alguém muito especial – em primeiro lugar a mãe e o pai – que garante um sentimento de coerência identificado com um estado de maior ou menor felicidade. Muito do mistério desta consciência de pertença, está contido no sorriso, enquanto paradigma da emoção-afecto. O sorriso exprime o que faz sentido numa relação e acreditamos hoje ser este “fazer sentido” uma autoconsciência da felicidade.” (…)

O neurocomportamento do bebé não é só biológico, mas faz parte dum processamento social. A regulação tem implicações também sociais, primeiramente geradas no seio da família. A paixão é o que faz ter sentido cada momento do desenvolvimento, em cada um dos touchpoints da vida. Nesta conferência, cada profissional será, sobretudo, um mediador de felicidade, que, por sua vez, é investida em cada bebé, na sua família.

Com a criação da NBAS (Neonatal Behavioral Assessment Scale) por Berry Brazelton há cerca de meio século, enquanto instrumento de avaliação totalmente inovador, porque estruturado nas competências extraordinárias do bebé, até então desconhecidas, passou a ser a ser possível «ler» o bebé, designadamente o seu temperamento, a sua vulnerabilidade e as suas capacidades relacionais.

Foi a partir desta leitura que Brazelton construiu o Modelo Touchpoints sendo paradigmático o 2º. Touchpoint da vida que é o Nascimento.  Em Portugal, a primeira Tese de Doutoramento utilizando o instrumento NBAS, deu-se em 1985.

A partir de então, o ensino pré-graduado em várias Faculdades incorporou uma nova forma de intervir com as famílias a partir da descoberta partilhada do Bebé. 

Foi o primeiro Centro Brazelton a funcionar fora dos Estados Unidos da América, dedicando a sua actividade à formação de profissionais de diversas áreas do saber.

A partir de 2010, o Centro Brazelton foi incorporado na «Fundação Brazelton/Gomes-Pedro para as Ciências do Bebé e da Família», criada em 01 de Março de 2010.

Leave a Reply