POESIA AO AMANHECER – 285 – por Manuel Simões

poesiaamanhecer

AL BERTO

( 1948 – 1997 )

DIZEM QUE A PAIXÃO O CONHECEU”

Dizem que a paixão o conheceu

mas hoje vive escondido nuns óculos escuros

senta-se no estremecer da noite enumera

o que lhe sobejou do adolescente rosto

turvo pela ligeira náusea da velhice

conhece a solidão de quem permanece acordado

quase sempre estendido ao lado do sono

pressente o suave esvoaçar da idade

ergue-se para o espelho

que lhe devolve um sorriso tamanho do medo

dizem que vive na transparência do sonho

à beira-mar envelheceu vagarosamente

sem que nenhuma ternura nenhuma alegria

nenhum ofício cantante

o tenha convencido a permanecer entre os vivos

(de “O Medo”)

Poeta, pintor e editor. Da sua extensa obra poética: “Trabalhos do Olhar” (1982), “O Medo” (1987), “O Livro dos Regressos” (1989), “A Secreta Vida das Imagens” (1991), “Luminoso Afogado” (1995), “Horto de Incêndio” (1997).

Leave a Reply