POESIA AO AMANHECER – 326 – por Manuel Simões

poesiaamanhecer

                                   ARLINDO BARBEITOS

                                     ( 1940 )

            EU QUERO ESCREVER COISAS VERDES

             Eu quero escrever coisas verdes

            verdes

            como as folhas desta floresta molhada

            verdes

            como teus olhos

            que só a saudade deixa ver

            verdes

            comoa menina duma trança só

            que soletra em português sa-po sa-po

            verdes

            como a cobra esguia que me surpreendeu

            naquela cubata sem outra história

            verdes

            como a manhã azul

            que acaba de nascer

             eu quero escrever coisas verdes

             (de “Angola, Angolê, Angolema”)

 Poeta e etnólogo. Esteve exilado em França, Suíça e Alemanha Federal (1961-1971). Colaborou em várias publicações portuguesas, alemãs e angolanas. Obra poética: “Angola, Angolê, Angolema” (1976) e “Nzoji” (Sonho, 1979), dois vols. que retomam parte da sua produção publicada em edição bilingue na Alemanha. E ainda: “Fiapos de Sonho” (1990) e “Na Leveza do Luar Crescente” (1998).

Leave a Reply