EDITORIAL – A terceira pior economia da zona euro.

Imagem2Portugal tem, de acordo com um estudo recente, o terceiro poder de compra mais baixo entre os 17 países da zona euro, ficando apenas atrás de si a Estónia e a Grécia. Noutro plano considerado no estudo – o de  37 países europeus, o seu PIB per capita situa-se na segunda metade da tabela, em 21º lugar. Pois é perante um quadro que já está longe de ser brilhante que transpomos o limiar de mais um ano e que se anunciam medidas que, como tudo o indica, vão agravar a situação das famílias portuguesas.

O 2014 é uma criança recém-nascida e, apenas com dois dias de existência, já nos ameaça com  assustadoresImagem1 vagidos – aumento do custo dos transportes, do custo da energia eléctrica, arrendamentos, telecomunicações e internet, gás, audiovisual, restauração…  Quarenta anos depois da madrugada libertadora de Abril, e após a euforia de nos termos integrado na União Europeia, a mais forte economia do mundo, estamos de novo numa situação que, não sendo tão dramática como era a de 1974, nos coloca terríveis problemas. O cartoon de Dorindo Carvalho sintetiza a situação – no que tanto pode ser o embrulho de um presente como uma ratoeira, 2014 é-nos oferecido como uma ameaça.

O exponencial aumento de qualificações dos jovens, qualificações em grande parte obtidas pelo esforço de todos, vai ser aproveitado por outros países. Já quase não exportamos mão-de-obra não especializada. Em 2013, 100 a 120 mil portugueses emigraram. Na sua maioria, jovens. Médicos, arquitectos, engenheiros, professores, formados em Portugal, com o dinheiro dos nossos impostos, mas que vão empregar o saber adquirido ao serviço de países mais ricos.

 Vamos comemorar o 40º aniversário de uma Revolução libertadora. Como quem comemore a liberdade entre as paredes de um cárcere.

Leave a Reply