EDITORIAL – DEVEMOS SER NACIONALISTAS?

logo editorial

Os jogos com as palavras nem sempre são inofensivos. Por vezes a má compreensão sobre o sentido e o alcance que se dá a um determinado termo pode ajudar a transmitir ideias erradas. É o caso do nacionalismo. Se alguém achar que uma coisa tão importante como a valorização da sua cultura, da sua origem ou da sua terra faz com que se possa sentir superior a outrem, poderá colocar-se a si e a outros em conflitos graves. Pergunta-se: o nacionalismo é uma coisa boa ou má?

O problema do nacionalismo está a reaparecer por todo o lado na Europa. Aqui ao lado, no reino espanhol, na Catalunha, fala-se em fazer um referendo para auscultar os seus cidadãos sobre a independência. E, no chamado Reino Unido, em Setembro vai-se fazer mesmo um referendo sobre a independência da Escócia. A necessidade de se procurar entender melhor o conceito de nacionalismo está na ordem do dia, até porque qualquer passo que se dê no campo da política tem sempre implicações, e estas vão por vezes por caminhos diferentes dos que inicialmente se previam. Permitam que vos sugira a leitura do texto I’m a Nationalist, de David Morgan, saído no site Bella Caledonia, favorável à independência da Escócia, tanto quanto nos foi possível compreender. O link é este:

http://bellacaledonia.org.uk/2014/04/03/i-am-a-nationalist/

A União Europeia, talvez seja melhor dizer a Comissão Europeia, que ainda lá tem o “nosso” Durão Barroso, tem tomado posição contra estas manifestações. Já referiu em relação tanto à Catalunha como à Escócia, que, se optarem pela independência, ficarão automaticamente excluídas da organização. E que a readmissão será um processo complexo. Claro que aqui também se trata de uma questão susceptível de ser vista de diversas maneiras. Mas a maneira como a questão foi abordada pelas altas autoridades europeias autoriza a dizer que não são favoráveis a este tipo de manifestações. Não será difícil descobrir diferenças entre esta atitude e a tomada, por exemplo, no caso do Kosovo. Também por isto, será de toda a vantagem debruçarmos cada vez mais sobre esta questão de se devemos ser nacionalistas. Ou patriotas, tendo aqui em atenção que David Morgan, para o continuarmos a citar, rejeita pertencer a esta segunda categoria. Será diferente ser nacionalista, de ser patriota, como ele diz? Uma coisa é certa: não é apenas uma questão de semântica.

 

About joaompmachado

Nome completo: João Manuel Pacheco Machado

3 comments

  1. Do you mind if I quote a couple of your articles as long as
    I provide credit and sources back to your weblog?
    My website is in the very same niche as yours and my users would certainly benefit from
    some of the information you provide here. Please let me know if this ok with you.
    Regards!

    Gostar

  2. Teresa B

    “Ninguém ama a Pátria por ser grande,mas por ser sua”
    Não me lembro do autor deste notável verso,mas acredito que reflecte bem o que é o sentimento pátrio saudável.
    Naciolismo é um anacronismo, cheira a regime totalitarista e a môfo.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d bloggers like this: