POESIA AO AMANHECER – 453 – por Manuel Simões

poesiaamanhecer

 

IVAN JUNQUEIRA

( 1934 )

 

FLOR AMARELA

 

            Atrás daquela montanha

            tem uma flor amarela;

            dentro da flor amarela,

            o menino que você era.

 

            Porém, se atrás daquela

            montanha não houver

            a tal flor amarela,

            o importante é acreditar

            que atrás de outra montanha

            tenha uma flor amarela

            com o menino que você era

            guardado dentro dela.

 

            (de “Os Mortos”)

 

Poeta, crítico literário e trdutor. Importante voz poética da geração de 60, a sua poesia revela, por vezes, inquietações metafísicas. Da sua obra poética: “Os Mortos” (1964), “A rainha arcaica” (1980), “Dias Idos e vividos” (1981), “Testamento de Pasárgada” (1981), “A sombra de Orfeu” (1984), “O signo e a Sibila” (1993), “A sagração dos ossos” (1994).

1 Comment

Leave a Reply