CARTA ABERTA aos ORGANIZADORES DO FESTIVAL DO DESASSOSSEGO, na CASA FERNANDO PESSOA – por Manuela Degerine

Com o pedido de publicação recebemos esta carta de Filipa Maria Torto Gonçalves, que passamos a reproduzir

pessoa_logo_01

 

Tantas personagens numa máscara

 

Exmos. Srs. Organizadores do Festival do Desassossego na Casa Fernando Pessoa

O vosso último debate reuniu Francisco José Viegas, Jorge Reis-Sá, Margarida Vale de Gato, Maria do Rosário Pedreira e Richard Zenith com o tema “Escritor, editor, tradutor: como convivem estes personagens numa só pessoa?” Chamo-me Filipa Maria e estive presente no auditório que não apenas transbordava de gente como também de curiosidade perante o fenómeno da homonímia… Ao vivo. Nada menos do que isto. Como é que o escritor Francisco José Viegas convive com o editor Francisco José Viegas? Um passa horas a escrever, o outro passa horas a ler?… (Será possível?) Interrogações que – entre tantas – nos haviam conduzido à Rua Coelho da Rocha.

Quero contudo manifestar que me pareceu superficial a apresentação dos convidados. São escritores, editores, tradutores: factos confirmados. (A conversa revelou que se editam e traduzem uns aos outros. Talvez também se escrevam: o público teve a sensação – saborosa – de assistir a um encontro entre amigos.) Porém serão apenas isto? Não havia o risco de alguns presentes, criaturas do contra, nunca coniventes, quase poderem pensar que a partilha do nome por três personagens constitui uma identidade banal, estando para mais todas ligadas ao livro, girando no universo das letras portuguesas, o qual Richard Zenith ali definiu com a palavra “promiscuidade”?… Para contrariar tal tentação poderiam os organizadores no mínimo ter alargado o convite a outras personagens que cada um abrigue no seu nome; e bastava um pequeno questionário para previamente as porem em evidência. Algo do género… Quantas horas passa a conduzir? E a cozinhar? E a cortar relva? E a cuidar das unhas? E a brincar com os filhos? (Uma dinâmica que Jorge Reis-Sá ainda tentou improvisar no antagonismo entre o Leitor e o Pai de Família.) Questionários mais abertos teriam revelado outras personagens, contudo estas cinco – Motorista, Cozinheiro, Jardineiro, Manicura, Educador – já instalavam no debate alguma diversidade de pontos de vista. Ou alguma surpresa. Ouso imaginá-lo: alguma antinomia.

Grata todavia pelo exercício de personalização ao qual assistimos, escrevo a carta com o objetivo (não crítico) de contribuir para um alargamento, sempre possível, da pluralidade homonímica e despeço-me com os meus cumprimentos pessoanos,

                                                                                              Filipa Maria Torto Gonçalves

 

________

Para ver mais sobre o Festival do Desassossego vá a:

http://aviagemdosargonautas.net/2014/06/08/casa-fernando-pessoa-festival-do-desassossego-programa-10-a-13-de-junho/

Leave a Reply