OS MEUS DOMINGOS – MONÓLOGO DO ENGRIPADO – por ANDRÉ BRUN

Imagem1

 

1881 - 1926
1881 – 1926

 

I

Quando comecei a sentir uns arrepios de frio, um círculo de ferro a apertar-me as fontes, quando os olhos me começaram a chorar e fui sacudido por uma série de catorze espirros, esfreguei as mãos de contente e disse cá para comigo:

– Ora graças a Deus que vou estar doente!

E já me via deitado ao comprido no meu leito Henrique II-D.to mirando com delícias os florões de gesso do tecto do meu quarto, enquanto sobre os meus lençóis de finíssima bretanha se acumulavam os cobertores de papa e os edredons de seda de fantasia.

Já saboreava de antemão a delícia das cápsulas de piramidon e de cloridrato de quinino, que o meu médico assistente, um dos mais simpáticos Esculápios da nossa praça, não deixaria de me receitar. Não era impossível que também me mandasse tomar uma limonada de citrato de magnésia, uma das bebidas mais capitosas que a fantasia dos homens tem inventado. O citrato tem por complemento directo a canja com uns raros baguinhos de arroz e – não sei se V. Ex.as são como eu – quem me tira uma canjinha para doente tira-me tudo.

Já estava antegozando a carícia fria e cortante do termómetro gelado que se introduz no sovaco ardente e, como a certa altura não deixaria de ter tosse, a minha fantasia delirava a cismar que breve a cútis do meu peito ebúrneo sentiria o beijo voluptuoso das papas de linhaça.

… Aos regalos físicos que uma boa “gripe” nos traz, juntam-se os gozos de ordem intelectual e espiritual. Por exemplo, é sempre agradável para qualquer, ainda que esteja habituado a ler o seu nome em letra redonda, abrir uma gazeta e deparar nas “Notas mundanas” a seguinte notícia:

“Tem estado ultimamente doente, guardando o leito, o ilustre escritor F.”

Passados dias, o mesmo cronista mundano não deixará de comunicar às gerações contemporâneas que vamos melhorando, que estamos restabelecidos, etc. etc.

A notícia do nosso mau estado de saúde alvoroça naturalmente os nossos amigos. Uns vêm ao telefone e depois de terem errado quatro vezes a ligação, conseguem enfim saber que estamos doentes, mas que felizmente é uma coisa de nada, uma simples “gripe”, o que desconsola bastante os que esperavam que tivéssemos uma pneumonia dupla.

 

11 de Fevereiro de 1923

Leave a Reply