CONCORDÂNCIA DAS MINISTRAS DA IGUALDADE DE GÉNERO DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA por clara castilho

9349741_b7nUlQuem são os países da Comunidade de Língua Portuguesa? São Angola, Brasil, Cabo Verde, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Todos têm alguém, na área governamental, responsável pela igualdade de género – a nível de ministro, ou secretário de estado. Acontece que em todos, neste ano de 2014, este assunto está nas mãos de mulheres.

paises-de-lingua-portuguesa

No entanto, no documento que encontrei na internet está assim escrito “III REUNIÃO DE MINISTROS/AS RESPONSÁVEIS PELA IGUALDADE DE GÉNERO DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA” com o objetivo de discutir “Os Desafios na Prevenção e Eliminação da Violência Baseada no Género”.  Ministros/as? Quais eram os ministros? A dita Reunião ocorreu em Maputo, no dia14 de Fevereiro de 2014. E dela saiu uma “Declaração”. De Maputo, claro.

Apontando os avanços verificados, “ Registaram com apreço a forte determinação dos Países da CPLP em desenvolver os esforços necessários para a concretização dos ODM, nos Estados membros da CPLP, e contribuir para a consolidação ao nível global dos progressos em torno desses Objetivos;

 […] Saudaram ainda o Secretariado Executivo da CPLP pela realização da campanha sobre a eliminação da violência contra as mulheres, que foi lançada em simultâneo no dia 25 de Novembro de 2013. Comprometeram-se a “dar o seu rosto” para a Campanha da CPLP sobre a eliminação da violência contra as mulheres na sua edição de 2014.

[…] Consideraram a necessidade de acelerar, até finais de 2015, medidas tendentes a prosseguir os ODM; sublinharam, finalmente, a necessidade da Igualdade de Género, os Direitos das Mulheres e o seu empoderamento, estarem no centro da Agenda do Desenvolvimento pós-2015, através de um objetivo autónomo mas também, através da transversalização da abordagem de género nos restantes objetivos desta Agenda.

[…] Concordaram em promover e/ou reforçar a cooperação técnica e jurídica entre os Estados membros da CPLP com vista ao aperfeiçoamento dos seus quadros legais em matéria de combate a todas as formas de violência contra as mulheres e o fortalecimento dos programas nacionais de combate a todas as formas de violência contra mulheres e raparigas, em especial contra a excisão feminina e o tráfico de pessoas.

[…] Comprometeram-se a identificar fontes de financiamento e envidar esforços para a mobilização, captação e orçamentação de recursos, pelos Estados membros da CPLP, para promover ações sustentadas e contínuas em matéria de eliminação de todas as formas de violência contra as mulheres, com o objetivo de ter um orçamento bienal a ser apresentado e a transferir, num mecanismo subsidiário, para o Fundo Especial da CPLP.

[…] Felicitaram Graça Machel (Moçambique) e Emília Pires (Timor-Leste) pela sua integração no grupo das Nações Unidas encarregue de preparar a Agenda de Desenvolvimento Pós-2015. Aplaudiram a seleção de Georgina Benrós de Mello como Diretora Geral da CPLP, primeira mulher a ascender a este cargo.

As más línguas dizem que discutiram as toilettes, trocaram receitas, estilos de corte de cabelo e mostraram fotos de filhos e netos. Sim, isto também faz parte da vida das mulheres ( e dos homens, mesmo que não confessem…). Talvez também tenham falado do tempo da escravatura – de ambos os sexos – do colonialismo. Talvez também tenham falado da Copa de futebol…

 

 

1 Comment

Leave a Reply