POESIA AO AMANHECER – 488 – por Manuel Simões

poesiaamanhecer

VLADIMIR MAYAKOVSKI

             ( 1893 – 1930 )

 

 

            NOJO E ÓDIO PELA GUERRA

 

 

            A terra já não terá membros intactos

            e amanhã a alma será esmagada

            por pés estrangeiros

            e tudo isto para que um tipo qualquer

            possa estender as mãos

            sobre qualquer Mesopotâmia…

            Tu que combates por eles e morres,

            quando te levantarás de pé

            em toda a tua estatura

            e lançarás sobre a sua face

            a tua ira profunda

            num grito: “Porque é que

            se combate esta guerra?”

            (do poema “A guerra e a paz”, 1915-1916, versão a partir do italiano)

Poeta da “Revolução”, também autor de muitos cartazes de agitação.. Conotado com a vanguarda futurista, é dele o manifesto programático “Bofetada ao gosto do público” (1912). Fez parte do grupo que deu origem ao cubo-futurismo. A sua obra poética, dispersa por jornais e revistas, foi reunida em dois volumes: “Poesia” (1913-1930), “Poemas” (1914-1930.

 

 

Leave a Reply