MITO & REALIDADE – AS EDITORAS E O LIVRO ANO A ANO – 3 – Para a História da edição em Portugal – por José Brandão

Imagem1 (3)

1975

            Como era de esperar, um ano após a Revolução de Abril a situação editorial portuguesa é atingida por importantes modificações em todas as suas componentes.

            Aumenta a edição, no seu conjunto, e sobretudo a de livros de “ciências sociais e política” que durante os tempos mais próximos ultrapassarão a literatura. As tiragens sobem, há best-sellers, livros de grande procura, e as reedições são cada vez mais.

            Aumenta também o número de editores. Aparecem uma série de editoras ligadas a forças de esquerda, nomeadamente as EDIÇÕES AVANTE, que após longos anos de existência clandestina, experimenta agora os circuitos da nova legalidade.

            Os seus catálogos não enganam ninguém. Dizem claramente o que se pode esperar desta editora politicamente assumida:

As obras de formação marxista-leninista de base; os principais textos clássicos do marxismo-leninismo; a luta do Partido Comunista Português, (…) – eis os domínios fundamentais da produção editorial das Edições Avante!

 

            Não muito diferente, aparece nesta mesma altura a DIABRIL, produto de uma cisão política na antiga PORTUGÁLIA EDITORA, cujo passado remontava a 1943 e talvez, à data do 25 de Abril de 1974, a maior editora portuguesa – em 1973 tinha atingido o seu milésimo título de catálogo (A 27ª Mulher, de Irving Wallace). A DIABRIL também não esconde a orientação que procura seguir: uma editora portuguesa no caminho da revolução.

            Tem à sua frente conhecidas figuras da esquerda comunista e apresenta-se sem equívocos:

 

Num Portugal que queremos novo e socialista, uma editora comoDIABRIL tem um papel diferente a desempenhar.

Constituída em Janeiro e lançando os primeiros livros em Março, DIABRIL é uma cooperativa de autores e leitores.

Primeira cooperativa editorial, a DIABRIL precisa do apoio de todos os escritores e leitores progressistas. É necessário liquidar estruturas editoriais anquilosadas, agindo segundo métodos capitalistas.

É necessário que escrever ou editar livros deixe de ser uma actividade egoísta de satisfação pessoal ou material para se tornar uma actividade revolucionária, actuante e interventora.

 

            Ainda por esta altura, surgem na mesma linha as EDIÇÕES SOCIAIS, definindo-secomo uma: contribuição editorial para um Portugal Democrático rumo ao socialismo. E aparece também as EDIÇÕES “A OPINIÃO” estreando-se com a publicação do célebre livro de Álvaro Cunhal, Rumo à Vitória.

            Igualmente, por esta mesma ocasião, vêm a público uma série de pequenas editoras ligadas à extrema-esquerda, nomeadamente a EDITORA VENTO DO LESTE, as EDIÇÕES BANDEIRA VERMELHA, a EDITORA SEMENTES, qualquer delas identificadas com os comunistas do MRPP, desde sempre inimigo visceral dos comunistas do PCP.

“BEST-SELLERS” 1975 – «Expresso» 1/3/75

                                                   TÍTULO                                                      AUTOR                                         EDITOR

   OPÇÃO DO VOTO

   MISÉRIA DA FILOSOFIA                                                                          Karl Marx                                      VÁRIOS

   O ESTADO E A REVOLUÇÃO                                                                    Lenine                                            VÁRIOS

   TEXTOS FILOSÓFICOS                                                                             Karl Marx                                      ESTAMPA

   CINCO MESES QUE MUDARAM PORTUGAL                                           Otelo S. de Carvalho                      PORTUGÁLIA

   O MOVIMENTO DOS CAPITÃES                                                               Vários                                            MORAES

   O CAPITAL                                                                                                 Karl Marx                                      EDIÇÕES 70

   URSS                                                                                                          Seb. Gonçalves

   ALTERNATIVA SOCIALISTA                                                                      Roger Garaudy                               ARCÁDIA

   SAGRADA ESPERANÇA                                                                             Agostinho Neto                              SÁ DA COSTA

Leave a Reply