SOBRE OS LEOPARDOS QUE QUEREM BEM SERVIR BRUXELAS – DA ITÁLIA, FALEMOS ENTÃO DE UM BOM EXEMPLAR – 2. O PILOTO E O MOTOR GRIPADO, de GUGLIELMO RAGOZZINO

Selecção e tradução de Júlio Marques Mota

mapa itália

O Piloto e o motor gripado

Guglielmo Ragozzino, 04 de Julho de 2014, Sbilanciomoci.info

Il pilota e il motore ingrippato

 

O Renzismo posto à prova  / Sob a direcção de Renzi a  máquina Itália saberá enfrentar  todas as curvas, escreveu Il  Sole24Ore. Enquanto o motor não gripar.

A voz mais  crítica que se ouve sobre Matteo Renzi, é a de que este não suporta as críticas. Ele pediu e obteve o despedimento dos jornalistas que  lhe parecem ser contrários. Não manda no KGB, assumindo-se que o não faz porque não o tem à sua disposição;  em vez disso, serve-se, mais uma vez de acordo com boatos, mandando um aviso aos editores de jornais: “Aquele não o convidamos mais.” Os Diretores entendem e são rápidos em efectuar a mudança e em mesmo atenuar os tons. Por outro lado Renzi move-se  tão rapidamente, que actua a qualquer hora do dia, todos os dias, que um jornal não se pode dar ao luxo de ser eliminado e ficar de fora. Não convidado, portanto, privado de actualidade política, devido à ausência do seu repórter, daria a a impressão de não ter nada a dizer no dia seguinte, a não ser roubos em  apartamentos e, bem, acidentes de trânsito, com o descontentamento grave do editor”

Renzi não o manda dizer. O facto é que, a rigor, não confia em ninguém. Então, é ele próprio que avisa L’ Unità: “Eu não preciso de ter dois jornais”, e todos entendem que se avizinha  a fusão dos dois jornais do  Partido: L’Unità e Europa. O jornal que foi  fundado por Antonio Gramsci e  o outro. “Nós devemos mantermo-nos em  segurança – disse Renzi – não podemos dar-nos  ao luxo de ter dois jornais diferentes, duas histórias diferentes, temos que proteger o que é uma marca. As nossas festas  têm que voltar a ser da Unità. “. Em  pano de fundo, a assembleia aplaude.  Pode-se compreender: Renzi fala diretamente com as pessoas e junta-se a elas e com as suas frases curtas, tipo  Twitter; os jornais e os noticiários de televisão multiplicam-nas ao repetirem as suas mensagens. Os adversários vão-se agarrar a elas, os cómicos fazem delas um sucesso.  As frases curtas servem as suas finalidades, como serviram a Mussolini, o qual, na ausência dos outros tinha o hábito de as escrever  nas paredes, sobre os muros. Além disso, há as suas presenças em  palco, em público ou no mais pequeno espaço político local numa conferência sobre política, tudo ampliado pela televisão  e pelos outros media. Outros chefes de Estado e de Governo ficaram satisfeitos com noticiários e depois com as  primeiras e incertas transmissões de televisão. Revisitar esta realidade, décadas mais tarde, faz sorrir. Parece estar-se a sair do escuro do fundo do mar para entrar no espaço claro da democracia.

Renzi é muito sério: “Acho incrível que cada vez que há uma tentativa de travar uma  batalha na Europa, um toma o avião e ainda não tem tempo de aterrar já uma parte do seu  partido, ainda que minoritária, reabre discussões que pareciam fechadas, ultrapassadas. Uma atitude que se classifica  pelo que ela é e para o que não se precisa de mais palavras. (Renzi e le riforme: «L’accordo terrà», Barbara Fiammeri, Il Sole 24 Ore, 28 junho 2014). “IL Sole” sabe o que ele quer e  o que ele quer das  suas páginas. Assim, no domingo de  29 de Junho o jornal tinha a seguinte “caixa” : “O piloto e o motor.” Quem seja o piloto já o sabemos.  Roberto Napoletano, o director, para que não restem dúvidas, repete: “Estamos confiantes de que a força política e energia de Renzi garantem que a máquina Itália tem um condutor capaz de enfrentar todas as curvas.” Gostaríamos de sugerir a máxima atenção para o motor do carro, para que não perca voltas, ou pior, para que o motor não se gripe. De resto, no dia anterior, Giorgio Squinzi, presidente da Confindustria,  e principal editor do jornal antecipava já esta  metáfora: “O governo tem um motor de F1 de alta potência, e penso  que, em seguida, será  capaz de pô-lo em marcha,  porque isso é o que conta; Eu mantenho  a esperança. “Mas o motor o que é?

Ver original em:

http://www.sbilanciamoci.info./Sezioni/alter/Il-pilota-e-il-motore-ingrippato-25328

 

La riproduzione di questo articolo è autorizzata a condizione che sia citata la fonte: http://www.sbilanciamoci.info. La riproduzione di questo articolo è autorizzata a condizione che sia citata la fonte: http://www.sbilanciamoci.info. 

 

Leave a Reply