Posts Tagged: itália

Ano de 2019, ano de eleições europeias. Parte II – Imagens soltas de uma União Europeia em decomposição a partir de alguns dos seus Estados membros. 7º Texto – A Itália deve afastar os Estados-Membros da distopia neoliberal da zona euro

(Bill Mitchell, 5 de Novembro de 2018)

Enquanto a Comissão Europeia está a tentar intimidar a Itália para que “cumpra as regras”, o ponto óbvio é que as regras são enviesadas e contra  a prosperidade.As sociedades humanas não podem suportar uma austeridade prolongada nem as patologias que a acompanham (desemprego elevado, aumento da pobreza, salários baixos, rutura social). A juventude italiana enfrenta um futuro sombrio se esta situação se mantiver.

Ano de 2019, ano de eleições europeias. Parte II – Imagens soltas de uma União Europeia em decomposição a partir de alguns dos seus Estados membros. 7º Texto – A Itália deve afastar os Estados-Membros da distopia neoliberal da zona euro

(Bill Mitchell, 5 de Novembro de 2018)

Enquanto a Comissão Europeia está a tentar intimidar a Itália para que “cumpra as regras”, o ponto óbvio é que as regras são enviesadas e contra  a prosperidade.As sociedades humanas não podem suportar uma austeridade prolongada nem as patologias que a acompanham (desemprego elevado, aumento da pobreza, salários baixos, rutura social). A juventude italiana enfrenta um futuro sombrio se esta situação se mantiver.

Ano de 2019, ano de eleições europeias. Parte II – Imagens soltas de uma União Europeia em decomposição a partir de alguns dos seus Estados membros. 6º Texto – Itália: Ficar para trás

(The Economist, 2 de Fevereiro de 2019)

Se a Comissão Europeia decidir que a Itália infringiu as suas regras orçamentais, qualquer despesa adicional provocará uma nova discussão, acrescentará uma nova linha de tensão. E o episódio do ano passado mostrou que os grandes planos de gastos podem ser autodestrutivos se os mercados financeiros ficarem assustados. O governo da Itália precisaria convencer tanto Bruxelas quanto os investidores de que a despesa publica adicional pretendida ajudaria a economia a crescer. Até lá, a Itália continuará a cambalear.

Ano de 2019, ano de eleições europeias. Parte II – Imagens soltas de uma União Europeia em decomposição a partir de alguns dos seus Estados membros. 6º Texto – Itália: Ficar para trás

(The Economist, 2 de Fevereiro de 2019)

Se a Comissão Europeia decidir que a Itália infringiu as suas regras orçamentais, qualquer despesa adicional provocará uma nova discussão, acrescentará uma nova linha de tensão. E o episódio do ano passado mostrou que os grandes planos de gastos podem ser autodestrutivos se os mercados financeiros ficarem assustados. O governo da Itália precisaria convencer tanto Bruxelas quanto os investidores de que a despesa publica adicional pretendida ajudaria a economia a crescer. Até lá, a Itália continuará a cambalear.

Ano de 2019, ano de eleições europeias. Parte II – Imagens soltas de uma União Europeia em decomposição a partir de alguns dos seus Estados membros. 5º Texto – Itália: O orçamento da Itália não é tão louco como parece

(Ashoka  Mody, 26 de Outubro de 2018)

Os líderes europeus criticaram duramente a Itália pelos seus planos de aumentar as despesas com o objetivo de estimular o crescimento e ajudar os pobres. O que eles não reconhecem é que um pequeno estímulo pode ser exatamente o que a economia italiana precisa.

Ano de 2019, ano de eleições europeias. Parte II – Imagens soltas de uma União Europeia em decomposição a partir de alguns dos seus Estados membros. 5º Texto – Itália: O orçamento da Itália não é tão louco como parece

(Ashoka  Mody, 26 de Outubro de 2018)

Os líderes europeus criticaram duramente a Itália pelos seus planos de aumentar as despesas com o objetivo de estimular o crescimento e ajudar os pobres. O que eles não reconhecem é que um pequeno estímulo pode ser exatamente o que a economia italiana precisa.

Ano de 2019, ano de eleições europeias. Parte II – Imagens soltas de uma União Europeia em decomposição a partir de alguns dos seus Estados membros. 4º Texto – Itália: Deixem a Itália em paz

(Dr. Michael Ivanovitch, 14 de Outubro de 2018)

Privada de uma política monetária independente para gerir a procura e o emprego, a Itália inverteu ligeiramente a sua orientação orçamental restritiva, a fim de prestar algum apoio à atividade económica e evitar o que claramente parece ser uma desaceleração cíclica incipiente de amplitude e duração desconhecidas.

Ano de 2019, ano de eleições europeias. Parte II – Imagens soltas de uma União Europeia em decomposição a partir de alguns dos seus Estados membros. 4º Texto – Itália: Deixem a Itália em paz

(Dr. Michael Ivanovitch, 14 de Outubro de 2018)

Privada de uma política monetária independente para gerir a procura e o emprego, a Itália inverteu ligeiramente a sua orientação orçamental restritiva, a fim de prestar algum apoio à atividade económica e evitar o que claramente parece ser uma desaceleração cíclica incipiente de amplitude e duração desconhecidas.

Ano de 2019, ano de eleições europeias. Parte II – Imagens soltas de uma União Europeia em decomposição a partir de alguns dos seus Estados membros. 3º Texto – Itália: É na Itália que se joga o futuro da Europa

(Denis Collin, 12 de Outubro de 2018)

Hoje, o ponto crucial não é a “natureza” do governo italiano, mas o facto de ter praticado, pela primeira vez, uma dinâmica de questionamento concreto e imediato sobre os grilhões da União Europeia.

Ano de 2019, ano de eleições europeias. Parte II – Imagens soltas de uma União Europeia em decomposição a partir de alguns dos seus Estados membros. 3º Texto – Itália: É na Itália que se joga o futuro da Europa

(Denis Collin, 12 de Outubro de 2018)

Hoje, o ponto crucial não é a “natureza” do governo italiano, mas o facto de ter praticado, pela primeira vez, uma dinâmica de questionamento concreto e imediato sobre os grilhões da União Europeia.

Ano de 2019, ano de eleições europeias. Parte II – Imagens soltas de uma União Europeia em decomposição a partir de alguns dos seus Estados membros. 2º Texto – Itália: O fim do euro está mais próximo do que se poderia pensar

(Avi Tiomkin,  Novembro de 2018)

Draghi foi saudado nos últimos anos como o homem que salvou a Europa. Mas a política monetária e a austeridade impostas à maioria dos europeus revelaram-se desastrosas, resultando em turbulência sociopolítica e níveis severos de desigualdade económica. O euro, afinal, era o problema, não a solução.

Ano de 2019, ano de eleições europeias. Parte II – Imagens soltas de uma União Europeia em decomposição a partir de alguns dos seus Estados membros. 2º Texto – Itália: O fim do euro está mais próximo do que se poderia pensar

(Avi Tiomkin,  Novembro de 2018)

Draghi foi saudado nos últimos anos como o homem que salvou a Europa. Mas a política monetária e a austeridade impostas à maioria dos europeus revelaram-se desastrosas, resultando em turbulência sociopolítica e níveis severos de desigualdade económica. O euro, afinal, era o problema, não a solução.

Ano de 2019, ano de eleições europeias. Parte II – Imagens soltas de uma União Europeia em decomposição a partir de alguns dos seus Estados membros. 1º Texto – Itália: Notas sobre a Itália

(Henri Temple, Revista Causeur)

Os responsáveis financeiros – e Bruxelas – falam constantemente do conceito de “reforma estrutural”. Para eles, estas são apenas as medidas orçamentais para aumentar os impostos e reduzir as despesas, incluindo o investimento público e as prestações sociais. Por conseguinte, confundem, voluntariamente ou não, a estrutura do orçamento e a estrutura  de uma economia.

Ano de 2019, ano de eleições europeias. Parte II – Imagens soltas de uma União Europeia em decomposição a partir de alguns dos seus Estados membros. 1º Texto – Itália: Notas sobre a Itália

(Henri Temple, Revista Causeur)

Os responsáveis financeiros – e Bruxelas – falam constantemente do conceito de “reforma estrutural”. Para eles, estas são apenas as medidas orçamentais para aumentar os impostos e reduzir as despesas, incluindo o investimento público e as prestações sociais. Por conseguinte, confundem, voluntariamente ou não, a estrutura do orçamento e a estrutura  de uma economia.

MINIBOTS: ILEGAIS, PERIGOSOS, DESNECESSÁRIOS. Por Mario Nuti

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota ________________________ Agradecemos a Domenico Mario Nuti a disponibilidade do presente texto e com ele esperamos que os nossos leitores se sintam enriquecidos em termos de conhecimento sobre os graves problemas com que se

MINIBOTS: ILEGAIS, PERIGOSOS, DESNECESSÁRIOS. Por Mario Nuti

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota ________________________ Agradecemos a Domenico Mario Nuti a disponibilidade do presente texto e com ele esperamos que os nossos leitores se sintam enriquecidos em termos de conhecimento sobre os graves problemas com que se

A ITÁLIA NA ENCRUZILHADA – V – POR ANNA ROSA SCRITTORI

  A situação «Uma experiência destinada a arrasar as tradicionais categorias da política do século XX». É a opinião que recorre com mais frequência nos comentários de muitos observadores da direita internacional a propósito do actual governo italiano. A novidade

A ITÁLIA NA ENCRUZILHADA – V – POR ANNA ROSA SCRITTORI

  A situação «Uma experiência destinada a arrasar as tradicionais categorias da política do século XX». É a opinião que recorre com mais frequência nos comentários de muitos observadores da direita internacional a propósito do actual governo italiano. A novidade

A CRISE ORGÂNICA de ITÁLIA – por THOMAS FAZI

  Italy’s Organic Crisis, by Thomas Fazi American Affairs, 20 de Maio de 2018 Selecção e tradução de Júlio Marques Mota   O marxista italiano Antonio Gramsci cunhou o termo “crise orgânica” para descrever uma crise que difere das crises financeiras,

A CRISE ORGÂNICA de ITÁLIA – por THOMAS FAZI

  Italy’s Organic Crisis, by Thomas Fazi American Affairs, 20 de Maio de 2018 Selecção e tradução de Júlio Marques Mota   O marxista italiano Antonio Gramsci cunhou o termo “crise orgânica” para descrever uma crise que difere das crises financeiras,

SOBRE O 25 DE ABRIL COMEMORADO, O DE 1974 – A INTRODUÇÃO A THOMAS FAZI – por JÚLIO MARQUES MOTA

Sobre o 25 de Abril comemorado, o de 1974, sobre o 25 de Abril de protesto, o de agora, aqui vos deixo um texto de Thomas Fazi  sobre a Europa, sobre a Itália.   Sobre o 25 de Abril de

SOBRE O 25 DE ABRIL COMEMORADO, O DE 1974 – A INTRODUÇÃO A THOMAS FAZI – por JÚLIO MARQUES MOTA

Sobre o 25 de Abril comemorado, o de 1974, sobre o 25 de Abril de protesto, o de agora, aqui vos deixo um texto de Thomas Fazi  sobre a Europa, sobre a Itália.   Sobre o 25 de Abril de

Do plano técnico ao plano político: do sistema Target 2 à fragmentação financeira da União Europeia – 16. A nova morfologia do risco na zona euro (6/6). Por Marcello Minenna

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota 16. A nova morfologia do risco na zona euro (6/6)  Por Marcello Minenna Publicado por  em 25 de fevereiro de 2019 (texto original aqui) [N.E.: Este texto conclui a série Do plano técnico

Do plano técnico ao plano político: do sistema Target 2 à fragmentação financeira da União Europeia – 16. A nova morfologia do risco na zona euro (6/6). Por Marcello Minenna

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota 16. A nova morfologia do risco na zona euro (6/6)  Por Marcello Minenna Publicado por  em 25 de fevereiro de 2019 (texto original aqui) [N.E.: Este texto conclui a série Do plano técnico

Do plano técnico ao plano político: do sistema Target 2 à fragmentação financeira da União Europeia – 16. A nova morfologia do risco na zona euro (5/6). Por Marcello Minenna

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota 16. A nova morfologia do risco na zona euro (5/6)  Por Marcello Minenna Publicado por  em 25 de fevereiro de 2019 (texto original aqui) [N.E.: Este texto conclui a série Do plano técnico

Do plano técnico ao plano político: do sistema Target 2 à fragmentação financeira da União Europeia – 16. A nova morfologia do risco na zona euro (5/6). Por Marcello Minenna

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota 16. A nova morfologia do risco na zona euro (5/6)  Por Marcello Minenna Publicado por  em 25 de fevereiro de 2019 (texto original aqui) [N.E.: Este texto conclui a série Do plano técnico

Do plano técnico ao plano político: do sistema Target 2 à fragmentação financeira da União Europeia – 16. A nova morfologia do risco na zona euro (4/6). Por Marcello Minenna

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota 16. A nova morfologia do risco na zona euro (4/6)  Por Marcello Minenna Publicado por  em 25 de fevereiro de 2019 (texto original aqui) [N.E.: Este texto conclui a série Do plano técnico

Do plano técnico ao plano político: do sistema Target 2 à fragmentação financeira da União Europeia – 16. A nova morfologia do risco na zona euro (4/6). Por Marcello Minenna

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota 16. A nova morfologia do risco na zona euro (4/6)  Por Marcello Minenna Publicado por  em 25 de fevereiro de 2019 (texto original aqui) [N.E.: Este texto conclui a série Do plano técnico

Do plano técnico ao plano político: do sistema Target 2 à fragmentação financeira da União Europeia – 16. A nova morfologia do risco na zona euro (3/6). Por Marcello Minenna

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota 16. A nova morfologia do risco na zona euro (3/6)  Por Marcello Minenna Publicado por  em 25 de fevereiro de 2019 (texto original aqui) [N.E.: Este texto conclui a série Do plano técnico

Do plano técnico ao plano político: do sistema Target 2 à fragmentação financeira da União Europeia – 16. A nova morfologia do risco na zona euro (3/6). Por Marcello Minenna

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota 16. A nova morfologia do risco na zona euro (3/6)  Por Marcello Minenna Publicado por  em 25 de fevereiro de 2019 (texto original aqui) [N.E.: Este texto conclui a série Do plano técnico