CRÓNICAS DO QUOTIDIANO – PORQUÊ CATÓLICOS, E NÃO APENAS GAYS? – por Mário de Oliveira

 quotidiano1

Denominam-se “gays católicos” e acabam de realizar o seu primeiro congresso mundial em Portimão, no Algarve. Cerca de 4 dezenas, oriundos de Espanha, EUA, México, Costa Rica, Argentina, Brasil e Portugal. Entre as deliberações saídas do congresso, figura a da constituição da Organização Mundial das Associações de Homossexuais Católicas, cuja comissão instaladora é constituída por representantes de Portugal, EUA e Brasil. Outra, é escrever e fazer chegar ao papa um documento, juntamente com um pedido, para que os bispos católicos “actualizem a forma de pensar”. Devo dizer que acompanho com afecto, desde há anos, a causa gay e LGBT em geral. Participo em debates, sempre que convidado. A minha orientação pessoal é heterossexual, mas reconheço que, embora maioritária, não é a única orientação sexual dos seres humanos. Há uma só humanidade, múltiplas orientações sexuais. Entendo que qualquer discriminação, baseada na orientação sexual, constitui um grave atentado à igualdade dos seres humanos e bato-me pela sua superação, inclusive, ao nível das leis. Não estive no congresso em Portimão, porque não fui convidado. Se tivesse estado, ter-lhes-ia lembrado que o nosso único denominador comum, independentemente da orientação sexual de cada qual, é o humano. As igrejas cristãs e outras religiões têm-se sobreposto, abusivamente, a este único denominador comum. Atentam, com esse seu agir, contra a unidade da humanidade, que é de sua natureza indissolúvel. São instituições estranhas que, com suas ideologias demoníacas, visam ocupar as mentes-consciências das populações. Fazem-se passar pelo que há de melhor. São o que há de pior. Lá, onde chegam, assediam dia e noite as populações, até se instalarem nas suas mentes. A partir daí, dividem-nas para reinar e fazer delas, escravos seus. Passam as semanas e os anos a vender-lhes ritos e a roubar-lhes Deus. Perante tantos e tamanhos horrores, temos de concluir que todas elas são más. Por isso, vos digo, meus irmãos LGBT: sede simplesmente o que sois e deixai os bispos/pastores das igrejas a falar sozinhos. Que deixem de brincar aos bispos/pastores e sejam seres humanos, simplesmente! Ah! E sabei, por fim, que Deus, o de Jesus, não tem nada a ver com eles!

9 Outº 2014

Leave a Reply