Revista da Semana por Luís Rocha

revista semana

Revista da semana

De 8/03 a 14/03/2015

Esta semana destaco as notícias e acontecimentos relacionados com os 70 anos da TAP, a chamada pelo governo dos emigrantes “aconselhados a procurar trabalho fora do país”, a greve dos funcionários públicos, a população activa (empregados/desempregados) em Portugal, o aumento da dívida pública portuguesa, como funciona o sistema bancário e um pouco sobre livros.

A TAP fez 70 anos no dia 14 de Março (ontem). O primeiro modelo comprado foi um DC-3 Dakota, com capacidade para 21 passageiros. O primeiro voo foi de Lisboa para Madrid.

O Jornal on-line “Observador” viajou por entre as nuvens de pó e descobriu os aviões que têm composto a frota da companhia aérea portuguesa. Tudo começou em outubro de 1945, quando Humberto Delgado, o então diretor do Secretariado da Aeronáutica Civil, adquiriu as primeiras máquinas: dois DC-3 Dakota com capacidade para 21 passageiros. Os voos inaugurais fizeram Lisboa e Madrid dar as mãos.

Ler e ver imagens dos aviões em:

http://observador.pt/2015/03/12/conhece-frota-da-tap-desde-1945/

A título de curiosidade em 1961, o voo da TAP que ligava Casablanca a Lisboa foi desviado por um grupo de seis antifascistas. Foi o primeiro desvio de um avião comercial da História. E tem uma história de amor em fundo.

Páginas de um livro da TAP onde é referido o desvio do avião

Foram apanhados no meio de uma ação revolucionária contra Salazar, o desvio de um avião comercial, por obra do amor. E de um jantar e um espetáculo de dança do ventre em Casablanca.

Ele era um piloto exímio, provavelmente o melhor da TAP naquela altura, um mulherengo inveterado, casado, que se tinha rendido aos encantos de quem não lhe caiu aos pés à primeira. Ela, uma assistente de bordo quase 20 anos mais nova, rebelde, que não se importava de receber chaves de carros de outras mulheres e lhas entregava, deixando-o furioso.

Namoraram, casaram, tiveram uma filha e quatro netos, três rapazes e uma rapariga.

Esta é a história de José Sequeira Marcelino e Maria Luiza Infante. E da “Operação Vagô”.

Ler mais em:

http://observador.pt/especiais/amor-na-operacao-vago-nos-panfletos-que-palma-inacio-lancou-podia-estar-esta-historia/

NOTA: No dia em que se assinalam os 70 anos da TAP, Governo e presidente da companhia garantem que há vários interessados na compra da companhia e insistem na necessidade da privatização.

Ler mais em:

http://sicnoticias.sapo.pt/economia/2015-03-14-Governo-e-presidente-da-companhia-insistem-na-necessidade-de-privatizacao-da-TAP

O governo português chama os filhos “pródigos” por ele obrigados a sair do país a regressarem.

O título do artigo de opinião que se segue, da autoria de António Costa (publicação no diário económico (on line) diz tudo:“NÃO VENHAS”

Uma estratégia errada na forma e no conteúdo e que não passará, na prática, de uma bandeira para consumo eleitoral.

O Governo decidiu ‘inventar’ um novo programa de captação dos emigrantes portugueses que tiveram de procurar alternativas à crise fora do país, uma estratégia errada na forma e no conteúdo e que não passará, na prática, de uma bandeira para consumo eleitoral.

Com a crise de 2011 e a ‘troika’, muitas centenas de milhares de portugueses, sobretudo jovens, arriscaram, e bem, sair do país para encontrarem as saídas profissionais que não tinham em Portugal. E é evidente que, no momento em que há um ajustamento violento da economia, o país perdeu muito do seu potencial, perdeu muitos dos mais qualificados. Não haveria, provavelmente, outra alternativa, o mercado não é perfeito, não ficaram os melhores, ficaram os que estavam mais protegidos da concorrência, por uma lei laboral que ainda está longe de incentivar o mérito. E saíram os mais qualificados, com capacidade para ultrapassarem a concorrência em alguns dos países mais competitivos do mundo.

Ler mais em:

http://economico.sapo.pt/noticias/nao-venhas_213915.html

A greve dos Funcionários Públicos

Na sexta-feira dia 13 de Março os funcionários públicos fizeram greve. Segundo noticiado logo pela manhã, pela SIC com o título “Hoje há greve na função pública” (artigo da autoria de António Cotrim/Lusa)

Os trabalhadores da função pública cumprem hoje um dia de greve e os efeitos da paralisação sentiram-se já nos turnos da madrugada. Os números divulgados pelos sindicatos apontam param uma adesão entre os 80% e os 100%. Os setores mais afetados serão a educação, saúde, justiça e administração local. A greve foi convocada em protesto contra os cortes salariais, o aumento do horário semanal das 35 para as 40 horas, o regime de requalificação, e o congelamento das carreiras.

………………………………………………………..

Na origem da convocação da greve estão os cortes salariais na função pública, o aumento do horário semanal das 35 para as 40 horas, a colocação de trabalhadores no regime de requalificação, o congelamento das carreiras e a falta de negociação no setor.

Ler mais em:

http://sicnoticias.sapo.pt/economia/2015-03-13-Hoje-ha-greve-na-funcao-publica

No mesmo dia o jornal Diário Económico (on line) informava que o Governo já tinha publicado lista de suplementos na função Publica.

A notícia da autoria de Denise Fernandes diz:

GOVERNO JÁ PUBLICOU LISTA DE SUPLEMEMENTOS NA FUNÇÃO PÚBLICA

Nem todos os subsídios que constam da lista indicam o seu enquadramento legal.

O Governo publicou ontem ao final do dia, no site da Direcção Geral da Administração e do Emprego Público (DGAEP), a lista de suplementos remuneratórios que são actualmente pagos aos funcionários públicos. O próximo passo será decidir quais os subsídios que serão mantidos, integrados na remuneração base ou extintos.

Ler mais em:

http://economico.sapo.pt/noticias/governo-publica-lista-de-suplementos-da-funcao-publica_213858.html

Ontem dia 14 de Março (sábado) o jornal on-line “Notícias Ao Minuto” divulgada lista dos 2258 suplementos mais utilizados pela função pública. Quase 50% é reservado para apenas 5 suplementos.

Num total de 2258 suplementos pagos por organismos públicos um dos mais utilizados é referente à lavagem de carros oficiais. Por mês, cada motorista recebe 43,21€ para manter os carros pertencentes ao estado bem lavados. Apesar de estar presente no 4º lugar dos mais utilizados (150 vezes), este suplemento é transversal a todos os ministérios.

De acordo com a lista publicada pela Direção-Geral da Administração e do Emprego Público (DGAEP), no primeiro lugar surge o abono para falhas com 283 utilizações. Este subsídio é concedido a funcionários que estejam encarregues de valores como documentos ou dinheiro, e tem um valor variável, representando cerca de 10% do seu salário. O suplemento que figura em 2º lugar com 251 utilizações é concedido a funcionários em posições de chefia e premeia ditos funcionários com um acréscimo de 5%, 10% ou até 15% do seu salário.

Ler mais em:

http://www.noticiasaominuto.com/economia/360900/subsidio-de-lavagem-de-carros-e-o-mais-comum-no-estado

Perante estas notícias entendi por bem fazer uma pesquisa no site da Direcção Geral da Administração e do Emprego Público (DGAEP)

Da variada informação disponível destaco a informação sobre as Administrações públicas:

ADMINISTRAÇÕES PÚBLICAS

  1. Emprego no sector das administrações públicas no quadro do mercado de trabalho:

A 31 de dezembro de 2014, o emprego no sector das administrações públicas situava-se em 655 620 postos de trabalho, revelando uma quebra global de 2,7 % em termos homólogos (menos 18 474 postos de trabalho) e de 9,8 % face a 31 de dezembro de 2011(menos 71 365 postos de trabalho). Em comparação com o final do trimestre anterior, ainda como efeito do início do ano letivo 2014/2015, o emprego nas administrações públicas cresceu 8 708 postos de trabalho (1,3%), em resultado do aumento do número de trabalhadores da administração central (mais 9 158 correspondente a um crescimento de 1,9%) com um peso de 75,8% no total do sector, por efeito sazonal de novas contratações nos estabelecimentos de educação e ensino básico e secundário e de ensino superior do Ministério da Educação e Ciência, durante o 4.º trimestre do ano .

Na informação podem visualizar-se gráficos da evolução da situação.

Ler mais na informação do site:

Direção-Geral da Administração e do Emprego Público (DGAEP)

www.dgaep.gov.pt

Para melhor conhecer a dimensão do emprego na função pública, consultei as estatísticas do INE (Instituto Nacional de Estatística), tendo constatado o seguinte:

População empregada com idade entre 15 e 74 anos (Ajustada de sazonalidade – N.º) por Sexo; Mensal

emprego em portugal Como se pode ver nos quadros apresentados em 31 de Dezembro de 2014 contavam como empregados 4 420 300 pessoas, dos quais 655 620 são do sector das administrações públicas, o que representa cerca de 15% da população activa.

Seguem-se os quadros referentes à taxa de emprego e desemprego, situando-se este próximo dos 14%.

taxa de emprego

taxa de desemprego

Consegui também a informação sobre as remunerações médias da função pública, conforme quadro abaixo:

EMPREGO PUBLICO 4 TRIM 2014 EV REMUNERAÇÕES

No site pode ainda ver-se, entre outras, informação sobre: Princípios Éticos da Administração Pública;O sistema de avaliação dos Trabalhadores

Como uma das razões fundamentais da greve é a do tempo de trabalho semanal, entendi também recolher notícias sobre a média Europeia e a de alguns países, tendo constatado o seguinte:

Média de horas de trabalho/semana em países da Zona Euro (2013)

Grécia: 42.0

Eslováquia: 40.7

Chipre: 39.8

Eslovénia: 39.6

Portugal: 39.3

Estónia: 38.8

Letónia: 38.8

Malta: 38.4

Lituânia: 38.1

Espanha: 38.0

França: 37.5

Bélgica: 37.2

Áustria: 37.2

Luxemburgo: 37.1

Itália: 36.9

Finlândia: 36.9

Irlanda: 35.4

Alemanha: 35.3

Holanda: 30.0

Zona Euro: 36.6

União Europeia: 37.2

Considerando os quadros apresentados, complementados com a informação acima sobre o tempo de trabalho semanal, pode concluir-se que os funcionários públicos que só trabalham 35 horas são uns “privilegiados” face à média da EU e até da de Portugal que está com 39,3 horas semanais.

A ser assim e dado que cerca de 15% da população activa é funcionária pública (se trabalha 35 horas), há muitos portugueses a trabalhar muito mais que 40 horas.

Que me desculpem os funcionários públicos que respeito como trabalhadores, mas tenham em conta os outros trabalhadores portugueses considerando as horas que trabalham, os valores médios mensais dos seus salários (inferiores aos da função pública) e principalmente a incerteza dos mesmos no final de cada mês sobre receberem ou não o salário do seu trabalho. Os funcionários públicos, até à data, não viveram ainda esta terrível incerteza.

Outro tema a considerar e sobre que se tem de reflectir é que, apesar das taxas de juro dos empréstimos a Portugal terem descido, a dívida continua a aumentar e já está em cerca de 130% do PIB.

Segundo notícia publicada  no Jornal “on-line” OBSERVADOR da autoria de Nuno André Ferreira /Lusa

A Dívida pública na ótica de Maastricht aumentou 6.600 milhões de euros em janeiro face a dezembro, atingindo os 231.100 milhões, estima a Unidade Técnica de Apoio Orçamental.

A dívida pública na ótica de Maastricht aumentou 6.600 milhões de euros em janeiro face a dezembro, atingindo os 231.100 milhões, estima a Unidade Técnica de Apoio Orçamental (UTAO), baseando-se em informação provisória disponível. “A dívida pública [na ótica de Maastricht, ou seja, a que conta para Bruxelas] ascendeu a 231.100 milhões de euros em janeiro. A confirmar-se o valor provisório, este representa um aumento de 6.600 milhões em termos nominais face ao final de 2014, o qual resultou num incremento de um montante próximo dos depósitos da administração central”, refere a UTAO numa nota a que a agência Lusa teve hoje acesso.

Ler mais em:

http://observador.pt/2015/03/13/utao-estima-que-a-divida-publica-tenha-aumentado-6-600-milhoes-de-euros-em-janeiro/

Como Funciona o Sistema Bancário

Artigo interessante da autoria de Paulo Ferreira (jornal Observador) que explica de uma forma entendível como funciona o sistema

A Euribor, os créditos e o guarda-chuva do banqueiro

Defende a Associação Portuguesa de Bancos que o mínimo que a banca deve cobrar pelos créditos é o “spread”, ignorando as Euribor negativas. Faz sentido? Não. É justo? Também não.

Um banqueiro é alguém que nos empresta um guarda-chuva quando está sol e que nos obriga a devolvê-lo quando começa a chover.

Ler mais em:

http://observador.pt/opiniao/a-euribor-os-creditos-e-o-guarda-chuva-do-banqueiro/

Livros

Informação colhida do jornal “on-line” Observador CRÍTICA DE LIVROS

Autor:José Carlos Fernandes

Reescrevendo a história com tesoura e cola

A história das primeiras décadas da URSS, tal como contada nas imagens oficiais, é uma fantasia. O sinistro livro “The Commissar Vanishes” dedica-se a analisar as inúmeras manipulações de Stalin.

Título: The Commissar Vanishes: The Falsification of Photographs and Art in Stalin’s Russia

Autor: David King – Editora: Tate Publishing – Preço: 19,99£ (cerca de 27,50€)

Qualquer bom bolchevique deveria ter uma resposta satisfatoriamente heroica para a pergunta “Onde é que estava em Outubro de 1917?”. Stalin, porém, não tinha tido grande protagonismo, nem em Outubro nem nos meses de tumulto revolucionário que se seguiram. Nikolai Sukhanov, cronista da revolução, referiu-se à sua figura nesse período como “um borrão cinzento, emergindo tenuemente de vez em quando, mas sem deixar qualquer marca”. No álbum fotográfico Outubro, editado em 1920 por ocasião do II Congresso da Internacional Comunista e que passava em revista três anos de revolução, o nome de Stalin não era mencionado uma única vez. Trotsky considerava-o “a mais distinta mediocridade do nosso partido”. Mas assim que assumiu o poder, o ardiloso georgiano lançou a mais vasta e completa reescrita da história que o mundo já conheceu.

É da componente iconográfica dessa mega-operação revisionista que nos dá conta este fascinante livro de David King, um dos grandes especialistas na história soviética e autor dos não menos recomendáveis e visualmente sedutores Red Star Over Russia (2009) e Russian Revolutionary Posters (2012), livros tão indispensáveis para compreender a história da URSS como os de Anne Applebaum, Orlando Figes, Richard Overy, Laurence Rees, Robert Service ou Timothy Snyder. The Comissar Vanishes foi publicado originalmente em 1997, mas como dos arquivos ex-soviéticos têm continuado a emergir novos documentos, King lançou em 2014 esta versão revista e aumentada, em que 1/3 das 336 imagens são novas.

Ler mais e ver imagens em:

http://observador.pt/2015/03/03/reescrevendo-a-historia-com-tesoura-e-cola/

CRÍTICA DE LIVROS

Autor: Vasco Rosa

Raul Brandão: pintura escrita

A nova e excelente edição de “Os Pescadores” lançada pela Relógio d’Água passou a ser a melhor versão do clássico de Raul Brandão disponível nas livrarias. A preferir absolutamente.

Imagem do álbum fotográfico de 1957 construído a partir do texto original de “Os Pescadores”

Título: Os Pescadores – Autor: Raul Brandão – Editora: Relógio d’Água –  Páginas: 256 – Preço: 16€

Quando a obra de um escritor passa a domínio público (70 anos após a sua morte), torna-se muito fácil lançar mão dos seus livros e reimprimi-los sem prestar contas a ninguém. O que num primeiro momento se configura como o resgaste editorial duma obra que muitos admiram pode tornar-se um abuso literário, caso se ignorem as leis gerais da filologia textual, como o império da última vontade do autor e o espurgo de erros de composição tipográfica. O resultado pode ser intragável, até — quem sabe?! — para os pequenos bichos devoradores de papel…

Ler mais em:

http://observador.pt/2015/03/05/raul-brandao-pintura-escrita/

Uma curiosidade publicada na Visão (on line)

Saiba tudo o que de bom e de mau o café faz ao seu corpo

Pode ser bom para o cérebro e para a cintura, mas mau para os ossos e rins. Com tantos estudos sobre o tema, aqui tem um resumo do que o café faz ao seu organismo

Quase todas as semanas sai um novo estudo acerca dos benefícios ou riscos do café para a saúde – Ainda não há muito tempo, o café foi relacionado com um risco reduzido de ataques cardíacos. Tem sido mostrado que previne a demência, diabetes do tipo 2 e até mesmo cancro da pele. Mas o café também tem sido responsabilizado por ansiedade, azia, e piores menopausas. Uma só chávena pode aumentar a frequência cardíaca para 100 batimentos por minuto. E, em excesso, pode levar a ossos quebradiços e osteoporose. Contudo, segundo especialistas, beber café pode melhorar os seus músculos.

Ler mais em:

http://visao.sapo.pt/saiba-tudo-o-que-de-bom-e-de-mau-o-cafe-faz-ao-seu-corpo=f812812#ixzz3UJQKGgkV

Leave a Reply