EXPOSIÇÃO “PALCO 50” CONTA A HISTÓRIA DO GRUPO DE TEATRO DO CENTRO CULTURAL PORTUGUÊS DO MINDELO por Clara Castilho

O Grupo de Teatro do Centro Cultural Português nasceu em 1993, e desde então tem imprimido uma dinâmica teatral em S. Vicente sem precedentes. Começou por ser um Curso de Iniciação Teatral, nasceu como grupo, sem nunca ter esquecido a vertente da formação, que continua a ser ministrada no CCP em paralelo com as actividades do grupo teatral. Conta com 19 anos e mais de 30 participacões em eventos internacionais de artes cénicas, tendo-se apresentou nalguns dos maiores centros culturais do mundo em países como Brasil, Espanha, Franca, Holanda, Itália e Portugal, mostrando que o teatro em Cabo Verde é hoje uma arte em plena ascensão.

teatro mindelo
Fizeram agora uma exposição retrospectiva –  Palco 50  – que pretende celebrar o percurso do Grupo de Teatro do Centro Cultural Português no Mindelo, ao longo de mais de 20 anos e 50 produções teatrais realizadas. As imagens presentes na exposição e neste catálogo partem de uma colecção de fotografia que se encontra dispersa entre meia dúzia de dossiers, uns tantos DVDs e discos rígidos.

O grupo disponibiliza o catálogo de “Palco 50”, em versão integral. O livro que mais do que acompanhar a exposição com o mesmo nome, é um importante documento sobre o percurso do mais produtivo grupo de teatro da história cultural cabo-verdiana (http://palco50.weebly.com/livro.html)

Alguns testemunhos sobre a exposição:

“Pude hoje, 4 de Julho de 2014, visitar esta exposição que retracta, de forma elucidativa e inteligente, a acção do Grupo de Teatro do CCPM durante anos. Faço-o com muito interesse e com estima no trabalho de qualidade que o grupo tem feito pelo teatro e pela cultura de Cabo Verde. Bem hajam João Branco, seus companheiros e o GTCCPM.” – Jorge Carlos Fonseca – Presidente da República de Cabo Verde

“Guardar é expor e deixar que os outros disponham. Parabéns.” – Mário Lúcio Sousa – Ministro da Cultura de Cabo Verde

“Sublime. O Grupo de Teatro do CCP do Mindelo já é património do país e deve ser reconhecido como tal. Deve-lhe ser dado todas as condições logísticas e outras para seguir a sua caminhada. Viva o teatro.” – Fernando Morais – artista plástico

 “Que continuem a produzir, os artistas de Cabo Verde. Esta sala representa muito a nossa Cultura.” – Raquel Dias – Presidente da Associação Cabo-verdiana de New Bedford (EUA)

Leave a Reply