NESTE DIA…, 9 de ABRIL de 1821, nasceu CHARLES BAUDELAIRE

Neste dia... - João - II

Charles_Baudelaire
Baudelaire fotografado por Nadar – 1855

 

Charles-Pierre Baudelaire nasceu em Paris, filho de um casal abastado, de idades muito diferentes. O seu pai, funcionário público e artista nas horas vagas, faleceu quando ele tinha seis anos. A mãe, uma senhora de boa educação, bastante mais nova, contraiu novo matrimónio com um oficial do exército, criando-se uma situação que muitos defendem que terá marcado consideravelmente o futuro poeta. Este terá ressentido a situação nas suas atitudes e nas opções de vida que assumiu, embora seja inegável a estima com que foi tratado por Jacques Aupick, o seu padrasto. Este e a mãe procuraram fazê-lo estudar, chegando a ambicionar para ele uma carreira na diplomacia. Baudelaire progrediu nos estudos, mas desde novo que aspirava seguir a carreira literária, frequentando os meios boémios e mantendo hábitos e ligações pouco convencionais. Dotado de um temperamento que uns chamariam de forte, outros de difícil, procurou a todos os níveis seguir um caminho próprio, tanto nas relações familiares, como também na sua carreira artística. Assim, a sua adesão à moda do dandismo desde novo é considerada como uma demarcação do estilo por vezes desbragado dos românticos, e por alguns como consequência das reminiscências da vida com o seu pai biológico, muito familiarizado com a velha aristocracia francesa, e com quem muito terá convivido na infância. Descrente de ideias como a da natureza inerentemente boa do homem, ou da perfeição da natureza em geral, Baudelaire intitulava-se como um seguidor de Joseph de Maistre, um eminente conservador, mas participou activamente na revolução de 1848, não só através da imprensa, como nas movimentações de rua. Entre os seus amigos contaram-se Sainte-Beuve, Théophile Gautier e Banville.

Aos 20 anos, após uma forte discussão com o padrasto, este enviou-o numa viagem à Índia, que Baudelaire interrompeu quando chegou à ilha Maurícia, mas que mesmo assim muito terá influenciado a sua visão do mundo, o que vai reflectir-se na sua obra. Na sua obra mais famosa, Les Fleurs du Mal, publicada já em 1857, mas que reúne poemas escritos ao longo dos anos anteriores, incluiu por exemplo L’Albatros e À une Dame Créole, nitidamente inspirados por esta viagem. Baudelaire, para além de poeta, foi ensaísta e crítico de arte (Le Peintre de la Vie Moderne-1863, Curiosités Esthétiques-1868, L’Art Romantique-1868),  escreveu uma novela, La Fanfarlo (1847) e traduziu Edgar Allan Poe, na época mais famoso em França do que na sua terra natal, e com quem afirmava sentir grande identificação. A sua influência na posteridade foi enorme, não só na poesia, campo em que Verlaine, Rimbaud, Mallarmé e até T.S.Eliot expressaram por ele a sua admiração e respeito, mas também na literatura em geral, na música e na pintura. Proust considerou-o, conjuntamente com Vigny, como um dos maiores poetas do século XIX. Walter Benjamin traduziu-o para alemão e escreveu sobre ele vários ensaios (ver terceiro link abaixo).

Após um período de doença prolongada, Charles Baudelaire morreu em Paris em 31 de Agosto de 1867.

 

Recomendamos os links seguintes:

http://www.poetryfoundation.org/bio/charles-baudelaire

http://en.wikipedia.org/wiki/Charles_Baudelaire

http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0101-31732008000100007&script=sci_arttext

 

Ver em A Viagem dos Argonautas:

http://aviagemdosargonautas.net/?s=Charles+Baudelaire

http://aviagemdosargonautas.net/2014/11/26/perfume-exotico-de-charles-baudelaire-traducao-de-delfim-guimaraes/

http://aviagemdosargonautas.net/2012/01/08/a-grande-poesia-o-ideal-charles-baudelaire/

http://aviagemdosargonautas.net/2011/12/12/avenida-da-poesia-charles-baudelaire/#respond

http://aviagemdosargonautas.net/2011/10/24/chant-dautomne-charles-baudelaire/

Leave a Reply