CRÓNICAS DO QUOTIDIANO – ABORTO: MUDAR A LEI, OU AS CONSCIÊNCIAS? – por Mário de Oliveira

quotidiano1

 

Sempre que os bispos portugueses se reunem em conferência, gostam de o fazer em Fátima. Não sabem que Fátima é a menos jesuânica das cidades de Portugal. Fugiriam, em lugar de correrem para lá e fazerem muitas outras pessoas correrem também. Para saberem, teriam de ser peritos em Jesus, o filho de Maria. Em Humanidade/Misericórdia. São peritos em poder sagrado = hierarquia, no topo da pirâmide eclesiástica. Em leis canónicas. Em liturgias religiosas. Em Cristo, o filho de David. No evangelho de S. Paulo. Sucessores do grupo dos Doze, os históricos traidores de Jesus que, em Abril do ano 30, o denunciaram/entregaram aos sumos-sacerdotes do templo de Jerusalém. “Covil de ladrões”, no lúcido, arrojado dizer do próprio Jesus. Para que fosse crucificado, como maldito de Deus, o da Bíblia. A cabeça deles é toda formatada pelo sistema eclesiástico. Chamam bem, ao mal. Verdade, à mentira. Liberdade, ao poder/obediência. Jesus, ao mítico Cristo. Igreja, ao sistema eclesiástico. Estão, por estes dias, reunidos em Fátima. Intoxicados por aquele cheiro a cera queimada; prisioneiros de privilégios; espartilhados por vestes imperiais romanas, filtram mosquitos, engolem camelos. Sem assuntos mediáticos na agenda – os graves problemas do país, da Europa, do mundo bem podem esperar sentados – decidiram, enquanto este “seu” Governo PP-PC está em funções, regressar à questão da lei de despenalização do aborto, aprovada, há anos, no Parlamento. “Exigem” a sua revisão! São bispos-clérigos, seres à parte dos demais, sem família constituída. Fossem bispos da Igreja de Jesus, ocupar-se-iam com a formação das consciências das populações, para que elas, não a lei, possam fazer, em cada situação concreta, as melhores opções. Só que essa é a via “porta estreita” de Jesus. Exige dedicação, proximidade, muito afecto. Não a via deles, os sumos-sacerdotes guardiães do templo/santuário de Fátima, covil de ladrões. Para sua vergonha. E humilhação das populações deprimidas, em becos sem saída.

14 Abril 2015

 

https://www.youtube.com/watch?v=_mpe5DlMPeo

 

1 Comment

  1. Esta gente tem cá uma lata! Em teoria não procriam, porque estão obrigados ao celibato eterno (????????), ou seja depois de mortos têm que continuar celibatários. Ahahahah! Desculpem esta tem mesmo piada… Continuando, são celibatários mas querem mandar nas decisões dos que não o são. Afirmam que a vida, logo, procriação é um dom, mas não procriam e metem-se na vida dos que procriam. Ser celibatário é muito fácil caros príncipes. Mulheres ou homens (conforme as tendências) não vos faltam, sem precisarem de se comprometer, não é? No caso dos “santinhos celibatários” heterossexuais, se houver filhos, passam a afilhados, não é assim? Quanta “santidade”! Vão mas é trabalhar!!!

Leave a Reply