NO TEATRO DA CORNUCÓPIA “ATELIER NARCISO” A PARTIR DE 16 DE ABRIL

O Teatro da Cornucópia irá apresentar ao público, a partir do dia 16 de Abril, o ATELIER NARCISO.Esta apresentação é o resultado final de um trabalho intensivo de formação para um grupo pequeno de jovens actores profissionais, a partir de uma tradução portuguesa do séc. XVIII publicada em folheto de Cordel da comédia Narcisse ou L’Amant de Lui-même de Jean-Jacques Rousseau.

 16.4 teatro cornucopia

Durante um mês Luis Miguel Cintra com alguns dos seus habituais colaboradores levantou o esboço de uma encenação dirigindo 7 muito jovens actores e um actor/encenador um pouco mais velho, escolhidos de entre 45 candidatos. O objectivo era confrontar os jovens actores com um texto difícil, com uma linguagem antiga mas extremamente divertido e inteligente. Resultou um espectáculo inacabado que ganhará ainda mais interesse se passar pela experiência do próprio encontro com o público. Para quem o vir representará também uma oportunidade de conhecer mais alguns jovens com talento e vontade de fazer um teatro que não se limite à festa do encontro com o público e continue a ser uma forma de pensar em conjunto. Jean-Jacques Rousseau, na sua época pré-revolucionária, escreveu um texto que não esconde a sua natureza de filósofo. Há no texto de Rousseau, apesar dos limites imprevistos que um tradutor português lhe pôs, uma evidente vontade de reinventar a civilização ocidental, a sociedade, a política, um projecto de pedagogo que ainda tem incontáveis motivos para ser pertinente na sociedade em que vivemos. Para os que nele trabalhámos, tratou-se também de um exercício de liberdade, sem quaisquer proibições nem constrangimentos ou pressões de mercado. E perante o caso especial de uma candidata com deficiências motoras que, numa atitude de coragem, e saudável ousadia se propôs integrar o grupo, resolvemos acrescentar um papel ao texto traduzido de Rousseau: Maria, talvez uma filha de um jardineiro a quem não deram educação mas que gosta de cantar, um nome que é o nome da própria actriz. A sua presença no espectáculo acrescenta uma evidência ou pelo menos torna mais clara a mais que actual noção da decadência civilizacional perante valores muito mais próximos da natureza. O próprio mito de Narciso dá lugar a uma muito mais franca denúncia de um mundo incapaz de olhar para si-próprio, incapaz de alguma esperança em todos os homens.

16 a 26 de ABRIL

5ª FEIRA 16 e 6ª FEIRA 17 às 21.00h
SÁBADO 18 às 17.00h e às 21.00h
DOMINGO 19 às 17.00h
SÁBADO 25 às 21.00h
DOMINGO 26 às 17.00h

Duração: 1.10h sem intervalo  M/12

 As apresentações deste exercício decorrerão entre 16 e 26 de Abril, no Teatro da Cornucópia / Teatro do Bairro Alto, nos seguintes horários:

5ª FEIRA 16 e 6ª FEIRA 17 às 21.00h
SÁBADO 18 às 17.00h e às 21.00h
DOMINGO 19 às 17.00h
SÁBADO 25 às 21.00h
DOMINGO 26 às 17.00h

Leave a Reply