EDITORIAL –  O DESAFIO EUROPEU E OCIDENTAL – DE LAMPEDUSA A GIUSEPPE DI LAMPEDUSA – I

logo editorial

A ilha de Lampedusa, pela sua posição geográfica, tem estado no centro das atenções. Não é o único ponto de passagem dos migrantes/refugiados  que procuram atravessar o Mediterrâneo para alcançarem a Europa, onde esperam alcançar uma vida melhor, mas é sem dúvida um dos principais.  A violência que aflige e vitimiza muitos dos que, de uma maneira ou outra, ali vão ter, tem-lhe dado uma visibilidade que com certeza os seus habitantes nunca desejaram. E tudo indica que estamos perante um fenómeno que está a crescer, para o qual não se vê uma solução.  É uma situação que põe  à luz do dia a fragilidade do mito europeu, de um continente que tem querido dar ao mundo uma imagem de cultura e humanidade, mas periodicamente enfrenta desafios a que responde, quando responde, de maneira insuficiente e mesquinha. A austeridade para os seus cidadãos, e para os migrantes/refugiados, o destino de engrossarem as fileiras da precariedade e da mão de obra barata, na melhor das hipóteses.

Os governos do sul da Europa estão em estado de alarme com a situação.  A este respeito leiam no link abaixo o que no Le Monde o que o presidente da Câmara de Catânia diz: “… a imigração não é uma urgência de momento, mas uma questão de fundo…”. Palavras importantes para resumir o estado em que nos encontramos, mas a que é preciso dar sequência, escolhendo caminhos e assumindo-os. E os melhores de entre nós esperam com certeza que a escolha seja nos domínios da humanidade e da solidariedade. Mas entretanto, como podem ver no segundo link abaixo, o primeiro ministro David Cameron, declarou, logo à entrada da conferência dos chefes de estado, que a Grã-Bretanha intervirá para acudir aos sinistrados e tentar neutralizar os chefes das redes dos engajadores, mas não abrirá excepções à regra de não receber migrantes/refugiados. Os que os seus navios recolherem serão depositados na praia mais próxima. Será que a extrema-direita já está no poder na Grã-Bretanha? Mas não será também que David Cameron diz alto aquilo que vários dos seus colegas pensam e calam?

 

http://www.lemonde.fr/europe/article/2015/04/24/pour-le-maire-de-catane-l-immigration-n-est-pas-une-urgence-du-moment-mais-une-question-de-fond_4621965_3214.html

http://www.theguardian.com/world/video/2015/apr/23/david-cameron-mediterranean-migrant-deaths-video

 

Leave a Reply