REVISTA DA SEMANA por Luís Rocha

revista semana

Revista da semana

De 10/05 a 15/05/2015

 Entre as várias noticias publicadas pelos órgãos de comunicação, destaco esta semana a do reconhecimento do Papa Francisco do Estado Palestiniano. A notícia foi publicada pela Lusa

Papa reconhece oficialmente Estado palestiniano

Acordo poderá ser assinado durante a visita do presidente palestiniano, no próximo fim-de-semana, ao Vaticano.

O Vaticano reconheceu, oficialmente, o Estado palestiniano. O acordo de princípio, finalizado ontem, poderá ser assinado já este fim-de-semana, durante a visita do presidente palestiniano, Mahmoud Abbas, por ocasião da canonização de dois religiosos palestinianos.

[…]

“Sim, é o reconhecimento da existência do Estado”, acrescentou, para que não restassem dúvidas, o porta-voz do Vaticano, Federico Lombardi.

Ler em:

http://economico.sapo.pt/noticias/papa-reconhece-oficialmente-estado-palestiniano_218337.html

Ao mesmo tempo e neste estado de conflitos generalizados: ideológicos, militares e geo políticos, também em notícia da Agência Lusa

Estado Islâmico pede a muçulmanos para emigrarem

O líder do grupo extremista Estado Islâmico, Abu Bakr al-Baghdadi, exortou os muçulmanos a emigrarem para o seu autoproclamado califado, na sua primeira gravação áudio nos últimos seis meses.

JAIPAL SINGH/EPA

O líder do grupo extremista Estado Islâmico, Abu Bakr al-Baghdadi, exortou os muçulmanos a emigrarem para o seu autoproclamado califado, na sua primeira gravação áudio nos últimos seis meses.

“Apelamos a todos os muçulmanos, em todos os lugares do mundo, para realizarem a hijrah (emigração) para o Estado Islâmico ou lutar na sua terra onde quer que seja”, disse.

Caso se confirme a autenticidade da gravação, esta será a primeira emitida por Abu Bakr al-Baghadadi nos últimos seis meses, depois de relatos da imprensa de que teria sido ferido.

Ler em:

http://observador.pt/2015/05/14/lider-do-grupo-extremista-estado-islamico-pede-a-muculmanos-para-emigrarem/

VENDA DA TAP

Em Portugal as noticias mais relevantes foram sobre a privatização da TAP e a “pressa” com que o governo quer resolver a situação, depois da recente greve que terá gerado cerca de 35 milhões de Euros de prejuízo, a acrescentar ao prejuízo do ano anterior de cerca de 85 milhões de Euros. Conheço um piloto da TAP que aderiu à greve e que me diz que a TAP só tem prejuízo no Brasil. Que a TAP em Portugal é rentável e viável.

Independentemente desta informação que é do conhecimento geral mas que a comunicação social não evidencia, não deixa de ser caricato a posição de urgência do governo em vender a TAP, dando a entender que cada vez vale menos e por isso é para vender por qualquer preço.

Sobre esta posição veja-se o artigo da autoria de Octávio Lousada Oliveira do DN

“Não se percebe como é que o governo minimiza o valor da TAP”, diz Ferreira Leite

Ex-líder do PSD afirma que o executivo está disposto a privatizar a empresa por “qualquer centimozinho”. E acusa Passos de esquecer o que outros fizeram quando diz que este governo é o mais reformista.

[…]

Não se percebe como é que o próprio governo minimiza o valor da TAP”, apontou a ex-presidente do PSD, notando que ninguém que se apresente num leilão como vendedor desvaloriza aquilo que tem em mãos.

“Se tivesse dinheiro, até eu me candidatava”, ironizou Ferreira Leite,

Ler em:

http://www.dn.pt/politica/interior.aspx?content_id=4568870

Ontem dia 15/05/2015 Gérman Efromovich, David Neeleman e Pais do Amaral formalizaram proposta para compra da TAP

Notícia de Dinheiro vivo/DN

O Governo já recebeu três propostas para compra da TAP. A poucos minutos do fim do prazo, tanto David Neeleman como Gérman Efromovich fizeram as suas ofertas chegar ao Governo e prometem uma corrida acesa pela empresa. Também Pais do Amaral, sobre quem ainda restavam dúvidas, fez chegar uma proposta de compra.[…]

O Executivo promete decidir rapidamente o nome do vencedor que irá ficar com uma fatia de até 61% da companhia aérea nacional e, daqui a dois anos, os restantes 34% que agora ainda ficam na mão do Estado.

[…]

As propostas vão agora ser analisadas pela TAP, que escrutinará seu interesse estratégico, pela Parpública (holding do Estado que controla a TAP) e pela Comissão Especial de Acompanhamento da Privatização. No final, e perante os vários pareceres, o Executivo escolherá o vencedor do processo.

A expectativa é que o processo possa fechar-se dentro de duas semanas, cumprindo os timmings que já aconteceram há dois anos.

Ler em:

http://www.dinheirovivo.pt/Empresas/interior.aspx?content_id=4570330

Para que se saiba o que envolve o negócio leia-se o artigo da Lusa/DN

O que herda o futuro dono da TAP? Mais de 10 mil trabalhadores e dívida superior a mil milhões de euros

O futuro dono da companhia aérea TAP compra um grupo com 70 anos de história, mais de 10.000 trabalhadores, prejuízos de 85 milhões de euros e uma dívida superior a 1.000 milhões de euros.

[…]

Veja os grandes números do grupo TAP:

A TAP – Manutenção e Engenharia Brasil registou um prejuízo de 22,6 milhões de euros, uma melhoria em 17,7 milhões de euros face ao ano anterior (45%), naquele que é o quarto ano de um plano de reestruturação da empresa que historicamente é a responsável pelos prejuízos do grupo.No ano em que o Governo relançou a privatização do grupo liderado por Fernando Pinto, os ativos a alienar desvalorizaram para 1.560 milhões de euros, que compara com 1.695 milhões de euros no ano anterior.

TRABALHADORES

O grupo TAP emprega 10.461 pessoas, sem incluir os trabalhadores da Cateringpor, das Lojas Francas e da Manutenção e Engenharia Brasil.

[…]

OUTRAS ATIVIDADES ALÉM DA AVIAÇÃO

O grupo TAP detém 100% da TAP SA, isto é, do negócio da aviação (TAP e Portugália Airlines), mas inclui outros negócios complementares como o do ‘catering’ e dos cuidados de saúde para os seus funcionários.

As duas companhias — TAP e PGA – detêm em conjunto 49,9% da Groundforce, empresa de ‘handling’ (assistência em terra), […]

A TAP é ainda proprietária da TAP Manutenção e Engenharia (em Portugal) e da TAP Manutenção e Engenharia Brasil (98,64%).

OPERAÇÃO NA AVIAÇÃO

No último ano, a TAP aumentou em 6,6% o volume de passageiros transportados, chegando ao número recorde de 11,4 milhões, mais 711 mil passageiros do que em 2013.

A rede da TAP cobre 82 destinos em 35 países a nível mundial e opera, em média, cerca de 2.500 voos por semana.

O grupo dispõe de uma frota com 77 aviões, dos quais 61 aviões de fabrico Airbus, mais 16 ao serviço da PGA, sua companhia regional (6 Fokker, 8 Embraer e 2 ATR). A companhia tem um contrato de aquisição de 12 novos aviões à Airbus.

Ler em:

http://www.dn.pt/inicio/economia/interior.aspx?content_id=4568357

Sobre os interesses dos compradores estrangeiros é interessante ver artigo do dinheiro vivo/DN, que apresenta um quadro que dá a conhecer a complementaridade que a TAP trás para os seus negócios

 

Ver em:

http://www.dinheirovivo.pt/DVMultimedia/empresas/compradores_tap2/infografia/index.html

 

Ainda sobre o tema da venda da TAP e pelo seu interesse recomendo a leitura do artigo da autoria de Ana Suspiro/Observador

O que aconteceu às companhias de bandeira que foram privatizadas

[…]

Nos seis casos analisados pelo Observador em processos realizados nos últimos dez anos, há mais reestruturações e despedimento do que as histórias de sucesso sem dor. No entanto, quando o foco se alarga às companhias cujo controlo ainda está nas mãos do Estado, nem sempre o resultado é diferente.

A viagem pelas privatizações do transporte aéreo faz a primeira escala logo aqui ao lado em Barajas, Madrid, para recordar o caso da Iberia.

[…]

O balde água fria chegou em 2012, quando a IAG anunciou um plano de reestruturação para a Iberia que previa o despedimento de quase 20% dos trabalhadores, ou seja, cerca de 4000, cortes salariais até 23%, e a diminuição de 25 aviões. Era a receita amarga para uma empresa que perdia quase dois milhões de euros por dia, na argumentação do dono inglês. Este episódio alimentou o sentimento anti-britânico em Espanha.

protestos contra o plano de reestruturação da Iberia

[…]

Há 12 transportadoras nacionais (de bandeira) cujo controlo já está nas mãos de privados na UE, três onde o Estado ainda é maioritário – mas onde já há capital privado – e sete onde o Estado detém a totalidade (ou quase) das transportadoras.

[…]

A rota das privatizações leva-nos agora a uma das histórias mais atribuladas da aviação comercial europeia. Depois de várias tentativas de reestruturação falhadas, a Alitalia entra em insolvência em 2008. A empresa é comprada por um grupo de investidores, a CAI (Companhia Aérea Italiana), cuja proposta foi aceite pelo governo italiano. A nova Alitalia, que resulta da fusão entre a empresa de bandeira e a Air One  é lançada em 2009, com custos mais baixos, menos trabalhadores e sem aviões próprios.

No mesmo ano, a Air France KLM compra uma fatia de 25% da empresa italiana com uma opção para reforçar a sua posição depois de 2013. Mas o grupo francês recusa participar num aumento de capital no quadro de uma operação de saneamento que foi promovida pelo Estado italiano. A Air France defende uma reestruturação mais acentuada e dilui a sua posição no reforço de capital. O plano da Alitalia avança em 2014 com outro investidor, a companhia do Abu Dhabi, a Etihad. Esta empresa não pode contudo adquirir mais de 49% do capital por não ser europeia. E Bruxelas está atenta.

[…]

O negócio poderá também ter um gosto amargo para muitos trabalhadores. O investimento de 560 milhões de euros terá como contrapartida o despedimento de 2250 trabalhadores, numa empresa que tem 14 mil funcionários, uma condição que não é aceite pelos sindicatos da Alitalia.

[…]

Esta volta aérea à Europa termina a Norte, na Finlândia, onde a maior dor de cabeça para a companhia de bandeira vem da concorrência feroz das low-cost. A Finnair é controlada pelo Estado, mas tem o capital disperso em bolsa. O plano radical, que ainda não estará fechado, passa por fazer o outsourcing das operações do pessoal de cabine, o que ameaça cerca de 500 postos de trabalho.

O artigo é extenso mas tem em comum, entre outros, o despedimento de trabalhadores.

Ler em:

http://observador.pt/especiais/o-que-aconteceu-as-companhias-de-bandeira-que-foram-privatizadas/

Como entretanto há eleições em Set/Out deste ano os compradores da TAP manifestam preocupações com declarações de António Costa, conforme se pode aferir pela notícia publicada no económico/sapo, da autoria de Hermínia Saraiva

Conselho de Ministros previu a possibilidade da privatização vir a ser revertida

[…]

Em causa está a possibilidade de o PS, caso venha a formar governo, reverter a venda que, estando dependente da aprovação dos reguladores da concorrência e da aviação, só deverá ser totalmente formalizada na próxima legislatura. Isto porque pontos 6 e 7 da resolução de Conselho de Ministros, que aprovou o caderno de encargos de privatização da TAP, está previsto que “até à liquidação física das compras e vendas a realizar” a privatização possa ser suspensa, ou anulada, sem que para isso haja lugar a qualquer tipo de indemnização aos potenciais compradores, bastando para tal invocar o “interesse público”.

[…]

O secretário-geral do PS disse este fim-de-semana esperar que “ninguém pense em comprar mais de 49% da TAP”. Em entrevista ao Diário de Notícias, António Costa afirmou que “o Estado tem de manter 51% do capital” da companhia aérea portuguesa, a qual considera como “a mais estratégica para o país”. E, admite, tentar “tudo aquilo que for legalmente possível” para evitar que o Estado se torne um accionista minoritário da empresa.

Ler em:

http://economico.sapo.pt/noticias/compradores-da-tap-preocupados-com-declaracoes-de-antonio-costa_218378.html

Como já estamos em periodo de pré campanha também achei interessante o artigo da autoria de

Helena Pereira/Observador

Quando a política falha, aparece a Nossa Senhora de Fátima

O exame da troika, uma mancha negra de crude e até a chuva. Em alturas de aflição, as preces viram-se para Nossa Senhora de Fátima. Mesmo as dos políticos.

AFP/Getty Images

A fé e a Nossa Senhora de Fátima entram de vez em quando pela política adentro. Às vezes com estrondo ou surpresa mas num Estado católico como o nosso vários são os políticos que não o escondem.

Em vésperas de mais um 13 de maio, com milhares de peregrinos em Fátima, o Observador foi recuperar alguns desses momentos de fé de políticos.

O Presidente da República, Cavaco Silva, protagonizou um dos momentos mais insólitos da política ao associar a aprovação de Portugal no sétimo exame da troika com um milagre da Nossa Senhora de Fátima.

[…]

Mas não se pense que o caso de Cavaco é único. Em fevereiro 2003, o petroleiro Prestige derramava uma mancha de crude no Atlântico que ameaçava as águas portuguesas.

[…]

Em entrevista à Visão, Paulo Portas, à data ministro da Defesa, viu a intervenção da providência divina: “Eu acho que Portugal, na crise do Prestige, foi ajudado por decisões firmes (que não permitiram a aproximação da fonte do problema…) e foi muito ajudado por aquilo que eu, que sou crente, acho que foi uma intervenção de Nossa Senhora“.

[…]

Há três anos, o problema era a seca que ameaçava a produção agrícola. A ministra da Agricultura, Assunção Cristas, visitou algumas explorações

[…]

“Devo dizer que sou uma pessoa de fé, esperarei sempre que chova e esperarei sempre que a chuva nos minimize alguns destes danos.

Na história da política portuguesa, já está inscrita a célebre frase de Marcelo Rebelo de Sousa de que não seria candidato nem que “Jesus Cristo descesse à terra”. A frase dita ao Público acabou por não ser cumprida. Marcelo candidatou-se efetivamente à liderança do partido e ganhou em 1996.

[…]

Foi o de António Guterres, católico praticante, que assumiu ter sido essa condição que o fez opor-se à despenalização do aborto no referendo de 1998. O PS dividiu-se, acabou por não se envolver por inteiro na campanha do ‘sim’ e o ‘não’ vingou.

Ler em:

http://observador.pt/2015/05/12/quando-a-politica-falha-aparece-a-nossa-senhora-de-fatima/

Os anseios dos portugueses após o 25 de Abril de 1974, iniciaram-se com o tempo foram esmorecendo e com a austeridade imposta e que vai continuar (não nos iludamos) irão ficar cada vez mais distantes, vítimas da ganância e benesses para quem está no poder e que pode ambicionar a tudo.

O povo, seja qual for o resultado das eleições poderá sempre usufruir da felicidade dos “3 F”

“FÁTIMA, FUTEBOL E FADO”

Sobre as eleições, de que resulta um Governo, é importante que saibamos um pouco sobre os temas de que os políticos vão falar (IV)

Tenho vindo a publicar em cada semana um vídeo de uma série de publicação de vídeos que, desde o dia 2 de Março deste ano a RTP – RTP1, RTP2, RTP Informação, RTP Internacional e RTP África – passam uma rúbrica em parceria com a Pordata “Isto é Comigo?”. Porque a compreensão das estatísticas não tem que ser um assunto exclusivo de especialistas, os programas falam de uma forma clara e acessível, sobre conceitos e indicadores que, apesar de serem familiares e de nos implicarem enquanto cidadãos, nem sempre são de compreensão imediata ou óbvia.

Esta semana apresento o  vídeo sobre:

HIPOTECA

Na Grécia a situação complica-se em cada dia que passa e os gregos começam a ter receios. Pedro Duarte escreve no diário económico:

Gregos retiram dinheiro dos bancos para guardar em casa

Os receios de que um colapso das negociações entre Atenas e os credores leve à imposição de controlos de capitais no país estão a levar os gregos a retirar o dinheiro dos bancos.

Segundo os dados revelados pelo Banco da Grécia, entre Dezembro de 2014 e Março de 2015 os depósitos junto das instituições financeiras gregas diminuíram em 26,8 mil milhões de euros, ao mesmo tempo que a moeda em circulação registou um aumento de 8,6 mil milhões de euros.

Ler em:

http://economico.sapo.pt/noticias/gregos-retiram-dinheiro-dos-bancos-para-guardar-em-casa_218451.html

Sob o título:

Morte a crédito

André Macedo em artigo de opinião no DN escreve:

A Grécia varreu os cofres, talvez já não sobre muito mais e ainda há tanto para devolver aos credores, além da prestação de 750 milhões paga ontem ao FMI. O que surpreende neste martírio não é apenas o arrastar dos pés de Alexis Tsipras, que tem tanto de tático como de condenado: a ideia do referendo, lançada nas últimas semanas pelo Syriza, revela desespero. É uma saída para tentar legitimar o que também pode ser visto como um suicídio coletivo – a saída do euro, a interrupção da normalidade económica e social.

[…]

A assinatura do memorando desencadeou uma recessão inevitável, o PIB caiu mais de 25%, mas pelo caminho os preços não baixaram, houve inflação – 4,7% logo em 2010, o triplo da média da zona euro; 3,1% no ano seguinte e, em 2012, os preços continuaram a subir. Ou seja, enquanto os rendimentos caíam – as pensões foram cortadas onze vezes – o custo de vida aumentou. É a morte de um país às prestações. A morte a crédito. O radicalismo não é uma característica exclusiva do Syriza, embora o tenha de sobra. A Europa do euro também está para lá do senso e do sentido comum.

Ler em:

http://www.dn.pt/inicio/opiniao/editorial.aspx?content_id=4562346

A vida e o percurso político da mulher que ambiciona ser presidente dos EUA

Artigo de Paulo Jorge Pereira/Económico

Importante fonte de financiamento nas campanhas para as presidenciais, a comunidade cinematográfica já desenvolve iniciativas e recolhe fundos indispensáveis ao êxito

Scarlett Johansson, Jennifer López, Jesse Tyler Ferguson, Lena Dunham, Uzo Aduba ou Amy Poehler são nomes sonantes de Hollywood e têm em comum o apoio já manifestado a Hillary Clinton como candidata à presidência dos Estados Unidos. “Está na hora de ter uma mulher como presidente”, justificou López. Da música e do desporto também chegaram manifestações de apoio – Carole King e Ariana Grande já o fizeram através do Twitter, Magic Johnson, antiga estrela dos Lakers, também usou as redes sociais para passar a mensagem de que Hillary “lutará pelos pobres e pela classe média, apoiando também os jovens”.

A partir de ontem, por ocasião da visita de Hillary Clinton a Los Angeles, várias acções foram planeadas. Com um pequeno-almoço em casa de Catharine Unger onde eram esperados 125 participantes, arrancou a angariação de fundos. Seguiu-se uma acção com o casal Steven e Dana Bochco a liderar e que deveria incluir 350 pessoas, entre as quais a senadora Barbara Boxer como presença especial. Este segundo caso valeu 5.400 dólares por casal, ou seja, o máximo legal de 2.700 dólares por pessoa. Um terceiro evento estava programado para casa de Haim Saban (o multimilionário de media) e de Cheryl, a mulher, no qual se envolveram 500 participantes.

Já 44 homens foram presidentes dos Estados Unidos. Hillary Clinton anunciou, a 12 de Abril, que se candidata a ser a primeira mulher a desempenhar o cargo. E, desde ontem, o apoio de Hollywood já começou a traduzir-se em verbas para alimentar a sua campanha com eventos que vão decorrer de Los Angeles a Nova Iorque, passando ainda por Chicago. Steven Spielberg, George Clooney, Meryl Streep, Barbra Streisand e Tom Hanks já apoiaram a ex-secretária de Estado e Jeffrey Katzenberg, CEO do estúdio Dreamworks, foi anfitrião de um jantar em Outubro que valeu 2,1 milhões de dólares angariados para os Democratas.

[…]

De Chicago para o Mundo

Nascida a 26 de Outubro de 1947 em Chicago, no estado de Illinois, Hillary Diane Rodham foi uma brilhante estudante de Direito e praticante de vários desportos, entre os quais natação e o voleibol

[…]

Formada em Ciências Políticas por Wellesley, o discurso na abertura do ano lectivo da sua graduação, em 1969, valeu-lhe a capa da revista “Life”: “O desafio hoje é fazer política como a arte de tornar possível aquilo que parece impossível”, disse.

[…]

Autora de vários livros, o mais destacado é a autobiografia “Living History”, de 2003, pelo qual recebeu oito milhões de dólares da editora Simon & Schuster. No Verão do ano passado surgiu “Hard Choices”, uma outra obra autobiográfica, esta escrita num tom mais descontraído onde fica a saber-se, por exemplo, que Hillary aproveitava as viagens de avião (e fez mais de 500 no papel de secretária de Estado) para provar produtos dos países visitados: queijo de Oaxaca (México), salmão fumado (Irlanda) e frutas tropicais (Camboja).

Ler em:

http://economico.sapo.pt/noticias/a-vida-e-o-percurso-politico-da-mulher-que-ambiciona-ser-presidente-dos-eua_218001.html

Morreu B.B. King

B.B. King num concerto em Espanha

REUTERS|Rafael Marchante

O guitarrista, compositor e cantor de reconhecimento mundial, que influenciou uma geração de guitarristas de rock de Eric Clapton a Stevie Ray Vaughan, entrou para o “Rock and Roll Hall of Fame” em 1987, aos 61 anos de idade, e somou mais de 30 nomeações para os prémios Grammy.

 O músico, natural do Mississipi, chamava-se na verdade Riley Ben King, ficando as iniciais B.B. a dever-se ao seu pseudónimo “Blues Boy” (rapaz dos blues), nos anos em que trabalhou na rádio.

Ler e ver vídeos em:

http://www.dinheirovivo.pt/Economia/interior.aspx?content_id=4569259

 

Leave a Reply