PLATAFORMA IDEASFORWARD – JOVENS ARQUITECTOS DO PORTO CONQUISTAM PALCO DA EIRA DO FESTIVAL BONS SONS (TOMAR)

SJfvECT-_400x400

JOVENS ARQUITECTOS DO PORTO

CONQUISTAM PALCO DA EIRA

DO FESTIVAL BONS SONS (TOMAR)

 

BS-header-logo

 

Em parceria com o BONS SONS (um festival de música portuguesa que decorre no terceiro fim-de-semana de Agosto, na Aldeia de Cem Soldos, em Tomar) e organizado pela associação cultural local SCOCS, a plataforma ideasforward lançou um concurso internacional de ideias para a criação de um espaço de acolhimento na zona do Palco Eira.

Dirigido a arquitectos e designers, este concurso decorreu entre 17 de Março e 8 de Maio e pretendeu envolver a comunidade criativa portuguesa e internacional na procura da melhor solução para aquele espaço, integrado numa aldeia e num festival com características muito particulares.

O júri do concurso, composto pelo director do Festival BONS SONS, Luís Ferreira, e por representantes dos Ateliers de arquitectura LIKEarchitects, Artéria e Pedro Novo, e pelo atelier de design multidisciplinar Pedrita, recebeu 25 propostas de 10 países: Portugal, Espanha, França, Suíça, Alemanha, UK, Grécia, Brasil, USA e Tailândia.

O primeiro classificado, além de ver a concretização do seu projecto já nesta edição do BONS SONS, recebe ainda um prémio no valor de 1.000€, uma vivência integral do Festival e a divulgação do projecto vencedor através dos parceiros de comunicação do BONS SONS e da ideasforward.

A equipa vencedora do concurso é composta por Orlando Gilberto-Castro e Tiago Ascensão, ambos provenientes do Mestrado em Arquitectura da Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto, que concorreu com o projecto TECTO.

A proposta partiu do valor simbólico da eira, enquanto polo agregador e de união da comunidade em torno de uma actividade de interesse comum e também enquanto local de produção de alimento, de subsistência e sobretudo de identidade.

O projecto concebido envolve uma estrutura de sucessivas faixas verticais suspensas com dimensão variável, feitas a partir de sacas de batatas. Estas faixas serão alternadas com um sistema de iluminação por gambiarras que remete para as tradicionais celebrações de rua. A estrutura conta ainda com aspersores de água que, adicionalmente à sombra proporcionada pelas faixas, aumentam a sensação de frescura deste espaço.

Esta composição fluida, pensada para optimizar o conforto e aliada à visibilidade do espaço, permitirá aos visitantes um ponto de sombra alargada e de refrescamento na continuidade da Aldeia para o espaço de concerto.

O segundo lugar do concurso de ideias foi atribuído a uma equipa de Paris e o terceiro lugar a uma equipa de Madrid. Também foram conferidas 12 menções honrosas a participantes de Braga, Hamburgo, Bordéus, Fátima, Lisboa (3), Santiago de Compostela, Lausanne, Porto, Torres Novas e Guimarães.

Os autores:

ORLANDO GILBERTO-CASTRO. 1989, Porto

Concluiu o mestrado em arquitectura na Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto, com a prova O sujeito não especializado: a instalação efémera como estímulo perceptivo para a habitação plurifamiliar (2014).

Estreou-se como performer com Sem Título 01, no ciclo Variação da Cultura, Teatro Municipal Rivoli (2014).

Integrou a organização e equipa de investigação do ciclo internacional de conferências Prática(s) de Arquitectura – Projecto | Investigação | Escrita (2012) e participou em diversos workshops, como Porto Redux ou (re)habitar a cidade (2008) Arquitectura Humanitária (2009) e Espaço Cénico (2011).

Trabalha em teatro amador desde 2005. É membro da Direcção do Teatro Universitário do Porto desde 2013, trabalhando como intérprete desde 2011. Trabalhou com Cláudio da Silva, Victor Hugo Pontes, Gonçalo Amorim, entre outros.

Realizou trabalho como cenógrafo, com Marta Pereira e Tiago Ascensão, com quem realizou também a instalação ESCORA, que integrou o Festival Internacional de Arte no Espaço Público de Torres Vedras (2014).

http://orlandogilbertocastro.weebly.com/

TIAGO ASCENSÃO. 1990, Porto

Encontra-se em processo de conclusão do mestrado na Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto, investigando a área da significação do tempo na arquitectura.

Iniciou estágio de arquitectura em Serôdio, Furtado & Associados em 2013.

Realizou a residência CinemArchitectureTimelessSpace, em Tallin, Estónia e o workshopArquitetura, Paisaje y Arqueología, na estação arqueológica de Tiermes, Soria, e em Valladolid, Espanha.

Obteve várias menções honrosas: no concurso Go!Architecture v05 Oficinas Sociais, com o projecto Playmobil (2014); no Concurso Ibérico de Soluções para Construção PLADUR Colonização de Estruturas, com o projecto Amanhã³ (2011) e no concurso Go!Architecture v02 Cinemateca dos Guindais, com o projecto Linha (2009).

Integrou o colectivo Prática(s) de Arquitectura, organizando o ciclo de conferências internacional Prática(s) de Arquitectura – Projecto | Investigação | Escrita e formando um grupo de investigação (2012).

Participou na 3ª edição do PechaKucha Fundão, no colectivo HAAlpedrinha.05, apresentando a investigação realizada no âmbito da arquitectura e história na vila de Alpedrinha, Fundão (2013).

http://cargocollective.com/tiagoascensao/

________

Ver mais em:

Click to access EIRA-CONCURSO-PT.pdf

http://www.bonssons.com/scocs/

 

Leave a Reply