“CARTA AO PAI” DE FRANZ KAFKA, DIAS 15 E 16 DE JUNHO, NO TEATRO NACIONAL SÃO JOÃO

Publicada em 1919, e desde então minuciosamente examinada por uma legião de biógrafos e exegetas, a carta visava responder a uma pergunta que o pai do escritor, Hermann Kafka, lhe dirigira – por que razão dizes ter medo de mim? –, mas nunca chegou às mãos do seu destinatário

O FITEI no TNSJ
15+16 Junho | Mosteiro São Bento da Vitória
1549330_10153037893349423_6889207569253468174_n

Ao comemorar trinta anos de carreira como encenador e investigador teatral, Antonio Gilberto – actualmente, director do Centro de Artes Cénicas da Funarte/Ministério da Cultura do Brasil – decidiu encenar Carta ao Pai, de Franz Kafka. Publicada em 1919, e desde então minuciosamente examinada por uma legião de biógrafos e exegetas, a carta visava responder a uma pergunta que o pai do escritor, Hermann Kafka, lhe dirigira – por que razão dizes ter medo de mim? –, mas nunca chegou às mãos do seu destinatário. Implacável ajuste de contas com a sombra despótica do progenitor, e uma sensível incursão nos temas da autoridade e da culpa, Carta ao Pai tornou-se não apenas um texto apetecível do “kafkianismo”, mas um clássico nuclear da literatura universal.

Encenação – António Gilberto; tradução – Modesto Carone, direcção de arte – Rui Cortez; vídeo – Mariana Bley; desenho de luz- Tomás Ribas, preparação vocal – Rose Gonçalves, preparação corporal – Joana Ribeiro, direcção de produção – Damiana Guimarães, interpretação Rodrigo Abreu, produção – Bloco Pi Produções (Brasil)

Leave a Reply