SINAIS DE FOGO -“VENDEDORES OLÁ” – por Soares Novais

Imagem51 – Há uns anos apresentaram-me um tipo como sendo “o filho do dono da Olá”. O sujeito acabou por casar com a filha de um amigo pelo que, amiúde, cruzávamo-nos. Trocávamos, então, algumas poucas palavras. Nunca fui com a cara dele nem ele com a minha. Um dia o nosso encontro demorou mais do que o habitual e o dito aproveitou para fazer um longo “discurso” contra a esquerda que dizia, ele, usava sempre “a mesma ‘cassete’ contra os empreendedores”. Eu sorria, ouvia-lhe todas as tontarias, voltava a sorrir, até que pedi autorização para me levantar da mesa. Fui ao carro, saquei uma “cassete” com canções interpretadas pelo Sinatra e ofereci-lha. “Olhe, esta é a cassete que eu estava a ouvir até chegar a este agradável convívio…” Ora é dele, do “filho do dono da Olá”, que me lembro quando, por qualquer malfadada sorte, o meu olhar se cruza com o primeiro-ministro em exercício e não tenho possibilidade de mudar da “canal”. O “rapazito”, tal qual lhe chamou o seu companheiro Alberto João Jardim, padece da mesma “ciência política”, “inteligência”, “capacidade argumentativa” e “nível cultural” do “filho do dono da Olá” que afinal, foi-me dito mais tarde, era apenas um vendedor de gelados daquela marca.

2 – “Porta-te bem e ganharás o céu”. Esta frase bíblica, que cito de cor e tantos “anjinhos” tem dado a todas as igrejas de Cristo, assenta como luva, na promessa governamental de que “em 2016 o Estado poderá devolver 100 milhões de euros” aos portugueses. Milhões que cobrou a mais com a sobretaxa do IRS. Mas atenção: tal só acontecerá se se mantiver “o crescimento das receitas”. A promessa foi feita agora, que estamos a caminho das Legislativas, e propalada aos quatro ventos por todas as “sirenes” governamentais. Tenham elas a forma de jornais, canais de rádio e de televisão, porta-vozes oficiais ou oficiosos, ministros ou secretários. Pires de Lima, ministro da Economia em exercício, foi ainda mais longe: durante uma entrevista a uma estação de rádio defendeu o aumento do Salário Mínimo Nacional, pois em seu entender “tal beneficiará a economia do país”. Trata-se de uma verdade obviamente … óbvia. Mas é bom que os portugueses que apenas recebem tão miserável salário – e cada vez são mais! – não esqueçam que o autor de tão simpática frase é Pires de Lima.

Ou seja: o mesmo personagem que enquanto cervejeiro disse cobras e lagartos da taxação do IVA a 23% e que quando assumiu a pasta se calou para sempre…

Leave a Reply