A COLUNA DE OCTOPUS – BENFICA-SPORTING, UMA GUERRA ALIENANTE

octopus1

 

guerra alienante

 

Os valores financeiros no futebol são colossais e atraíram operações mafiosas apenas reveladas ultimamente. 

Esta modalidade desportiva foi elevada a desporto rei para promover a alienação das massas que a sustenta para fazer esquecer o dia a dia dos oprimidos.

É o pão e circo do romanos. Não que o circo seja mau em si, dado que de tempos a tempos necessitamos de esquecer os problemas quotidianos, mas foi aproveitado para outros fins, como nos romanos, para alienação.

A rivalidade entre clubes pode ser benéfica quando não se confunde adversário e inimigo. Não é o que está a acontecer. O clube “inimigo” tornou-se uma obsessão e um alvo a abater, abater no verdadeiro sentido da palavra. Um simples jogo torna-se numa verdadeira guerra.

O futebol tornou-se numa espécie de religião, uma religião laica, que permite, como um droga, responder a uma sociedade globalizada ao sentimento paradoxal da solidão das massas.

O futebol reúne todos os elementos reprimidos pela sociedade globalista: a noção de pertença a um grupo e o empolamento nacionalista, mas também reúne os valores machistas e exibicionistas desses mesmos valores.

Reúne noções políticas e étnicas. É uma diversão niilista tornada numa diversão despolitizante e fascizante em vez de uma pura distração popular.

Os termos empregues pelos actores desportistas e sobretudo pelas os seus dirigentes são ricos em palavras de ódio e guerra. Os futebolistas vão para este campo de batalha como verdadeiros gladiadores com o intuito de aniquilar o adversário a qualquer custo.

As claques, movimentos primitivos fascizantes, colocam em estado de sitio as vilas locais e têm de ser enquadradas por forças policiais.

Longe vai o tempo dos jogos de futebol de confraternização. Hoje em dia têm todos os ingredientes fascistas: gigantismo, hierarquia, slogans simplistas, símbolos, som altíssimo, cores e bandeiras identitárias.

1 Comment

  1. Exmª Administração de A Viagem dos Argonautas No passado dia 23 do corrente, a propósito de um comentário que fiz a um texto de José Brandão, dei a entender que pretendia receber os vossos mails. Fi-lo indevidamente, pois estava a querer referir-me apenas a eventuais comentários, do género do que então acabava de elaborar, e não ao que, daí para cá passou a acontecer: a constante chegada à caixa do correio do meu PC das mais variadas notícias e informações enviadas por «comment-rely@wordpress.com ». Não é que não me interesse pela maioria dos temas, mas, entre outras, três são as razões que me levam a endereçar-vos estas linhas: a minha idade, os problemas de visão e a sobrecarga do meu velho computador. Por isso, solicito que interrompam o envio das vossas comunicações, ficando grato pelo que já me enviaram e sobretudo pela interrupção imediata das vossas partilhas. Cumprimentos. Sérgio O. Sá

Leave a Reply