3.000 COLETES DE REFUGIADOS QUE CRUZAM O MAR EGEU ASSINALAM A ESPERANÇA, EM IMAGEM DE PAZ por clara castilho

Do site da Greenpeace tirámos a seguinte informação.

A uma curta distância da aldeia de Molyvos, na ilha grega de Lesbos lá é um depósito de lixo de coletes, largados por quem ali consegue chegar.Agora testemunham a esperança e o sofrimento das pessoas que fugiram da guerra, pobreza e opressão este ano.

Quase 500.000 pessoas cruzaram o mar Egeu para Lesbos, muitos deles sírios, iraquianos e afegãos. O local fica como uma estátua, um lembrete silencioso de riscos e que muitos mais ainda tenho esperança de uma travessia segura.

Também inclui os coletes de quem nunca conseguiu este objectivo, daqueles que perderam suas vidas no mar e pode nunca voltar para casa ou continuar a sua viagem ao norte.

Em Novembro de 97 pessoas morreram no Mediterrâneo Oriental e 187 perderam suas vidas em Dezembro. Eles são as vítimas, vítimas do seu desespero e o fracasso em curso de líderes da UE para fornecer a passagem segura.

Em honra dessas pessoas e com a esperança de tempos melhores, os Médicos Sem Fronteiras e a equipa do Greenpeace em Lesbos utilizaram alguns destes coletes usados para formar um sinal de paz nas colinas de Lesbos, no dia 1 de Janeiro. A eles se juntaram outros grupos, mais de 100 voluntários usando cerca de 3.000 coletes para criar a imagem.

121436_205890

A imagem foi posicionada acima o despejo e tendo em conta a 10 km de mar que separa Lesbos da Turquia, um Golfo como nenhum outro – mas um abismo que deve ser ultrapassado.

Desde que o MSF e o Greenpeace começaram uma operação marítima conjunta em torno de Lesbos, em Novembro, para proporcionar atividades de salvamento no mar, em coordenação com a guarda costeira grega, têm ajudado milhares de refugiados e migrantes chegarem com segurança até a praia.

Embora o número de chegadas tenha diminuído desde os meses de outono, em Dezembro mais de 100.000 pessoas ainda fez a travessia para as ilhas gregas, desafiando os mares de inverno e tempo tempestuoso em barcos superlotados e frágeis.

A agência de refugiados da ONU que ACNUR, alertou, no entanto, que as chegadas iam continuar em 2016. MSF e Greenpeace permanecerão operacionais no mar Egeu, fazendo tudo o que puderem para auxiliar barcos de refugiados em perigo.

Também exortam os seus apoiantes para compartilhar a imagem do sinal de paz em honra dos refugiados e migrantes e como forma de agradecimentos aos voluntários e comunidades locais no trabalho de Lesbos para garantir que 2016 pode começar com um salvo-conduto.

Leave a Reply