A COLUNA DE OCTOPUS – PORTUGAL E A FUTURA MALDIÇÃO DO PETRÓLEO?

octopus1

 

A grande maioria das populações dos países produtores de petróleo não tira qualquer benefício dessa produção. À excepção da Noruega e dos Estados Unidos, as populações de países produtores de petróleo são pobres, exceptuando uma pequena minoria privilegiada. Além desse facto, esses países são cobiçados pelas grandes multinacionais e objecto de conflitos económicos e militares. As pressões e disfuncionamento entre as companhias petrolíferas e os governos, leva a que, apesar de teoricamente as populações serem “proprietárias” do petróleo produzido nos seus países, os cidadãos pouco ou nada beneficiem com recurso natural.

Áreas-concessionadas-para-petróleo-no-mar

 

Existe petróleo em Portugal?

Tudo leva a crer que sim. Por um lado, no período Jurássico, a Terra estava unida e Portugal estava colado com a zona da Nova Escócia, no Canadá, onde actualmente existe uma grande produção de petróleo. Por outro lado, foi encontrado petróleo ao largo da Mauritânia e Marrocos, países esses próximos de Portugal.

Desde 2007 já foram feitas 175 sondagens no mar português com a descoberta de petróleo e gás em 117 dessas sondagens.

A produção de petróleo é benéfica para Portugal?

Para um país totalmente dependente do exterior no aprovisionamento em petróleo e gás, tudo leva a crer que seria benéfico para Portugal produzir estes recursos naturais. Esta produção levaria a uma redução do seu défice energético. No entanto, essa exploração depende das contrapartidas para o Estado português.

Uma coisa já sabemos: o Estado português comprará o combustível extraído em Portugal ao preço praticado nos mercados internacionais. Após descontar todos os custos operacionais de produção, o valor a pagar ao Estado português será de apenas de 5% nos primeiros 5 milhões de barris e de 9% a partir dos 10 milhões de barris. Os contractos de concessão podem ir até 55 ano. E pasmem-se: a produção de gás fica isenta de qualquer imposto!

 428852_140546619405137_100003494008810_149726_68747893_n

Risco ambiental.

Além do risco económico, o risco ambiental é enorme. De ter em conta que para além do risco ambiental evidente, existe um risco evidente para a pesca e para o turismo. Para a pesca porque esta zona é particularmente sensível nesta zona e para o turismo dado que é a zona do Algarve é uma zona de turismo por excelência. As zonas de exploração e das bocas de queima poderão ficar a escassos 8,5 km da costa o que irá degradar a paisagem algarvia.

1 Comment

  1. Tenho uma dúvida muito grande,será melhor não fazer nada,fazer bem feito (?),ou ir com o Solnado procurar Petróleo ao Beato ?. Mas fico triste com as opções tão reduzidas e de lucro quase ZERO.

Leave a Reply