Posts Tagged: portugal

A reforma das pensões ou a impossibilidade de transportar património monetário para o futuro – 6. Novas-Velhas Profecias sobre o Futuro das Pensões. Por Maria Clara Murteira

Seleção de Francisco Tavares 6. Novas-Velhas Profecias sobre o Futuro das Pensões  Por Maria Clara Murteira Publicado por em 23 maio de 2019 (ver aqui)   Em Abril, a comunicação social deu ampla divulgação aos resultados de um estudo patrocinado

A reforma das pensões ou a impossibilidade de transportar património monetário para o futuro – 6. Novas-Velhas Profecias sobre o Futuro das Pensões. Por Maria Clara Murteira

Seleção de Francisco Tavares 6. Novas-Velhas Profecias sobre o Futuro das Pensões  Por Maria Clara Murteira Publicado por em 23 maio de 2019 (ver aqui)   Em Abril, a comunicação social deu ampla divulgação aos resultados de um estudo patrocinado

O CRESCIMENTO ECONÓMICO EM PORTUGAL, O AUMENTO DO CRÉDITO AO SETOR PÚBLICO, A REDUÇÃO DO CRÉDITO AO SETOR PRIVADO E AOS PARTICULARES, E OS LUCROS NUM SETOR EM CRISE E CADA VEZ MAIS DOMINADO PELA BANCA ESTRANGEIRA, por EUGÉNIO ROSA

O CRÉDITO À ECONOMIA E ÀS FAMÍLIAS NÃO TEM AUMENTADO, E A SUBIDA RESIDUAL DO CRÉDITO É DEVIDA AO CRESCENTE ENDIVIDAMENTO DAS ADMINISTRAÇÕES PÚBLICAS Quadro 1- A evolução do endividamento do setor não financeiro no período 2015/2019 A PERDA DE

O CRESCIMENTO ECONÓMICO EM PORTUGAL, O AUMENTO DO CRÉDITO AO SETOR PÚBLICO, A REDUÇÃO DO CRÉDITO AO SETOR PRIVADO E AOS PARTICULARES, E OS LUCROS NUM SETOR EM CRISE E CADA VEZ MAIS DOMINADO PELA BANCA ESTRANGEIRA, por EUGÉNIO ROSA

O CRÉDITO À ECONOMIA E ÀS FAMÍLIAS NÃO TEM AUMENTADO, E A SUBIDA RESIDUAL DO CRÉDITO É DEVIDA AO CRESCENTE ENDIVIDAMENTO DAS ADMINISTRAÇÕES PÚBLICAS Quadro 1- A evolução do endividamento do setor não financeiro no período 2015/2019 A PERDA DE

UMA CARTA DO PORTO – Por José Fernando Magalhães (292)

. FERNÃO DE MAGALHÃES CONVENTO CORPUS CHRISTI – PORTO CARTOON COMEMORAÇÃO DOS 500 ANOS DA VIAGEM DE CIRCUM-NAVEGAÇÃO . O Convento de Corpus Christi, em Vila Nova de Gaia, também conhecido como “Convento de São Domingos das Donas do Porto”,

UMA CARTA DO PORTO – Por José Fernando Magalhães (292)

. FERNÃO DE MAGALHÃES CONVENTO CORPUS CHRISTI – PORTO CARTOON COMEMORAÇÃO DOS 500 ANOS DA VIAGEM DE CIRCUM-NAVEGAÇÃO . O Convento de Corpus Christi, em Vila Nova de Gaia, também conhecido como “Convento de São Domingos das Donas do Porto”,

SALÁRIOS REAIS DIMINUEM EM PORTUGAL ENTRE 2015 E 2018 SEGUNDO O MINISTÉRIO DO TRABALHO – por EUGÉNIO ROSA

http://gep.msess.gov.pt/estatistica/gerais/be.html Quadro 1 – Evolução da Remuneração Base Mensal e do Ganho Mensal nominais e reais dos trabalhadores portugueses – setor privado- período 2015/2018 A EXPULSÃO PARA O ESTRANGEIRO DOS TRABALHADORES MAIS QUALIFICADOS Quadro 2 – A variação da Remuneração

SALÁRIOS REAIS DIMINUEM EM PORTUGAL ENTRE 2015 E 2018 SEGUNDO O MINISTÉRIO DO TRABALHO – por EUGÉNIO ROSA

http://gep.msess.gov.pt/estatistica/gerais/be.html Quadro 1 – Evolução da Remuneração Base Mensal e do Ganho Mensal nominais e reais dos trabalhadores portugueses – setor privado- período 2015/2018 A EXPULSÃO PARA O ESTRANGEIRO DOS TRABALHADORES MAIS QUALIFICADOS Quadro 2 – A variação da Remuneração

25 de Abril, hoje. Por Francisco Tavares

 por Francisco Tavares em 25 de Abril de 2019 Como dizia o Zeca, Grândola Vila morena Terra da fraternidade O povo é quem mais ordena Dentro de ti ó Cidade Mas, hoje, 25 de Abril de 2019, será ainda assim?

25 de Abril, hoje. Por Francisco Tavares

 por Francisco Tavares em 25 de Abril de 2019 Como dizia o Zeca, Grândola Vila morena Terra da fraternidade O povo é quem mais ordena Dentro de ti ó Cidade Mas, hoje, 25 de Abril de 2019, será ainda assim?

Do plano técnico ao plano político: do sistema Target 2 à fragmentação financeira da União Europeia – 16. A nova morfologia do risco na zona euro (6/6). Por Marcello Minenna

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota 16. A nova morfologia do risco na zona euro (6/6)  Por Marcello Minenna Publicado por  em 25 de fevereiro de 2019 (texto original aqui) [N.E.: Este texto conclui a série Do plano técnico

Do plano técnico ao plano político: do sistema Target 2 à fragmentação financeira da União Europeia – 16. A nova morfologia do risco na zona euro (6/6). Por Marcello Minenna

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota 16. A nova morfologia do risco na zona euro (6/6)  Por Marcello Minenna Publicado por  em 25 de fevereiro de 2019 (texto original aqui) [N.E.: Este texto conclui a série Do plano técnico

Do plano técnico ao plano político: do sistema Target 2 à fragmentação financeira da União Europeia – 16. A nova morfologia do risco na zona euro (5/6). Por Marcello Minenna

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota 16. A nova morfologia do risco na zona euro (5/6)  Por Marcello Minenna Publicado por  em 25 de fevereiro de 2019 (texto original aqui) [N.E.: Este texto conclui a série Do plano técnico

Do plano técnico ao plano político: do sistema Target 2 à fragmentação financeira da União Europeia – 16. A nova morfologia do risco na zona euro (5/6). Por Marcello Minenna

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota 16. A nova morfologia do risco na zona euro (5/6)  Por Marcello Minenna Publicado por  em 25 de fevereiro de 2019 (texto original aqui) [N.E.: Este texto conclui a série Do plano técnico

Do plano técnico ao plano político: do sistema Target 2 à fragmentação financeira da União Europeia – 16. A nova morfologia do risco na zona euro (3/6). Por Marcello Minenna

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota 16. A nova morfologia do risco na zona euro (3/6)  Por Marcello Minenna Publicado por  em 25 de fevereiro de 2019 (texto original aqui) [N.E.: Este texto conclui a série Do plano técnico

Do plano técnico ao plano político: do sistema Target 2 à fragmentação financeira da União Europeia – 16. A nova morfologia do risco na zona euro (3/6). Por Marcello Minenna

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota 16. A nova morfologia do risco na zona euro (3/6)  Por Marcello Minenna Publicado por  em 25 de fevereiro de 2019 (texto original aqui) [N.E.: Este texto conclui a série Do plano técnico

Do plano técnico ao plano político: do sistema Target 2 à fragmentação financeira da União Europeia – 14. Uma retrospetiva: o que significou realmente “a partilha de riscos” na zona euro. Por Marcello Minenna

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota 14. Uma retrospetiva: o que significou realmente “a partilha de riscos” na zona euro  Por Marcello Minenna Publicado por Financial Times, Alphaville, em 11 de outubro de 2018 (texto original aqui) O presente

Do plano técnico ao plano político: do sistema Target 2 à fragmentação financeira da União Europeia – 14. Uma retrospetiva: o que significou realmente “a partilha de riscos” na zona euro. Por Marcello Minenna

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota 14. Uma retrospetiva: o que significou realmente “a partilha de riscos” na zona euro  Por Marcello Minenna Publicado por Financial Times, Alphaville, em 11 de outubro de 2018 (texto original aqui) O presente

Em nome da competitividade: Portugal mais longe da Democracia Real, mais perto de ser um paraíso fiscal? – “Conheça Portugal, o novo paraíso fiscal”, por Francis Weyzig

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota Conheça Portugal, o novo paraíso fiscal  Por Francis Weyzig Texto editado pelo autor em 25 de outubro de 2017 Há algumas semanas, o escritório de advogados Henley & Partners promoveu os seus programas

Em nome da competitividade: Portugal mais longe da Democracia Real, mais perto de ser um paraíso fiscal? – “Conheça Portugal, o novo paraíso fiscal”, por Francis Weyzig

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota Conheça Portugal, o novo paraíso fiscal  Por Francis Weyzig Texto editado pelo autor em 25 de outubro de 2017 Há algumas semanas, o escritório de advogados Henley & Partners promoveu os seus programas

A responsabilidade da esquerda na trajetória de ascensão do neoliberalismo – algumas grelhas de leitura: 13. A leitura de Joana Ramiro – O Governo “engenhoca” de Portugal: há substância para além da retórica?

Seleção de Júlio Marques Mota e tradução de Francisco Tavares 13. O Governo “engenhoca” de Portugal: há substância para além da retórica?  Por Joana Ramiro Publicado por  em 27 de fevereiro de 2019   A coligação pluralista de esquerda –

A responsabilidade da esquerda na trajetória de ascensão do neoliberalismo – algumas grelhas de leitura: 13. A leitura de Joana Ramiro – O Governo “engenhoca” de Portugal: há substância para além da retórica?

Seleção de Júlio Marques Mota e tradução de Francisco Tavares 13. O Governo “engenhoca” de Portugal: há substância para além da retórica?  Por Joana Ramiro Publicado por  em 27 de fevereiro de 2019   A coligação pluralista de esquerda –