CABO VERDE: PRESERVAR O CAMPO DO TARRAFAL COMO EXEMPLO DE LUTA PELA LIBERDADE por Clara Castilho

caboverde21

O Governo de Cabo Verde quer elevar o Campo de Concentração do Tarrafal a Património da Humanidade para preservar a memória de todos os que lutaram pela liberdade em Portugal e na África lusófona.

A ideia já é antiga, já era Património Cultural Nacional, mas vê-se agora renovada como a recente transformação em museu do Campo de Concentração do Tarrafal, cuja inauguração se verificou no passado dia 20 de Janeiro, pelos primeiros-ministros de Portugal, António Costa, e de Cabo Verde, José Maria Neves.

3-Campo-de-Concentraçao-do-Tarrafal-Revista-Nos-Genti--1024x682

José Maria Neves, primeiro-ministro de Cabo Verde, quer dialogar e trabalhar com Portugal e todos os outros países de língua portuguesa para chegar a um objectivo conjunto:
– “transformar este património não só em património do mundo lusófono, mas em património de toda a humanidade”

– “preservar a memória de todas e de todos os que lutaram pela liberdade”

– “para provar ao mundo que jamais haverá outros campos de concentração como este”.
Capturar

O processo de inscrição do campo na lista indicativa da UNESCO está concluído, no que Portugal colaborou.

Iniciado no ano de 1936 que no campo do Tarrafal, nele morreram 32 presos políticos portugueses e dezenas de outros oriundos das então colónias de Portugal.

Campo de Concentração do Tarrafal 00

Ver também:

http://aviagemdosargonautas.net/2015/01/18/espaco-de-cabo-verde-3/

 

Leave a Reply