CONTOS & CRÓNICAS – NO ÚLTIMO SÁBADO, 26, MORREU JIM HARRISON -por Carlos Reni da Silva Melo

      

 Escritor e poeta americano que explorou a natureza com obras como Lendas da Paixão,  JIM HARRISON morreu aos 78 anos. Estava em casa, na cidade de Patagônia, no Estado do Arizona.  Harrison escreveu 21 obras de ficção e 14 livros de poesia, assim como ensaios e histórias infantis. Bebedor, fumante e também maníaco-depressivo, em suas palavras produzia obras literárias que refletiam seu amor pela natureza selvagem, pela caça e pela pesca. Casou com LINDA KIND, em 1959, com teve duas filhas. Era um glutão, pois amava comida e também tinha paixão por viajar. Ele acabara de publicar o romance The Ancient Minstrel  e o livro de poesias Dead Man’s Float. Representante da sua editora declarou que “os Estados Unidos perderam um de seus melhores escritores”

 Nascido em Grayling, Michigan, (EUA), Harrison teve uma infância difícil no meio rural. Ficou cego de um olho, quando criança, e perdeu o pai e a irmã em um acidente de carro, quando tinha 21 anos.            

Descrito como um escritor “macho”, ao estilo de Ernest Hemingway, Harrison sempre dizia que a comparação era resultado dos temas que ambos abordavam.   Seu primeiro romance, Lobo, (1971), conta a história de um homem, o coronel WILLIAN LUDLOW, que se mudou para um rancho em Monatana, com seus dois filhos. Essa história tornou-se um filme protagonizado por ANTHONY HOPKINS  e BRAD PITT, em 1994. O autor participo do roteiro e, talvez pelo convívio com esses dois atores, teve muitos amigos, mais tarde, entre os astros do cinema americano.

LENDAS DA PAIXÃO (Legends of the Fall), de 1979, compreende três histórias curtas, com base nas Montanhas Rochosas, e se tornou numa das obras mais conhecidas do autor. Na adaptação para o cinema, teve Brad Pitt como protagonista.

              

Leave a Reply