ASSIM DIZ O RELATÓRIO por Luísa Lobão Moniz

olhem para  mim

 

Os jovens portugueses são os que têm pior percepção do seu desempenho escolar, são dos que pior se sentem com a vida, diz o relatório

Os jovens portugueses gostam dos amigos que têm na escola e dos intervalos entre as aulas…não gostam de estudar.

A questão situa-se só a nível da escola?

As escolas são a extensão da sociedade onde, também, além da família e da comunidade, se aprende e se ensina a coesão social.

Poderemos perguntar onde está a coesão escolar? Esta não é imune ao que a rodeia.

A Escola, para a sociedade em geral, é onde  quase a totalidade das crianças tem acesso a uma diversidade de conhecimentos que a tornará, mais tarde, fazedora da sociedade onde viva.

Nas escolas ensina-se e aprende-se para o desenvolvimento e para o bem estar das organizações, das sociedades e dos indivíduos, cada um com a sua especificidade, agora mais do que nunca, também cultural.   É nas escolas que a grande maioria das crianças e dos jovens aprende e apreende o mundo onde vive através da inter-relação de conhecimentos e competências que dificilmente poderá aprender noutros contextos e da inter-relação afectiva que estabelece com o professor.

Por isso mesmo elas têm que ser acarinhadas por todos os que querem viver em e consolidar a democracia, desempenhando um papel importante baseado no conhecimento, na justiça social, na igualdade, na solidariedade e em princípios sociais e éticos irrepreensíveis.

Abrimos os jornais e lá vêm as recorrentes acusações à escola responsabilizando-a por todo o comportamento que os jovens exibem dentro e fora dela, por todo o insucesso escolar.

A Escola é de facto um dos elos mais importantes da sociedade, mas não o único, no desenvolvimento da sociedade e, por isso, dos jovens.

Os programas televisivos, com maior audiência, tratam as relações humanas de forma indigna para qualquer rapaz ou rapariga, tudo se passa em ambientes conflituosos, em que o amor e a amizade são descartáveis como a pastilha elástica.

A Escola é o entrecruzar de todas estas realidades antes da aquisição de saberes, de conhecimento.

Só se ouve e lê que a Escola não cumpre a sua função. Mas afinal qual é a função da Escola no Portugal de 2016? É obrigar os jovens e as crianças a aprenderem em turmas com imensos alunos, é obrigá-los a estarem mais tempo dentro da Escola só porque tem que ser, sem mais nenhum objectivo senão o de facilitar os horários de trabalho dos pais.

Porque não dizer que os empregadores não estão a cumprir o seu dever, de desenvolvimento da sociedade, facilitando o crescimento das crianças em famílias estáveis, porque empregadas com contrato. Mais tarde, todos colheríamos o fruto numa sociedade mais comprometida com os valores decorrentes da Declaração Universal dos Direitos Humanos.

Leave a Reply