Posts Tagged: Luísa Lobão Moniz

POR VEZES O CAOS por Luísa Lobão Moniz

Não sei se os meus olhos mudaram, mas a vontade de ir à descoberta de novos mundos ensina-nos que o novo mundo está onde nós estamos, basta que reflictamos sobre ”o que vemos, ouvimos e lemos” e perceberemos que sem

POR VEZES O CAOS por Luísa Lobão Moniz

Não sei se os meus olhos mudaram, mas a vontade de ir à descoberta de novos mundos ensina-nos que o novo mundo está onde nós estamos, basta que reflictamos sobre ”o que vemos, ouvimos e lemos” e perceberemos que sem

A CRIANÇA NÃO QUER A RUPTURA AFECTIVA por Luísa Lobão Moniz

O horror da aceitação da Violência contra crianças sentida pela própria! Como é possível que a criança sinta que se os pais, ou outros adultos, lhe baterem é porque querem ensinar os filhos a serem “homens”? Foi feito um estudo

A CRIANÇA NÃO QUER A RUPTURA AFECTIVA por Luísa Lobão Moniz

O horror da aceitação da Violência contra crianças sentida pela própria! Como é possível que a criança sinta que se os pais, ou outros adultos, lhe baterem é porque querem ensinar os filhos a serem “homens”? Foi feito um estudo

HOJE É DIA DA MÃE por Luísa Lobão Moniz

Quando era criança o Dia da Mãe era no dia 8 de Dezembro. Na escola não nos era permitido ter sentimentos sobre a Mãe que pudéssemos expressar por palavras, por desenhos ou por trabalhos manuais de nossa iniciativa. Era-nos dado

HOJE É DIA DA MÃE por Luísa Lobão Moniz

Quando era criança o Dia da Mãe era no dia 8 de Dezembro. Na escola não nos era permitido ter sentimentos sobre a Mãe que pudéssemos expressar por palavras, por desenhos ou por trabalhos manuais de nossa iniciativa. Era-nos dado

MAIS UMA MULHER ASSASSINADA POR UM HOMEM por Luísa Lobão Moniz

  Mais um número incerto de mulheres maltratadas! Pela primeira vez vi um homem na televisão a dizer que é vítima de violência doméstica. E mais uma mulher é maltratada. Vieram-lhe as lágrimas aos olhos e disse sentir-se mal com

MAIS UMA MULHER ASSASSINADA POR UM HOMEM por Luísa Lobão Moniz

  Mais um número incerto de mulheres maltratadas! Pela primeira vez vi um homem na televisão a dizer que é vítima de violência doméstica. E mais uma mulher é maltratada. Vieram-lhe as lágrimas aos olhos e disse sentir-se mal com

“SEI QUE ESTÁS EM FESTA, PÁ!” por Luísa Lobão Moniz

A Revolução dos Cravos devolveu a Liberdade e a Liberdade não existe se não se puder informar todas as pessoas do que se passa nos países onde vivemos. A informação sobre questões sociais corre o risco de muitos pensarem que

“SEI QUE ESTÁS EM FESTA, PÁ!” por Luísa Lobão Moniz

A Revolução dos Cravos devolveu a Liberdade e a Liberdade não existe se não se puder informar todas as pessoas do que se passa nos países onde vivemos. A informação sobre questões sociais corre o risco de muitos pensarem que

A MINHA LIBERDADE por Luísa Lobão Moniz

Libertamo-nos da ditadura, conquistamos a democracia, perdemos o medo, fizemos a descolonização, alfabetizamos o povo, demos água e luz, podemos dizer não, temos liberdade de expressão, respeitamos as diferentes opções sexuais, lutamos pelos direitos da mulher, da criança, das minorias,

A MINHA LIBERDADE por Luísa Lobão Moniz

Libertamo-nos da ditadura, conquistamos a democracia, perdemos o medo, fizemos a descolonização, alfabetizamos o povo, demos água e luz, podemos dizer não, temos liberdade de expressão, respeitamos as diferentes opções sexuais, lutamos pelos direitos da mulher, da criança, das minorias,

A MINHA IGNORÂNCIA, INGENUIDADE E O… por Luísa Lobão Moniz

  Apesar das várias violências em que vivemos, ainda neste século XXI, eu acredito na bondade do ser Humano. Tantas vezes me vieram as lágrimas aos olhos ao saber de barbaridades exercidas pelos Homens sobre outros Homens. Os instrumentos de

A MINHA IGNORÂNCIA, INGENUIDADE E O… por Luísa Lobão Moniz

  Apesar das várias violências em que vivemos, ainda neste século XXI, eu acredito na bondade do ser Humano. Tantas vezes me vieram as lágrimas aos olhos ao saber de barbaridades exercidas pelos Homens sobre outros Homens. Os instrumentos de

Ó ROSTO DA TERRA por Luísa Lobão Moniz

  Ó rosto da terra/E abismo do mar/Ouvide o seu canto/De longe a arfar…Zeca Afonso Quando homens de farda verde, armados de metralhadoras G3 com cravos vermelhos enfiados nos canos, apareceram, de madrugada, muitos sem saberem bem porquê começou-se a

Ó ROSTO DA TERRA por Luísa Lobão Moniz

  Ó rosto da terra/E abismo do mar/Ouvide o seu canto/De longe a arfar…Zeca Afonso Quando homens de farda verde, armados de metralhadoras G3 com cravos vermelhos enfiados nos canos, apareceram, de madrugada, muitos sem saberem bem porquê começou-se a

EM PROL DA FELICIDADE por Luísa Lobão Moniz

  É do domínio colectivo das sociedades que homem e mulher têm diferentes papéis e funções nas comunidades. Todas as culturas têm no seu imaginário o que pertence a cada um e a cada uma, apesar de terem definido esses

EM PROL DA FELICIDADE por Luísa Lobão Moniz

  É do domínio colectivo das sociedades que homem e mulher têm diferentes papéis e funções nas comunidades. Todas as culturas têm no seu imaginário o que pertence a cada um e a cada uma, apesar de terem definido esses

COMO É FORMADA A OPINIÃO SOBRE VIOLÊNCIA? por Luísa Lobão Moniz

  A questão da violência, a sua origem, as suas consequências são matérias de difícil abordagem, pois a violência é multifacetada e multidisciplinar. Não há quem não tenha a sua opinião sobre violência. Como é formada essa opinião? São imensas

COMO É FORMADA A OPINIÃO SOBRE VIOLÊNCIA? por Luísa Lobão Moniz

  A questão da violência, a sua origem, as suas consequências são matérias de difícil abordagem, pois a violência é multifacetada e multidisciplinar. Não há quem não tenha a sua opinião sobre violência. Como é formada essa opinião? São imensas

QUANDO SE FALA EM VIOLÊNCIA por Luísa Lobão Moniz

Quase todos os dias se fala em violência, seja ela colectiva (guerras sociedades não democráticas) ou individuais como a violência no seio da família, destacando-se ultimamente a violência sobre as mulheres. E o que é a Violência? Quando se fala

QUANDO SE FALA EM VIOLÊNCIA por Luísa Lobão Moniz

Quase todos os dias se fala em violência, seja ela colectiva (guerras sociedades não democráticas) ou individuais como a violência no seio da família, destacando-se ultimamente a violência sobre as mulheres. E o que é a Violência? Quando se fala

NÃO HÁ HOMEM LIVRE por Luísa Lobão Moniz

Homens, mulheres, crianças e violência parecem estar a preocupar a sociedade e os políticos. Já se fala e reconhece que as leis terão que mudar, mas todos sabemos que não se mudam leis sem se mudarem mentalidades. Mais anos de

NÃO HÁ HOMEM LIVRE por Luísa Lobão Moniz

Homens, mulheres, crianças e violência parecem estar a preocupar a sociedade e os políticos. Já se fala e reconhece que as leis terão que mudar, mas todos sabemos que não se mudam leis sem se mudarem mentalidades. Mais anos de

É PRECISO QUESTIONAR por Luísa Lobão Moniz

  A violência dos homens sobre as mulheres continua em estudo no sentido de se perceber porque é como a conhecemos: a mulher é maltratada até à morte porque é mulher. Mas o que faz ser assim? Questões biológicas, culturais,

É PRECISO QUESTIONAR por Luísa Lobão Moniz

  A violência dos homens sobre as mulheres continua em estudo no sentido de se perceber porque é como a conhecemos: a mulher é maltratada até à morte porque é mulher. Mas o que faz ser assim? Questões biológicas, culturais,

QUAIS AS CAUSAS? por Luísa Lobão Moniz

De tanto se falar, e bem, da violência contra as mulheres fica a pergunta: Porque é que os homens batem nas mulheres? E as respostas geralmente baseiam-se no facto de estarem bêbados, de terem ciúmes, de não se quererem separar,

QUAIS AS CAUSAS? por Luísa Lobão Moniz

De tanto se falar, e bem, da violência contra as mulheres fica a pergunta: Porque é que os homens batem nas mulheres? E as respostas geralmente baseiam-se no facto de estarem bêbados, de terem ciúmes, de não se quererem separar,

SÓ HÁ VÍTIMAS SE HOUVER AGRESSORES por Luísa Lobão Moniz

  Este ano de 2019 tem sido dominado pelo tema da violência contra as mulheres que acaba com o homicídio. Muitas justificações têm sido dadas: “ele só bate quando vem bêbado”, “ ele bate porque a mulher o provoca”, “

SÓ HÁ VÍTIMAS SE HOUVER AGRESSORES por Luísa Lobão Moniz

  Este ano de 2019 tem sido dominado pelo tema da violência contra as mulheres que acaba com o homicídio. Muitas justificações têm sido dadas: “ele só bate quando vem bêbado”, “ ele bate porque a mulher o provoca”, “