Posts Tagged: Luísa Lobão Moniz

PORTUGAL NÃO TEM CALÇADA PARA O RACISMO por Luísa Lobão Moniz

Ouvir dizer que Portugal é um país racista faz doer a nossa existência, enquanto seres humanos que lutam pelas liberdades e pelos direitos individuais e colectivos. “A negação, a persistência na desvalorização do fenómeno conduzem ao desastre e à radicalização

PORTUGAL NÃO TEM CALÇADA PARA O RACISMO por Luísa Lobão Moniz

Ouvir dizer que Portugal é um país racista faz doer a nossa existência, enquanto seres humanos que lutam pelas liberdades e pelos direitos individuais e colectivos. “A negação, a persistência na desvalorização do fenómeno conduzem ao desastre e à radicalização

TZVETAN TODOROV por Luísa Lobão Moniz

Tzvetan Todorov (1990), em “A Conquista da América“, reconhece que “… nada se torna mais aflitivo do que ver-se a História repetir-se – sobretudo quando se trata da história de uma destruição.” As sociedades não são estáticas, mas sim dinâmicas,

TZVETAN TODOROV por Luísa Lobão Moniz

Tzvetan Todorov (1990), em “A Conquista da América“, reconhece que “… nada se torna mais aflitivo do que ver-se a História repetir-se – sobretudo quando se trata da história de uma destruição.” As sociedades não são estáticas, mas sim dinâmicas,

NÃO SE ENSINA PARA A DEMOCRACIA, VIVE-SE EM DEMOCRACIA por Luísa Lobão Moniz

A democracia, tal como a conhecemos, foi algo encontrado como sendo uma forma de acabar com as ditaduras e de fazer o povo direccionar o seu caminho para as questões que verdadeiramente lhe interessar. Antes da Revolução, a voz do

NÃO SE ENSINA PARA A DEMOCRACIA, VIVE-SE EM DEMOCRACIA por Luísa Lobão Moniz

A democracia, tal como a conhecemos, foi algo encontrado como sendo uma forma de acabar com as ditaduras e de fazer o povo direccionar o seu caminho para as questões que verdadeiramente lhe interessar. Antes da Revolução, a voz do

ESTOU ALÉM por Luísa Lobão Moniz

Vou viver Até quando eu não sei Que me importa o que serei Quero é viver Amanhã, espero sempre um amanhã E acredito que será mais um prazer António Variações   António Variações foi uma figura “estranha” porque diferente não

ESTOU ALÉM por Luísa Lobão Moniz

Vou viver Até quando eu não sei Que me importa o que serei Quero é viver Amanhã, espero sempre um amanhã E acredito que será mais um prazer António Variações   António Variações foi uma figura “estranha” porque diferente não

UMA SEMENTE DE AFECTO por Luísa Lobão Moniz

As mudanças sociais são acompanhadas pelas instituições que as suportam enquanto sociedades dinâmicas. Por vezes essa mudança não se vive de forma pacífica devido a divergências ideológicas, a percas de pequenos poderes, a crises de valores que as sociedades não

UMA SEMENTE DE AFECTO por Luísa Lobão Moniz

As mudanças sociais são acompanhadas pelas instituições que as suportam enquanto sociedades dinâmicas. Por vezes essa mudança não se vive de forma pacífica devido a divergências ideológicas, a percas de pequenos poderes, a crises de valores que as sociedades não

O DIA MAIS LONGO DO ANO por Luísa Lobão Moniz

O Solstício de Verão é o dia mais longo do ano devido a um fenómeno astronómico. O Solstício de Verão ocorre no hemisfério Norte, enquanto no hemisfério Sul se celebra o Solstício de Inverno. O facto deste dia ser tão

O DIA MAIS LONGO DO ANO por Luísa Lobão Moniz

O Solstício de Verão é o dia mais longo do ano devido a um fenómeno astronómico. O Solstício de Verão ocorre no hemisfério Norte, enquanto no hemisfério Sul se celebra o Solstício de Inverno. O facto deste dia ser tão

INDIGNAÇÃO, INDIGNAÇÃO, INDIGNAÇÃO…por Luísa Lobão Moniz

Sonha e serás livre de espírito… luta e serás livre na vida. Che Guevara Vivemos em democracia e um dos seus requisitos é ter liberdade para nos indignarmos. A indignação é um sentimento baseado em valores e que se manifesta

INDIGNAÇÃO, INDIGNAÇÃO, INDIGNAÇÃO…por Luísa Lobão Moniz

Sonha e serás livre de espírito… luta e serás livre na vida. Che Guevara Vivemos em democracia e um dos seus requisitos é ter liberdade para nos indignarmos. A indignação é um sentimento baseado em valores e que se manifesta

OS CONTOS DE FADAS FASCINAM CRIANÇAS E ADULTOS por Luísa Lobão Moniz

– Conta-me uma história… – Conta outra vez a História do Capuchinho Vermelho… Rita 4 anos, 1992 Os contos de fadas fascinam crianças e adultos. A Feira do Livro, em Lisboa, acaba hoje, domingo16 de Junho. Um dia como outro

OS CONTOS DE FADAS FASCINAM CRIANÇAS E ADULTOS por Luísa Lobão Moniz

– Conta-me uma história… – Conta outra vez a História do Capuchinho Vermelho… Rita 4 anos, 1992 Os contos de fadas fascinam crianças e adultos. A Feira do Livro, em Lisboa, acaba hoje, domingo16 de Junho. Um dia como outro

SÃO LIVROS, SÃO COMENTÁRIOS por Luísa Lobão Moniz

Estar na Feira do Livro foi algo que sempre que me apaixonou. É a época de reencontros de amigos que já não vemos há muito tempo, mas que nos levam lá à procura deles…e muitas vezes lá estão…são abraços e

SÃO LIVROS, SÃO COMENTÁRIOS por Luísa Lobão Moniz

Estar na Feira do Livro foi algo que sempre que me apaixonou. É a época de reencontros de amigos que já não vemos há muito tempo, mas que nos levam lá à procura deles…e muitas vezes lá estão…são abraços e

O MENINO QUE LIA NO SUPERMERCADO por Luísa Lobão Moniz

  Ontem, sábado em Lisboa, o Sol deu ar da sua graça e acolheu os lisboetas com os seus quentes raios. Não havia melhor coisa a fazer do que ir apanhar um pouco de ar e de Sol. E onde?

O MENINO QUE LIA NO SUPERMERCADO por Luísa Lobão Moniz

  Ontem, sábado em Lisboa, o Sol deu ar da sua graça e acolheu os lisboetas com os seus quentes raios. Não havia melhor coisa a fazer do que ir apanhar um pouco de ar e de Sol. E onde?

“É O MAR QUE TRAZ/AS ILHAS NA MÃO” por Luísa Lobão Moniz

Sophia de Mello Breyner é uma figura de referência pela sua sensibilidade poética e pela beleza com quis dialogar com as crianças. Sophia deixou-nos fisicamente, mas a sua letra impressa perdurará nas histórias para as crianças e adultos da nossa

“É O MAR QUE TRAZ/AS ILHAS NA MÃO” por Luísa Lobão Moniz

Sophia de Mello Breyner é uma figura de referência pela sua sensibilidade poética e pela beleza com quis dialogar com as crianças. Sophia deixou-nos fisicamente, mas a sua letra impressa perdurará nas histórias para as crianças e adultos da nossa

PEDRO PEDREIRO por Luísa Lobão Moniz

Chico Buarque de Hollanda ganhou o Prémio Camões em 2019, pelo seu contributo para o enriquecimento do património literário e cultural da Língua Portuguesa. Chico Buarque cantor, músico e escritor brasileiro, de referência para os jovens portugueses no tempo da

PEDRO PEDREIRO por Luísa Lobão Moniz

Chico Buarque de Hollanda ganhou o Prémio Camões em 2019, pelo seu contributo para o enriquecimento do património literário e cultural da Língua Portuguesa. Chico Buarque cantor, músico e escritor brasileiro, de referência para os jovens portugueses no tempo da

POR VEZES O CAOS por Luísa Lobão Moniz

Não sei se os meus olhos mudaram, mas a vontade de ir à descoberta de novos mundos ensina-nos que o novo mundo está onde nós estamos, basta que reflictamos sobre ”o que vemos, ouvimos e lemos” e perceberemos que sem

POR VEZES O CAOS por Luísa Lobão Moniz

Não sei se os meus olhos mudaram, mas a vontade de ir à descoberta de novos mundos ensina-nos que o novo mundo está onde nós estamos, basta que reflictamos sobre ”o que vemos, ouvimos e lemos” e perceberemos que sem

A CRIANÇA NÃO QUER A RUPTURA AFECTIVA por Luísa Lobão Moniz

O horror da aceitação da Violência contra crianças sentida pela própria! Como é possível que a criança sinta que se os pais, ou outros adultos, lhe baterem é porque querem ensinar os filhos a serem “homens”? Foi feito um estudo

A CRIANÇA NÃO QUER A RUPTURA AFECTIVA por Luísa Lobão Moniz

O horror da aceitação da Violência contra crianças sentida pela própria! Como é possível que a criança sinta que se os pais, ou outros adultos, lhe baterem é porque querem ensinar os filhos a serem “homens”? Foi feito um estudo

HOJE É DIA DA MÃE por Luísa Lobão Moniz

Quando era criança o Dia da Mãe era no dia 8 de Dezembro. Na escola não nos era permitido ter sentimentos sobre a Mãe que pudéssemos expressar por palavras, por desenhos ou por trabalhos manuais de nossa iniciativa. Era-nos dado

HOJE É DIA DA MÃE por Luísa Lobão Moniz

Quando era criança o Dia da Mãe era no dia 8 de Dezembro. Na escola não nos era permitido ter sentimentos sobre a Mãe que pudéssemos expressar por palavras, por desenhos ou por trabalhos manuais de nossa iniciativa. Era-nos dado