A América, e com ela o Ocidente, num impasse perigoso com as eleições presidenciais de Novembro – Eleições manipuladas e se Trump tiver razão?

Selecção  e tradução de Júlio Marques Mota

Revisão de Francisco Tavares

A América, e com ela o Ocidente, num impasse perigoso com as eleições presidenciais de Novembro

Presidenciais nos Estados Unidos: eleições manipuladas e se Trump tiver razão?

1

Jean Bonnevey, jornalista ♦

 

Esta democracia globalizante, é ela inatacável?

Donald Trump diz que a eleição está truncada e que poderia – o que não fará – não reconhecer a sua derrota. Horror e crime abominável contra a democracia.

Mas está ele realmente errado ao desprezar essa democracia? Essa democracia, este é o outro nome do sistema que Trump pretende combater. Ora, o que quer o sistema? Quer impor aos americanos, uma mulher na Presidência depois de ter um presidente negro [sem vírgula] ou quase. O feminismo político esquerdista encontrou o macho ideal: Trump. Como uma caricatura bem útil, para se desqualificar politicamente o homem branco masculino e que entende continuar a ser.

Trump é a promoção de sofá, o racista, o homófobo, tudo o que o sistema denuncia em nome dos valores democráticos. Mas estes valores são os de uma imprensa partidária e de uma mulher artificialmente falsa e com uma história política desastrosa. Trump põe em causa a objetividade da competição eleitoral americana. Ele está absolutamente certo. Tudo é distorcido, mesmo se nada for falsificado. E o que ele diz para os EUA é verdade noutros lugares.

Parece que Putin se teria ingerido na campanha americana. É naturalmente possível. O que é certo, porém, é que os EUA interferem em todas as eleições na Ucrânia e em outros lugares e não reconhecem os resultados quando não agrada à sua conceção de democracia globalizante.

Tudo o que disse Trump volta-se contra ele e Hillary Clinton, o cúmulo [ou: coisa mais desenxabida é impossível], goza de uma proteção dos media quase completa.

Ainda assim, foi uma importante atriz política, graças ao comportamento sexual “inapropriado” do seu marido que pediu desculpas lavado em lágrimas. A mulher humilhada por obras e não por palavras, ela sabe o que isso é. Ela soube apresentar-se como uma modesta feminista e de forma impecável.

Ela é responsável pela guerra ao lado do seu simpático marido contra a Sérvia, em benefício dos islamitas albanófonos, em seguida, ao lado de outras iras das guerras do desastre árabe-muçulmano que permitiu a destruição de diversos Estados.

Mas o que ameaça o mundo são, claro está, as obscenidades de vestiário de Donald Trump. Ele transmite a ideia de que algumas mulheres são atraídas pelo poder ou pelo dinheiro. Felizmente, Hillary está aqui para provar o contrário.

Difícil de saber se Trump no poder seria perigoso. Uma coisa é certa quanto a Hillary, ela será um desastre.

Jean Bonnevey, jornalista, Revista Metamag, ♦ Présidentielles US : élections manipulées et si Trump avait raison ?

http://metamag.fr/2016/10/21/presidentielles-us-elections-manipulees-et-si-trump-avait-raison/

Leave a Reply