CONTOS & CRÓNICAS – CARLOS REIS – OS ARTIGOS IMPUBLICÁVEIS – A EXCESSIVIDADE DO DÉFICE EXCESSIVO

 

Dos media.

Aceleração da economia surpreende mas não convence Bruxelas

A Comissão não só reviu em baixa a sua estimativa para o défice público de 2016 de 2,7% para 2,3%, como colocou a previsão do mesmo indicador para 2017 e 2018 em 2% e 2,2%, respectivamente.

 

Se isto tivesse graça, eu rir-me-ia – como qualquer pupilo de La Palisse.

Mas eu não me rio. Interrogo-me, apenas.

Porque ninguém sabe  –  a não ser os economistas e mesmo assim são sempre de desconfiar  –  o significado dessa maravilhosa coisa que é passar de 2,7% para 2,3%. Ninguém percebe, nunca ninguém percebeu – a não ser os economistas e mesmo assim são sempre de desconfiar –  como se chega a estes números, a estas percentagens. Nós, o povo – ou o público, que é assim uma espécie de povo, mas mais bem vestido – limitamo-nos a ler e a ver aquelas coisas e aqueles números, enquanto almoçamos ou jantamos e depois levantamos a mesa e vamos lavar a loiça como se nada fosse.

Porque nada é.

No que poderemos talvez reparar é na hipocrisia dos variados dignatários que aparecem a seguir, televisionados (presidente da república, ministros, deputados e outras figuras gradas, algumas já internacionais e bem postas na vida) uns a agradecerem ao actual governo esta maravilha numérica, outros a agradecerem aos governos, a todos os governos, esta benesse percentual e ainda outros a agradecerem ao anterior governo este resultado mavioso e celestial. Há de tudo, como na farmácia.

E nós a levantar a mesa, a lavar a loiça, a fazer as camas de lavado.

No que eles se parecem mais uns com os outros, é na hipocrisia. Quando acrescentam, às homilias e aos encómios, com um ar mais ou menos sério e estadístico, que devemos “também” (ou “ainda” –  depende do quadrante político) agradecer ao povo (e ao público) português, que com os seus sacrifícios”, contribuiu para este resultado (e té-té-té e blá-blá-blá e nhó-nhó-nhó) o vómito é iminente. O tomate maduro ou o pano encharcado fazem falta, bem como a impossível oportunidade.

Os seus sacrifícios! É preciso ter lata! O que é que eles sabem dos “sacrifícios”? E por que chamam “sacrifícios” ao que por culpa deles – sim, deles – levou este povo à miséria em alta, altíssima escala? Saberão eles o que é perder emprego, perder direitos, ver filhos a emigrar, enfrentar misérias familiares onde antes havia alguma hipótese de sobrevivência? Eles, que aceitaram de bom grado e de mão beijada o que os fsdp dos alemães e outros europeus nos impuseram? Sem um resquício de revolta? Eles, incluindo o sinuoso Partido Socialista de então?

Último mistério. Como toda a gente sabe a Dívida é mais ou menos enorme, mais ou menos infinita no tempo. Toda a produção, toda a evolução da economia mal chegam para pagar os juros anuais àqueles agiotas, como também toda a gente sabe. Ou devia saber.

Portanto, a Dívida nunca acaba. Nunca irá acabar. Nunca sairemos do buraco enquanto ela aí estiver, não vale a pena inventar chachadas.

Portanto, os “excelentes resultados” foram conseguidos sempre dentro do cumprimento destas regras de casas de prego.

Portanto, gostava de saber o que há para festejar. O desemprego a baixar? Qualquer dia toda a população trabalhadora “viverá” com aquele sinistro e ridículo ordenado mínimo nacional, as estatísticas apontarão para uma taxa de desemprego mínima, por entre novos sorrisos e mútuos cumprimentos da classe dirigente, que as televisões hão-de televisar, se Deus nos der vida e saúde.

E nós a levantar a mesa, a lavar a loiça, a fazer as camas de lavado.

Carlos

About joaompmachado

Nome completo: João Manuel Pacheco Machado

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: